WEB RÁDIO VERDADE GOSPEL

ISLAIDE TESTE

ISLAIDE TESTE
webradioverdadegospel@gmail.com

DISPONÍVEL NA PLAY STORY

DISPONÍVEL NA PLAY STORY
DISPONIVÉL NA PLAY STORY

JOÃO 3:16

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUPLICIDADE

IBADEP TEOLOGIA

IBADEP TEOLOGIA
IBADEP TEOLOGIA

quinta-feira, 19 de maio de 2022

Heidi Baker sobre a perseguição: “Terroristas podem nos matar, mas não tiram Jesus de nós” A missionária, que vive em Moçambique há quase 30 anos, testemunhou histórias de fé durante a On Mission, em SP.

 

                             Heidi Baker durante ministração no On Mission, em SP. (Foto: Francielle Cecilia / Global Awakening)

Uma das preletoras da conferência On Mission, a missionária Heidi Baker trouxe várias experiências e testemunhos de como Deus tem agido em Moçambique, país africano onde ela tem uma base missionária, especialmente voltada a crianças órfãs.

O evento, realizado de 11 a 14 de maio, na Paz Church, em São Paulo, teve a cobertura exclusiva do Guiame.

Casada com Rolland, desde 1995 o casal vive em Moçambique, onde estabeleceu seu ministério através da Iris Global, dedicada ao cuidado dos pobres e na evangelização dos moradores locais.

No início de sua mensagem e falando em português, Heidi questionou à plateia: Quem é o maior missionário que você conhece? Em seguida, leu Filipenses 2, onde diz que Jesus saiu de sua glória para vir à Terra como homem, para fazer uma grande missão.

Heidi contou que a pandemia pode ser entendida com duplo sentido: o primeiro, como algo devastador para todo o mundo e na África a situação foi ainda mais precária; o segundo, porque salientou generosidades e o cristianismo na vida de pessoas que se dedicam a apoiar os mais vulneráveis.

Horrores do terrorismo

Outra condição muito difícil em Moçambique, país que está em guerra levando a população à miséria, são os frequentes ataques de grupos terroristas, como o Al-Shabab.

A missionária descreveu cenas de cristãos sendo decapitados. Em um dia, um dos pastores que pertence à equipe de Heidi contou 56 corpos sem cabeça. “Tinha muito mais, porém, depois desse número, ele parou de contar porque seu coração estava totalmente devastado”, explicou ela.

“Ver como o Al-Shabab matava meus irmãos e irmãs, em nossa terra [Heidi vive em Moçambique], pessoas que eu dormia em suas casas durante muitos anos, éramos uma família, foi algo muito, muito difícil. Mas um dos nossos pastores locais, ao cair no chão, onde estavam os corpos, começou a sorrir”, conta.

Apesar daquelas atrocidades, Heidi diz que ele parecia demonstrar alegria, algo que só poderia ser explicado pela “presença de Deus em sua vida, algo do Espírito Santo”.

Ela lembrou que tudo isso está acontecendo exatamente agora, não é algo do passado, é hoje. Heidi acabou de sair de Moçambique para vir ao Brasil pregar na conferência de missões, mas apesar de deixar o país africano em meio ao caos, estava alegre, pois disse que Deus falou sobre não pregar triste.

“Preciso ser presente. Eu sou presente com o Espírito Santo e com vocês”, afirmou. “Mas essa mensagem custa para sair. Tem um preço”, disse.

Heidi contou que quando o pastor, em Moçambique, começou a sorrir ela se sentiu um pouco ofendida.

“Eu não entendia como podia sorrir, ele havia chegado com tanta gente, com sua família, e agora muitos e muitos estavam mortos pelos terroristas. Não era tempo de sorrir”, pensava a missionária.

Heidi diz que depois entendeu que aquele sorriso representava a força de Deus na vida dele.

missionária disse ainda que a fé daquelas pessoas é tão grande que elas dizem: “Os terroristas podem nos matar, crucificar nossos filhos, queimar as nossas casas, mas eles não vão tirar Jesus dentro de nós”.

Comunhão e desafios

“Eu nunca vi algo tão bonito no meio de tanta tragédia e dor”, ela declarou. “Se você tem comunhão com o Espírito, não algo superficial, não perde tempo olhando o que acontece ao redor, apenas adora a Deus”.

“É a comunhão com Jesus que nos garante ouvir a sua voz”, diz Heidi. “Vê-lo face a face”.

Heidi fala que essa comunhão é que faz o cristão obedecer ao chamado. Ela contou que anos atrás Deus disse que eles alimentariam 3 mil crianças por dia, mas na época eles tinham apenas 500 dólares. “Era maluquice”, lembra. “Mas quando ouvimos a voz de Deus, só dizemos sim”. Hoje a Iris Global alimenta mais de 31 mil pessoas diariamente.

“Há grande sofrimento no mundo e nós temos Jesus”, lembra. “Cristãos reais não correm com medo dos desafios, fazemos o que Ele diz para fazermos”.

Após contar várias experiências e testemunhos no campo missionário, Heidi disse que a igreja precisa estar firmada cada vez mais em Jesus porque verá muitas coisas que nunca viu antes.

FONTE: GUIAME, ADRIANA BERNARDO

quarta-feira, 18 de maio de 2022

Governo dos EUA nomeia CEO da Portas Abertas para Comissão de Liberdade Religiosa David Curry vai aconselhar o governo americano na política externa para combater a perseguição em todo o mundo.

 

         David Curry vai aconselhar o governo americano na política externa para combater a perseguição. (Foto: Portas Abertas USA).

O governo americano nomeou o CEO da Missão Portas Abertas, Dr. David Curry, para liderar a Comissão de Liberdade Religiosa dos Estados Unidos (USCIRF, na sigla em inglês).

A USCIRF é uma entidade independente do governo federal criada pelo Congresso dos EUA para monitorar, analisar e informar sobre a liberdade religiosa em todo o mundo.

O anúncio foi feito pela Portas Abertas e celebrado como uma importante conquista na luta pelos direitos religiosos. 

“Eu estava na África Oriental e testemunhei em primeira mão a intolerância vivida pelas minorias religiosas. O governo dos Estados Unidos tem um papel a desempenhar no incentivo e apoio à liberdade religiosa em todo o mundo, e espero ajudar a USCIRF enquanto aconselho o governo nesse papel”, declarou David Curry, após sua nomeação.

Ele pediu oração para exercer sua nova função. “Desejo suas orações enquanto sirvo nesta Comissão, tanto para mim quanto para meus colegas Comissários – para que ajudemos a fazer a diferença para que todos, independentemente de fé ou não, possam viver suas vidas em paz”, afirmou.

David Curry vai aconselhar o governo americano na política externa para combater a                                        perseguição. (Foto: Portas Abertas USA).

“Em muitos países hoje, exercer o direito fundamental de praticar sua fé tem um preço terrível”, lembrou ele. 

“As pessoas em todos os lugares devem ter liberdade para adorar e viver suas convicções religiosas pacificamente, sem medo de governos, extremistas ou pressão cultural. Estou honrado em servir nesta comissão bipartidária”.

Os comissários da Comissão de Liberdade Religiosa são designados pelo Presidente ou pela liderança dos partidos políticos no Senado e na Câmara dos Representantes. Seu trabalho é fazer recomendações de política externa, que combata a perseguição e promova os direitos de religião, ao Presidente, ao Secretário de Estado e ao Congresso.

“Essas nomeações não poderiam vir em melhor hora. A liberdade religiosa é um direito que pertence a todos, em todos os lugares, o tempo todo, e é um direito que está constantemente sob ataque”, comentou o ex-embaixador-geral dos EUA para a Liberdade Religiosa Internacional e o membro sênior da Portas Abertas, Sam Brownback.

E explicou: “A USCIRF desempenha um papel fundamental ao relatar ao Congresso e à Administração as violações da liberdade religiosa em todo o mundo e ao fazer recomendações de políticas para lidar com essas violações”.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE OPEN DOORS USA

terça-feira, 17 de maio de 2022

Luciano Camargo ministra louvor em culto: “Minha pretensão é cantar na igreja” A apresentação serviu para arrecadar recursos para a construção do novo templo da IPAlpha, liderado pelo pastor Hilder Stutz.

 

                            Luciano Camargo canta na Igreja Presbiteriana de Alphaville - SP. (Foto: Instagram ip.alpha)

O sonho do cantor Luciano Camargo se concretizou na última quinta-feira (12/5), quando cantou na Igreja Presbiteriana de Alphaville, em São Paulo, onde congrega com sua família.

Após gravar gospel em 2020, durante a pandemia, atendendo a pedidos da mãe, o sertanejo dizia ter o sonho de cantar na igreja.

“Quando gravei os louvores, foi para realizar o sonho de minha mãe Helena. Por conta da pandemia e com a ausência de shows, tive tempo de registrar mais músicas e lançar”, disse.

       Luciano Camargo e o Pr. Hilder Stutz, líder da IPAlpha. (Foto: Instagram ip.alpha)

O repertório da apresentação, intitulada A Ti Entrego, contou com canções de seu primeiro álbum gospel homônimo como Deserto, Obra de amor, Tempo, além de clássicos cristãos como Noite Traiçoeiras e Porque Ele Vive.

A apresentação serviu para arrecadar recursos para a construção do novo templo da IPAlpha, liderado pelo pastor Hilder Stutz.

“Minha pretensão é cantar na igreja, louvar a Deus mesmo. Meu sonho se realizou. E começar pela minha igreja, contribuindo para a construção de um novo templo, é uma dádiva. Este meu chamado não vai atrapalhar em nada a minha estrada com o meu irmão Zezé”, afirma Luciano.

Na apresentação de Luciano estavam sua esposa Flávia Camargo junto com os filhos Nathan, as gêmeas Isabella e Helena, e os sogros Thereza e Mário Fonseca.

Durante mais de duas horas, Luciano cantou louvores acompanhado dos músicos de sua banda ZCL.

Apresentação A Ti Entrego, na Presbiteriana de Alphaville - SP. (Foto: Instagram ip.alpha)

Apesar da apresentação e do trabalho com músicas cristãs, Luciano disse que a história da dupla com seu irmão Zezé Di Camargo continua, com shows pelo Brasil, mas ambos desenvolvem seus projetos pessoais, de acordo com o propósito de cada um, informa a coluna LeoDias.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO METRÓPOLES

segunda-feira, 16 de maio de 2022

Tiroteio em Igreja Presbiteriana na Califórnia deixa 1 morto e 4 feridos O tiroteio aconteceu durante um almoço para homenagear o antigo pastor de uma igreja de Taiwan.

 

                            Tiroteio aconteceu na Geneva Presbyterian Church. (Foto: Twitter/Travis Rice/FOX Los Angeles)

Pelo menos uma pessoa está morta e quatro estão gravemente feridas após um tiroteio no domingo (15) em uma igreja em Laguna Woods, na Califórnia.

O tiroteio aconteceu na Igreja Presbiteriana Geneva durante um almoço para homenagear o antigo pastor de uma congregação de Taiwan, que usa a igreja para fazer seus cultos, de acordo com Tom Cramer, líder do Presbitério.

Segundo informações da polícia, todas as vítimas feridas no tiroteio são idosos. Entre eles estão quatro homens asiáticos, de 66, 75, 82 e 92 anos, e uma mulher asiática de 86 anos.

“Uma vítima morreu no local”, informou no Twitter o Departamento do Xerife do Condado de Orange, que ainda não revelou sua identidade e idade.

O suspeito foi detido no local depois que um grupo de pessoas na igreja conseguiu amarrar suas pernas com um cabo de extensão e confiscar pelo menos duas armas dele, disse o presbítero Hallock.

“Esse grupo de fiéis mostrou um heroísmo excepcional ao interferir ou intervir para deter o suspeito”, disse Hallock, de acordo com a CNN.

O suspeito está sob custódia da polícia, disse o subxerife do condado de Orange, Jeff Hallock, a repórteres na noite de domingo. De acordo com o presbítero Hallock, ele é um homem asiático na casa dos 60 anos que não mora na área.

A investigação busca saber se ele tem alguma conexão com a igreja ou seus fiéis e ainda não determinou qual a motivação do crime.

Policiais e bombeiros na Geneva Presbyterian Church. (Foto: Twitter/Bill Melugin/FOX Los Angeles)

Cerca de 30 a 40 pessoas estavam presentes na recepção, de acordo com Hallock.

Autoridades reagem

O governador da Califórnia, Gavin Newsom, se pronunciou no Twitter após o tiroteio: “Ninguém deve ter medo de ir ao seu local de culto. Nossos pensamentos estão com as vítimas, a comunidade e todos os afetados por este trágico evento”.

A congregação taiwanesa, que se tornou uma congregação irmã da Igreja Presbiteriana Geneva cerca de cinco ou seis anos atrás, sempre realiza um almoço após o culto de domingo de manhã, disse a prefeita pro tempore de Laguna Woods, Cynthia Conners, à CNN.

“Vamos ver o que podemos fazer para nos encontrar com os membros da congregação, vamos trazer alguém da Comissão de Direitos Humanos do Condado de Orange e tentar garantir que os membros asiáticos de nossa comunidade se sintam o mais seguros possível”, disse Conners.

O governo de Taiwan diz que seu Escritório Econômico e Cultural em Los Angeles ativou planos de resposta a emergências. “O Ministério das Relações Exteriores envia nossas mais profundas condolências às vítimas e suas famílias”, disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Joanne Ou. 

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DA CNN NEWS

sexta-feira, 13 de maio de 2022

Alguns pastores evitam pregar sobre santidade porque estão em pecado, diz John Piper O teólogo alerta sobre o perigo da liderança estar envolvida com o mundanismo e a impiedade.

 

                                                                              John Piper. (Foto: Captura de tela/Vídeo TG4)

Durante a Conferência Together For The Gospel (T4G), o pastor e teólogo John Piper alertou sobre alguns pastores que evitam pregar sobre a importância de uma “vida em santidade” porque “vivem secretamente em pecado”.

“Evitam porque suas vidas secretas estão moralmente comprometidas”, afirmou o pastor de 76 anos. “Eles estão perdendo tempo com ninharias. Estão assistindo a filmes que enchem suas mentes de mundanismo e impiedade. Eles estão se metendo em pornografia ou coisa pior”, continuou. 

Piper também apontou que muitos líderes religiosos são “desonestos em suas transações financeiras”, além de não administrarem bem suas próprias famílias.

Durante seu sermão, ele também observou que as pregações estão focadas na graça e no perdão através do derramamento de sangue sacrificial de Jesus. “Mas a graça também deve vencer o pecado e deve levar a todos para uma vida mais santa”, destacou.

Sobre a conferência

A conferência T4G aconteceu em Louisville, Kentucky, nos Estados Unidos, entre os dias 19 a 21 de abril. O evento contou com sermões de vários pregadores e com a presença de pastores de mais de 25 denominações, representando os 50 estados e 62 nações.

O propósito do evento, conforme o pastor, era ouvir a Palavra de Deus para edificação e crescimento no Evangelho de Jesus Cristo. Seus alertas também se dirigiram aos pastores que “se cansaram do estudo bíblico frutífero”. 

Ao citar os vários pecados que invadiram os púlpitos, Piper disparou: “Jesus foi crucificado para conquistar sua pornografia. Ele foi crucificado para vencer sua preguiça. Ele foi crucificado para vencer nossa gula e desonestidade. Ele foi crucificado para trazer de volta a alegria de criar seus próprios sermões”, disse. 

Porém, conforme o teólogo, alguns pastores tendem a “evitar qualquer coisa que se aproxime do tipo de pregação que confrontaria as pessoas com seus pecados para não torná-las infelizes”. 

Cultura do mundo

“Existem pastores que estão profundamente infectados com a cultura mimada que vivemos na América contemporânea. Eles não são apenas hipersensíveis a serem ofendidos, mas no púlpito, eles têm medo de provocar o desagrado de alguém”, enfatizou. 

Há urgência em pregar sobre a santidade e os cristãos precisam entender que existe uma guerra contra o pecado. “Irmãos, conheçam esta estranha, maravilhosa e única dinâmica cristã que elimina o pecado da vida dos fiéis. Mostre isso às pessoas, ensinem ao povo como é que se vive isso”, enfatizou. 

O pastor acrescentou que alguns líderes religiosos estão “com medo de serem rotulados como conservadores ou fundamentalistas”. 

Medo da opinião dos outros

Piper disse que o medo da opinião dos outros é uma escravidão e que não deveria haver esse tipo de preocupação entre os pastores.

“Eles vão evitar qualquer tipo de mensagem bíblica que os coloque em alguma situação da qual não querem fazer parte. Isso é escravidão”, disse.

“Eles não vão falar sobre a nudez nos filmes porque vão ser chamados de fundamentalistas. Eles não vão pregar que somos cidadãos do céu, antes de sermos cidadãos da América, porque eles serão chamados de antipatrióticos”, exemplificou. 

Piper aponta para a solução

“O primeiro remédio para esse tipo de escravidão às opiniões dos outros é tornar-se mais como Jesus. Você não quer ser livre disso?”, questionou. 

“E o segundo remédio é estar radicalmente comprometido com tudo o que a Bíblia ensina”, disse ao apontar para os tesouros bíblicos que podem ser espalhados pelo mundo por um pastor. 

Para o teólogo, pastores que não agem assim, realmente não entenderam qual o verdadeiro sentido do Evangelho.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN POST

quinta-feira, 12 de maio de 2022

Céu de sangue na China levanta discussões sobre sinais do fim dos tempos Apesar de se tratar de um fenômeno climático, as pessoas ficaram apavoradas e alguns internautas acreditam ser um aviso de futuras catástrofes no país.

                 Fenômeno climático faz o céu ficar vermelho como sangue, na China. (Foto: Captura de tela/YouTube CBN News)

O céu na China, de repente, se transformou e apresentou uma cor vermelho-sangue assustando os moradores da cidade portuária de Zhoushan, no começo desta semana. 

As condições climáticas únicas fizeram muitos se perguntarem se o fim dos tempos já havia chegado. Enquanto as pessoas faziam vídeos, podia-se ouvir as vozes questionando sobre o fenômeno misterioso.

Uma sensação de pânico se espalhou enquanto as espessas camadas de neblina eram vistas como um “mau presságio”.

O Departamento Meteorológico de Zhoushan, no entanto, esclareceu que não havia nada de errado com o clima naquele dia e que o céu carmesim foi causado pela refração incomum da luz dos barcos de pesca próximos dali. 

“Quando as condições climáticas são boas, mais água na atmosfera forma aerossóis que refratam e dispersam a luz dos barcos de pesca e criam o céu vermelho visto pelo público”, disseram alguns funcionários. 


O vídeo que viralizou mostra as cenas do fim da tarde vermelha até o momento em que a noite tomou conta do cenário e o fenômeno desapareceu.

A mídia local reforçou que o fenômeno climático era normal, mesmo assim muitas pessoas continuaram comentando. 

Alguns usuários do Douyin, a versão chinesa do TikTok, disseram que o céu vermelho era um sinal de que “acidentes vão acontecer”.

Os comentários tiveram associação com a forma como a China lidou com a pandemia por Covid-19. O vírus ressurgiu, recentemente, na cidade vizinha de Xangai, onde novos bloqueios extremos foram implementados.

Um dos usuários que também acredita que o céu vermelho é um aviso de futuras catástrofes, disse que já começou a estocar suprimentos.

Sobre os sinais do fim dos tempos

Teólogos falam sobre os sinais no Sol, na Lua e nas estrelas. Porém, hoje em dia, como saber o que pode ser considerado profético ou não?

Quando Jesus  respondeu aos discípulos sobre os sinais que indicariam o “fim dos tempos”, no livro de Lucas, além de citar terremotos, guerras, fomes e pestes, Ele também disse que haveria “grandes sinais provenientes do céu” (Lucas 21.11).

No mesmo capítulo, Jesus especificou que estes sinais estariam “no sol, na lua e nas estrelas” e que os “poderes celestes seriam abalados” (vs. 25,26). E para completar, no livro de Atos, Pedro repete as palavras do profeta Joel, reforçando sobre tudo o que Deus fará nos “últimos dias”.

“...derramarei do meu Espírito sobre todos os povos. Os seus filhos e as suas filhas profetizarão, os jovens terão visões, os velhos terão sonhos. Sobre os meus servos e as minhas servas derramarei do meu Espírito naqueles dias, e eles profetizarão. Mostrarei maravilhas em cima no céu e sinais embaixo, na terra, sangue, fogo e nuvens de fumaça. O sol se tornará em trevas e a lua em sangue, antes que venha o grande e glorioso dia do Senhor”. (Atos 2.17-20)

Guiame já divulgou a opinião de vários especialistas, que alertaram que nem todos os eventos celestiais da atualidade são os sinais dos quais Jesus falou. 

O que dizem os cientistas e líderes cristãos?

“Recentemente, as pessoas estão acreditando em conceitos equivocados e associando isso com ensinamentos e profecias bíblicas”, disse Eduardo Lutz, um cristão matemático e doutor em Astrofísica e Física Nuclear.

pastor Antônio Júnior disse que devemos ler a Bíblia e ter uma vigilância consciente: “Não podemos ignorar os sinais que mostram que Jesus está próximo, porém é preciso ter cautela ao associar as notícias com as profecias”. 

“É importante observar os sinais, mas Jesus não quer que a gente fique olhando para o céu o tempo todo, só em busca de sinais. Ele não quer que a gente pare a nossa vida, mas que a gente viva e pregue o Evangelho”, disse.

pastor Lamartine Posella, frequentemente, comenta sobre assuntos relacionados ao fim dos tempos. Para ele, os sinais estão no céu cada vez mais evidentes e apontam para a volta de Jesus. 

Ele já analisou fenômenos como a “super lua de sangue” e eclipses solares. “Quando há um eclipse lunar ou ‘luas de sangue’ é sinal do juízo de Deus ou do tratamento com a nação de Israel”, especificou.

“O texto fala de eclipses”, apontou. “Segundo a Bíblia, antes da Grande Tribulação haverá eclipses solares e lunares. A Palavra está dizendo que o Sol se converterá em trevas e a Lua em sangue”, concluiu.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE CBN NEWS E CNN

quarta-feira, 11 de maio de 2022

Jordan Peterson usa Bíblia em discurso de formatura: “Fé não é o abandono da razão” O psicólogo explica que as pessoas religiosas não deveriam ser ridicularizadas por causa de sua fé: “A fé é uma forma de coragem”.

 

                                           Jordan Peterson. (Foto: Captura de tela/YouTube Jordan B Peterson)

Jordan Peterson, um famoso psicólogo canadense, falou abertamente sobre a fé durante um discurso de formatura, alertando os graduados do Hillsdale College, em Michigan, no último sábado (7), sobre os estragos que o pecado pode causar. 

Batendo de frente com a cultura atual, ele explicou simbolicamente que os formandos estavam no momento da “encruzilhada da vida”. Depois de aplausos prolongados, ele seguiu com seu discurso.

“Há uma velha ideia de que você encontra o diabo na encruzilhada e a metáfora funciona porque mostra que é um tempo de decisão. Essa imagem tem um bom ajuste narrativo e fica na memória de quem ouve”, disse ao explicar que quando alguém ‘encontra o diabo’ só pode escolher uma direção ou outra. 

“Por que você encontra o diabo na encruzilhada?”

Ao comparar a formatura como um “marco” na vida das pessoas, o professor de 59 anos destacou que é também um momento de “examinar suas consciências”.

“Por que você encontra o diabo na encruzilhada?”, questionou ao esclarecer que sempre chegamos ao lugar da decisão. “Você precisa fazer uma escolha, olhar para cima ou para baixo. E sempre haverá uma tentação querendo forçar você a olhar para baixo”, continuou. 

psicólogo que tem como principal área de estudo a psicologia analítica e particular interesse na crença ideológica, personalidade e psicologia da religião, usou a Bíblia para definir que “pecado é errar o alvo”.

E para exemplificar o que seria “olhar para baixo”, fez referência à história de Caim e Abel. “A oferta de Caim não era o seu melhor. Quando as pessoas fazem sacrifícios insuficientes, elas estão colocando alguém acima de Deus”, explicou. 

‘Pecar é perder o objetivo’

Ao falar com mais profundidade sobre o pecado, Peterson observou que a palavra hebraica  “khata” encontrada em todo o Antigo e Novo Testamento é traduzida como “falhar” ou ainda “perder o objetivo”. 

“Eu amo isso, porque fala do objetivo ou da falta dele. Há várias maneiras de errar o alvo e uma delas é não ter uma mira, ou seja, não ter um objetivo e uma direção. Viver assim é supor que todos os objetivos sejam iguais”, disse. 

“Um dos maiores obstáculos que leva as pessoas a ‘errar o alvo’ é o orgulho”, disse ao se voltar mais uma vez para as Escrituras e se referir à história da Torre de Babel, em Gênesis 11. 

“Os descendentes de Noé foram dominados pelo orgulho e buscaram construir uma estrutura para alcançar os céus, deixando de seguir o mandamento do Senhor que era se multiplicar e encher a terra”, lembrou. 

“Essa tem sido uma tentação contínua para os seres humanos, de construir organizações complexas, que se tornam muito ‘altas’. E o que isso significa? Que nada é suficiente e tudo fica centralizado num único lugar. Não há distribuição”, continuou ao apontar no quanto as pessoas se isolam.

“Lúcifer é esse espírito do intelecto”

Na sequência, o psicólogo lembrou da história luciferiana. “Lúcifer é esse espírito do intelecto — o portador da luz que voou muito alto e desafiou o próprio Deus. Ele caiu”, alertou.

“Ele é o símbolo do intelecto orgulhoso, que se levanta contra as alturas onde Deus está”, disse ainda. 

“Sou muito contrário à ideia de que a motivação humana fundamental é o poder. Isso é o que todo aluno aprende em todos os níveis de sua educação, em todas as instituições educacionais, exceto algumas em seu país”, mencionou.

“Essa é uma filosofia muito sombria. Não poderia haver uma filosofia mais patológica. Isso apaga a sua fé, remove a noção da boa vontade e torna a comunicação impossível”, disse ainda. 

“Não permita que a arrogância perturbe o seu objetivo. Aproxime-se das coisas boas e entenda que a essência do cristianismo é o bem que une todas essas coisas boas, e elas refletem a imagem de Cristo”, reforçou. 

O psicólogo explica que “essa imagem” aceita o sofrimento da vida e tem a necessidade de servir às pessoas. “E esse é o maior chamado. A verdade de Jesus é mais verdadeira do que qualquer outra coisa”, observou.

“A fé é uma forma de coragem”

A mensagem de Peterson, que pode ser considerada como contracultural, inspirou os formandos a se desiludirem da sugestão secular de que ter fé significa abandonar a lógica e a razão.

“O mundo dirá às pessoas que a fé é uma forma de fraqueza porque implica numa falta de vontade de lutar contra o que não pode ser explicado. “É difícil explicar sobre os lugares difíceis e sombrios da vida”, disse.

“Porém, uma das coisas sobre as quais tenho pensado muito em relação à fé, é que as pessoas religiosas são muitas vezes ridicularizadas. É como se a fé significasse o sacrifício da razão”, apontou.

“Eu não acho que fé seja isso, acho que fé é uma forma de coragem. Se você for ferido pela vida — e você será — é compreensível que reaja de forma niilista e sem esperança, mas o que vai te ajudar nisso é a fé”, garantiu.

“E manter essa fé faz parte da bondade fundamental da existência, incluindo a sua própria, apesar das evidências em contrário”, disse ao ressaltar que nas provações não deve haver desespero. 
“Em vez disso, se você está encarando uma encruzilhada difícil, deve erguer-se e acreditar que poderá resistir, seguindo o caminho certo. Será melhor para você e será melhor para as pessoas ao seu redor”, concluiu.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE FAITHWIRE

terça-feira, 10 de maio de 2022

Após 800 anos, Igreja da Inglaterra pede perdão por leis antijudaicas As medidas do Sínodo de Oxford, em 1222, culminaram na expulsão em massa dos judeus do país.

     As medidas do Sínodo de Oxford, em 1222, culminaram na expulsão em massa dos judeus. (Foto: Wikimedia Commons/Diliff).

Igreja da Inglaterra pediu perdão pelas leis antijudaicas aprovadas pela Igreja Católica há 800 anos. 

O pedido de desculpas foi realizado em um evento na Catedral de Oxford no domingo (8), em comemoração ao aniversário do Sínodo de Oxford de 1222, que ocasionou a expulsão em massa de judeus da Inglaterra 68 anos depois.

A cerimônia contou com a presença de líderes religiosos, incluindo o rabino chefe da Grã-Bretanha Ephraim Mirvis e representantes do arcebispo de Canterbury Justin Welby, líder da Igreja Anglicana.

Na época, o Sínodo de Oxford promulgou os decretos do Quarto Concílio de Latrão (1215) e acrescentou uma série de outras medidas antijudaicas para a igreja medieval na Inglaterra.

Os cânones estabeleceram a discriminação dos judeus no país, proibindo interações sociais entre judeus e cristãos, estabelecendo dízimos específicos para os judeus e impondo o uso de um crachá de indentificação para os judeus ingleses. 

As leis discriminatórias foram seguidas por mais decretos antissemitas e culminaram na expulsão em massa de judeus no país. 

O evento, em parceria com a Congregação Judaica de Oxford, foi uma oportunidade para pedir perdão pelas ações antijudaicas.

"O culto de hoje na Catedral de Oxford é uma oportunidade para lembrar, se arrepender e reconstruir. Oremos para que inspire os cristãos de hoje a rejeitar as formas contemporâneas de antijudaísmo e antissemitismo e a apreciar e receber o presente de nossos vizinhos judeus”, declarou o arcebispo Welby no Twitter, no domingo (8).

Na cerimônia, também foi reconhecida as relações judaico-cristãs desde a publicação de Nostra Aetate, um relatório do Concílio Vaticano II, em 1965, que condenou o ódio à comunidade judaica.

“Este Sínodo... deplora e condena o ódio e as perseguições de judeus, quer tenham surgido no passado ou em nossos dias”, afirma o documento.

Em comunicado à imprensa, a Diocese de Oxford reiterou sua posição: “Nossa intenção é que esta comemoração seja um forte sinal de um potencial tão rico, refletido na profundidade do encontro e serviço inter-religioso que existe cada vez mais em Oxford e em toda a nossa sociedade”.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE THE JERUSALEM POST

segunda-feira, 9 de maio de 2022

“O cristianismo progressista pode mandar uma pessoa para o inferno”, diz Franklin Graham O pastor explica por que os cristãos progressistas têm minado princípios da Palavra de Deus.

                                              Franklin Graham, fundador da Samaritan's Purse. (Foto: BGEA)

O pastor Franklin Graham acredita que há uma guerra sendo travada contra o cristianismo bíblico por meio do “cristianismo progressista”, em um artigo publicado em 1 de maio na revista Decision, vinculada à Associação Evangelística Billy Graham

“Surgiu nos salões dos seminários, se infiltrou nos púlpitos de milhares de igrejas e foi propagado por uma mídia liberal ímpia”, disse o pastor. Ele acredita que o cristianismo progressista está empenhado “em lançar dúvidas e minar os princípios fundamentais da Palavra de Deus.”

Graham lembra que uma das maiores críticas do apóstolo Paulo aos Gálatas é que eles estavam seguindo “outro Evangelho”. Ele disse: “Algumas pessoas os estão perturbando, querendo perverter o evangelho de Cristo.” (Gl 1:7)

O pastor afirma que o mesmo se aplica hoje aos defensores do cristianismo progressivo. “Eles enganosamente promovem o que eu acredito ser claramente um ‘outro evangelho

que, na realidade, não é o Evangelho’ (Gl 1:6-7)”, disse. 

Ele então destacou: “O cristianismo progressista não é o evangelho de forma alguma. Não tem nada a ver com o Evangelho da morte e ressurreição de Cristo. Isso não resulta em nada além de confusão espiritual e caos.”

Pautas de gênero, raça e justiça social

Para Graham, o cristianismo progressista nega a verdade da Bíblia em várias áreas da vida. “Por exemplo, embora as Escrituras digam claramente que o casamento é entre um homem e uma mulher, os defensores do cristianismo progressista distorcem a verdade da Palavra de Deus sobre a sexualidade, se concentrando em tendências sem sentido, como a identidade de gênero.” 

“Eles negam a distinção dos sexos feita por Deus e, em vez disso, inventam seus próprios padrões equivocados, não guiados pela Palavra de Deus”, continua. “As influências culturais degradantes que abraçam movimentos como o casamento gay têm mais influência sobre suas crenças do que a Bíblia.”

Quando se trata de pautas raciais e sociais, Graham diz que os cristãos progressistas se esquecem que o maior problema do homem é o pecado. “O cristianismo progressista falha em ver as consequências desastrosas do estado depravado e pecaminoso da humanidade”, afirma.

Por isso, o pastor alerta: “O perigo real é que o cristianismo progressista pode enviar uma pessoa para o inferno”.

“Eu sei que parece duro, mas é verdade”, continua. “Amar as trevas mais do que a luz terminará em uma eternidade no inferno.”

Em uma mensagem aos pastores, Graham diz que é preciso voltar a “pregar a Palavra”.

“Os evangélicos precisam guardar a verdade de uma vida e pregação bíblica, permanecendo verdadeiros e ousados ​​sobre o que a Bíblia ensina claramente”, finaliza. “Não há outra maneira de ser salvo por toda a eternidade.”

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DA DECISION


sexta-feira, 6 de maio de 2022

No aniversário de Israel, parlamentar pede a construção do Terceiro Templo Itamar Ben-Gvir é um dos maiores defensores da construção do Terceiro Templo no Parlamento de Israel.

                   Itamar Ben-Gvir subindo ao Monte do Templo em Jerusalém. (Foto: Temple Mount Heritage Foundation)

Um membro do Knesset (o parlamento de Israel) visitou o Monte do Templo nesta quinta-feira (5), quando as visitas judaicas foram retomadas ao local por causa do Dia da Independência de Israel.

Durante sua visita, o parlamentar israelense Itamar Ben-Gvir declarou: “Chegou a hora de aprovar a construção de uma sinagoga judaica no Monte do Templo”. Segundo o site Israel 365 News, sua declaração faz relação com o Terceiro Templo.

No dia em que o Estado de Israel celebra 74 anos, as visitas de judeus foram retomadas, após terem sido interrompidas durante o Ramadã. No entanto, o clima no Monte do Templo entre árabes e judeus ainda era de tensão.

Segundo a AP News, dezenas de palestinos se reuniram, cantando “Alá é o maior”. A Polícia de Israel tentou conter os manifestantes enquanto alguns palestinos se abrigavam dentro da própria mesquita. 

Antes de subir o Monte, Ben-Gvir enfatizou no Twitter a importância de visitar o Monte do Templo: “A ascensão dos judeus ao Monte do Templo hoje só prova que o Hamas é uma organização fraca que pode ser facilmente subjugada”, disse. 

“No 74º Dia da Independência do Estado de Israel, é importante que mesmo os governantes se lembrem de que somos um Estado independente”, acrescentou.

Preparação para o Terceiro Templo

Enquanto o “status quo” do Monte do Templo voltou em questão — definindo que apenas os muçulmanos orem lá, e pessoas de outras religiões façam apenas breves visitas — alguns parlamentares de Israel têm se preparado para o futuro Templo.

No ano passado, o Knesset discutiu a substituição da rampa de acesso ao Monte do Templo, sugerindo construir um acesso permanente para o futuro projeto do Terceiro Templo.

Ao longo da discussão, os parlamentares e ativistas ressaltaram a conexão judaica com o Monte do Templo e seu desejo de construir o Terceiro Templo. Também houve apelos para tornar o Monte do Templo mais acessível para os judeus. 

“A situação está muito longe do que deveria ser”, reclamou Itamar Ben-Gvir, do Partido Sionista Religioso, que liderou a discussão. “Não estamos satisfeitos com o que temos. [Ter acesso ao Monte do Templo] é uma boa situação, mas pode melhorar.”

FONTE: RVG, COM INFORMAÇÕES DO ISRAEL 365 NEWS

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

NOSSOS OUVINTES,ONLINE, PELO MUNDO

Flag Counter

Heidi Baker sobre a perseguição: “Terroristas podem nos matar, mas não tiram Jesus de nós” A missionária, que vive em Moçambique há quase 30 anos, testemunhou histórias de fé durante a On Mission, em SP.

                               Heidi Baker durante ministração no On Mission, em SP. (Foto: Francielle Cecilia / Global Awakening) Uma das p...