WEB RÁDIO VERDADE GOSPEL

ISLAIDE TESTE

ISLAIDE TESTE
webradioverdadegospel@gmail.com

DISPONÍVEL NA PLAY STORY

DISPONÍVEL NA PLAY STORY
DISPONIVÉL NA PLAY STORY

JOÃO 3:16

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUPLICIDADE

IBADEP TEOLOGIA

IBADEP TEOLOGIA
IBADEP TEOLOGIA

quinta-feira, 27 de janeiro de 2022

Inverno leva outra crise ao Afeganistão, mas cristãos não perdem a fé: ‘Deus vai agir’ Fome e frio: representante de uma organização cristã, que trabalha nas regiões mais afetadas, disse que muitos estão vendendo seus filhos por comida.

 

                                                Inverno nas regiões montanhosas do Afeganistão. (Foto: Pixabay)

Enquanto a temperatura cai, os afegãos enfrentam mais uma crise. A comida já era escassa, e agora, além do risco de morrer de fome, há também o risco de morrer de hipotermia. 

Vale lembrar que o Afeganistão foi atingido também por um terremoto de magnitude 5,3, no dia 17 de janeiro, abalando o oeste do país, deixando 26 mortos, várias pessoas feridas e muitas casas destruídas no distrito de Qadis.

“O Afeganistão é um país muito frio porque é montanhoso. E a fase do frio mais severo está acontecendo agora”, disse Reza do Global Catalytic Ministries (GCM) — organização de ex-muçulmanos que seguem a Cristo e pregam o Evangelho em diversos países. 

O GCM é um dos poucos grupos com acesso ao Afeganistão. A equipe presente nas regiões mais afetadas diz que tem feito todo o possível para manter as pessoas vivas. 

Colapso da economia no Afeganistão

Aproximadamente 80% do antigo orçamento nacional do Afeganistão era dos Estados Unidos e de outros doadores estrangeiros. 

Mas, em agosto de 2021, a economia entrou em colapso após a desastrosa retirada das tropas dos EUA e a tomada do Talibã.

Como uma nação sem litoral, o Afeganistão depende de importações de alimentos e de todos os demais itens para sobreviver, e o Ocidente provavelmente não levantará sanções ou restrições bancárias tão cedo, conforme o Mission Network News (MNN). 

De acordo com o Programa Alimentar Mundial, cerca de 23 milhões de afegãos enfrentam fome aguda; mais de 8,5 milhões estão “à beira da fome”. E, mesmo com o apelo da ONU — o maior apelo de todos os tempos — os doadores internacionais continuam céticos. 

Reza explica que o pedido que a ONU fez de 5 bilhões de dólares para ajudar o Afeganistão, fez com que os doadores temessem que essa assistência dê ainda mais poder ao Talibã. 

O Talibã não aceita ajuda de organizações

O receio dos doadores internacionais é que o Talibã não ajude o povo como tem prometido. 

Afinal, o que tem sido observado, é que os extremistas islâmicos não aceitam ajuda de organizações que atuam no país. “Por esse motivo, não tem sido realizado muito trabalho de socorro ao povo afegão”, disse Reza.

Enquanto metade do país enfrenta a fome, um dos líderes do Talibã usou linguagem religiosa para descrever a situação, chamando a fome de “teste da parte de Deus depois que as pessoas se rebelaram contra ele”. 

“Muitas pessoas estão passando fome. As pessoas estão até vendendo seus filhos por comida”, apontou Reza para o desespero dos cidadãos. 


“Eles estão apenas esperando para ver quando vão morrer porque não há esperança. Esses alimentos realmente trazem esperança novamente aos seus corações e os fazem ver que sim, Deus cuida deles”, disse um líder cristão que preferiu não ser identificado.                                 (Foto: Cortesia do Global Catalytic Ministries)

Levando um pouco de esperança

“Trouxemos dinheiro para dentro do país para comprar comida para as pessoas; comprar carvão e madeira porque está muito frio”, Reza compartilhou.

“Nem todo lugar no Afeganistão tem gás natural e eletricidade, então muitas pessoas usam carvão e madeira para manter suas casas aquecidas. Conseguimos distribuir muitos quilos de comida até agora”, continuou.

Ainda com tantas dificuldades visíveis, Reza disse que acredita que “o Senhor está prestes a fazer algo inspirador no Afeganistão”. 

“Queremos reconstruir e restaurar a Igreja porque dois terços dos crentes deixaram o país”, revelou ao contar que essa é a meta da organização para 2022.

“O que aconteceu com o Talibã tomando o país gerou um momento que eu chamo de ‘momento Gideão’. Os crentes estão diminuindo para talvez algumas centenas. Mas através de algumas centenas, o Senhor vai dominar a nação”, concluiu.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE MNN

quarta-feira, 26 de janeiro de 2022

Cristãos no Egito usam tatuagem de cruz para mostrar fidelidade a Jesus na perseguição A tradição dos cristão coptas de tatuar uma pequena cruz no pulso ou na mão é uma declaração pública da fé.

 

                         Os cristãos coptas têm a tradição de tatuar uma pequena cruz na mão ou no pulso. (Foto: Open Doors USA).

Mesmo vivendo num país de maioria islâmica, os cristãos egípcios continuam declarando sua fé em Cristo com ousadia e coragem. No Egito, a 20° nação mais perigosa para ser um cristão no mundo, é comum ver crentes com tatuagens de cruz, até mesmo em crianças cristãs.

De acordo com a Portas Abertas, no século VII, o Egito se transformou de uma nação cristã para um país muçulmano e os egípcios cristãos passaram a sofrer perseguição. Os crentes que permaneceram no Egito após a mudança, passaram a tatuar uma pequena cruz no pulso ou na mão, com o propósito de mostrar que eram seguidores de Jesus e que eram obrigados a pagar imposto por causa de sua fé.

Os cristãos coptas, egípcios membros da Igreja Ortodoxa Copta, adotaram a tatuagem como uma tradição religiosa, numa expressão de sua fidelidade a Deus em meio às dificuldades.

“As tatuagens mostram que o portador pertence a Jesus. Carregar um símbolo que nunca desaparecerá significa, que não importa o que aconteça, você carrega consigo um lembrete de seu compromisso com Deus e o compromisso dele com você”, explicou a Portas Abertas.

Os cristãos coptas têm a tradição de tatuar uma pequena cruz na mão ou no pulso.                                                           (Foto: Open Doors USA).

Com o maior símbolo cristão tatuado no pulso, os cristãos coptas fazem uma declaração pública de sua fé, numa parte do corpo visível a todos. É um ato radical de fé, coragem e resistência diante da opressão islâmica que enfrentam. 

Segundo o Portas Abertas, a perseguição aos seguidores de Cristo no Egito acontece tanto através de atos de violência, como ataques terroristas a igrejas e assassinatos, quanto a partir de pressão social e familiar para abandonar a fé cristã.

Os coptas, que representam cerca de 10% dos 96 milhões de habitantes do Egito, foram alvo de frequentes ataques do Estado Islâmico nos últimos anos.

Em 2015, 21 cristãos coptas foram decapitados por militantes do grupo numa praia na Líbia. A execução foi gravada e divulgada pelo grupo extremistas como uma mensagem de ameaça ao "povo da cruz".

Os cristãos coptas têm a tradição de tatuar uma pequena cruz na mão ou no pulso.                                                                (Foto:  Open Doors USA).

Os coptas foram sequestrados em incidentes separados na Líbia ao longo de Dezembro de 2014 e Janeiro de 2015, antes de ser lançado um vídeo, mostrando a sua decapitação em massa, no dia 15 de fevereiro de 2015.

O vídeo intitulado "Uma mensagem assinada com o sangue para a nação da Cruz" mostrou uma série de militantes do Estado Islâmico atrás dos cristãos, que estavam ajoelhados e usando macacões laranja. Logo após, os 21 cristãos coptas foram decapitados ao mesmo tempo e tiveram suas execuções registradas pelas câmeras.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DA OPEN DOORS USA

terça-feira, 25 de janeiro de 2022

Portas Abertas pede que cristãos boicotem as Olimpíadas de Pequim devido à perseguição David Curry disse que os cristãos têm a obrigação de protestar pelos irmãos perseguidos na China.

            Protesto contra os Jogos de Inverno na China. (Foto: Facebook/Australia Tibet Council).

O diretor da Portas Abertas dos Estados Unidos está pedindo que os cristãos boicotem os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, na China, devido à perseguição do país comunista aos seguidores de Cristo e a outras minorias religiosas. 

O pedido de David Curry foi feito durante uma coletiva de imprensa na quarta-feira (19), onde apresentou a Lista Mundial da Perseguição 2022, destacando as ações do governo chinês contra os cristãos.

Curry afirmou que as Olimpíadas de Pequim, que iniciam em 4 de fevereiro, é “um exemplo de como a China está usando esportes, dinheiro e investimentos em infraestrutura em todo o mundo para encobrir suas violações de direitos humanos”.

Elogiando o boicote diplomático do governo dos Estados Unidos, David Curry declarou que todo cristão tem a obrigação de protestar contra o evento. 

“O Portas Abertas EUA está pedindo a todos os cristãos que se juntem a este boicote às Olimpíadas em nome de nossos irmãos e irmãs perseguidos na China. Estou sugerindo que as pessoas não assistam às Olimpíadas, que não participem da maneira que normalmente fariam”, declarou.

O diretor também lembrou que a perseguição na China, classificada em 17° lugar na Lista da Portas Abertas, se estende aos uigures, um grupo étnico muçulmano da região do extremo oeste do país, que o Partido Comunista Chinês (PCC) submete a trabalhos forçados em campos de detenção

Preocupação com os uigures

Em fevereiro deste ano, o Guiame publicou uma matéria mostrando que mulheres estão sofrendo estupro e tortura nos tais “campos de reeducação” pelos líderes comunistas do país.

Durante reunião da terceira comissão da Assembleia Geral da ONU, em outubro deste ano, 43 países exigiram que a China “garanta o respeito do Estado de Direito” aos uigures em Xinjiang.

“Estamos particularmente preocupados pela situação na região autônoma uigur de Xinjiang”, ressaltou o diplomata francês, citando relatos críveis da existência de “campos de reeducação política onde mais de 1 milhão de pessoas estão detidas arbitrariamente”.

A declaração do diplomata fala também de tratamento cruel, desumano e degradante, esterilização forçada, violência sexual e de gênero, e separação forçada de crianças, voltadas “desproporcionalmente aos uigures e aos membros de outras minorias”. 

Os cristãos chineses, em particular, têm sido perseguidos e ameaçados a enviar seus filhos para campos de reeducação do governo. Uma das formas de pressionar os pais é dizendo que vão retirar a guarda deles sobre seus próprios filhos.

Previsão de um futuro tenebroso

Segundo Curry, o PCC usa alta tecnologia para suprimir a liberdade religiosa de cristãos e uigures. “A China está usando um manto de vigilância monitorado por inteligência artificial para observar os movimentos das pessoas de fé. Está até usando o reconhecimento facial para monitorar quem entra nos locais de culto”, explicou.

“A China implementou recentemente restrições adicionais às Bíblias e literatura cristã online, por exemplo. Somente grupos que reconhecem o Partido Comunista da China e sua censura de seus sermões e Bíblias poderão distribuir as Escrituras”.

O diretor ainda alertou que, num futuro próximo, o controle do governo chinês irá se intensificar. “100 milhões de seguidores de Jesus na China serão submetidos a Bíblias que têm elementos-chave removidos ou alterados porque entram em conflito com o dogma comunista”, afirmou.

Em um plano para centralizar e monitorar o comportamento das pessoas, Curry ainda previu que a China adotará moedas digitais, “o que cortaria a capacidade de cristãos e outros que não se conformam com o governo de fazer qualquer coisa, até mesmo comprar um pão”.

Na quarta-feira (19), a Missão Portas Abertas, que monitora a perseguição no mundo, divulgou a Lista Mundial da Perseguição 2022, com os 50 países que mais perseguem cristãos. Atualmente, 360 milhões de crentes sofrem perseguição por sua fé no mundo todo. 

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO THE CHRISTIAN POST

sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

Pastores são presos na Índia sob falsa acusação de forçar conversões ao cristianismo Sete membros das igrejas dos líderes também foram detidos pela polícia.

 

                    Sete membros das igrejas dos líderes também foram detidos pela polícia. (Foto: International Christian Concern)

.Dois pastores foram presos no estado de Madhya Pradesh, na Índia, sob falsas acusações de converterem pessoas ao cristianismo à força. Outros sete cristãos, membros das igrejas dos líderes, também foram detidos pela polícia. As prisões aconteceram em dois episódios diferentes, na semana passada.

De acordo com a International Christian Concern, organização que monitora a perseguição religiosa no mundo, no dia 9 de janeiro, a polícia invadiu o culto na igreja doméstica do pastor Ramesh Vasuniya, na vila de Padalya, e o levou preso. Os policiais também prenderam outros cinco crentes que participavam da celebração.

O mesmo aconteceu em uma igreja na vila de Bisoli. O pastor Jansingh e dois membros, Ansingh e Mangu, foram levados pela polícia durante o culto. Quando a esposa de Jansingh perguntou qual o motivo da prisão, as autoridades responderam que o líder estava promovendo cultos em Bisoli, quando havia sido proibido de fazê-lo.

O pastor Jansingh, Ansingh e Mangu foram levados para a delegacia de polícia, onde foram espancados pelos agentes e ficaram gravemente feridos. No dia seguinte, os policiais revistaram a casa de Jansingh à procura de provas para as falsas acusações de conversão forçada.

Bíblias, um certificado de curso bíblico e outros documentos foram confiscados como evidências. Além disso, a polícia exigiu que a esposa do pastor pagasse 300 mil rúpias, a ameaçando de nunca mais voltar a vê-lo. 

Segundo líderes locais, os tribunais inferiores rejeitaram os pedidos de fiança de todos os nove cristãos presos. Agora, as famílias irão recorrer da decisão no Tribunal Superior.

FONTE: RVG, COM INFORMAÇÕES DE INTERNACIONAL CHRISTIAN CONCERN

quinta-feira, 20 de janeiro de 2022

Boston nega hasteamento de bandeira cristã e caso vai parar na Suprema Corte A ação foi compreendida como intolerância religiosa e exclusão da comunidade cristã dos novos planos do governo.

 

                   Bandeiras hasteadas em frente à Prefeitura de Boston, Massachusetts, EUA. (Foto: Wikimedia Commons)

O caso conhecido por “Shurtleff x Boston”, que foi discutido perante a Suprema Corte dos Estados Unidos, na terça-feira (18), é de interesse de todos os cristãos que prezam pela liberdade religiosa

Harold Shurtleff é diretor da Camp Constitution — uma organização cristã focada em ensinar os princípios de liberdade. O grupo atua através de acampamentos de verão para famílias e jovens, mantendo também uma rádio e um veículo editorial. 

Em setembro de 2017, Shurtleff e sua organização solicitaram à cidade de Boston uma permissão para hastear a bandeira cristã no terceiro mastro da Prefeitura de Boston, a fim de comemorar o Dia da Constituição e o Dia da Cidadania, em 17 de setembro.

As comemorações cívicas e culturais realizadas pela comunidade cristã da cidade de Boston, visam enfatizar a importância da tolerância religiosa, o Estado de Direito e a Constituição dos Estados Unidos. 

Sobre o caso “Shurtleff x Boston”

Embora o pedido de Shurtleff seja algo comum, desta vez a resposta veio de forma negativa. Conforme ele explica, entre 2005 e 2017, a cidade de Boston aprovou 284 hasteamentos de bandeiras por organizações privadas sem nenhuma negação. 

Mas o pedido nº 285, de Shurtleff, foi negado apenas porque ele usou as palavras “bandeira cristã” em seu pedido. O caso foi levado ao Liberty Counsel que, desde então, tem lutado no tribunal para manter vivo o direito constitucional de Shurtleff de hastear a bandeira. 

Ele chegou à Suprema Corte no dia 18 de janeiro e o fundador e CEO da Liberty Counsel, Mat Staver, apareceu em frente ao tribunal superior para defender o caso de Shurtleff.

“Meu argumento foi simplesmente que a cidade de Boston censurou descaradamente pontos de vista religiosos. Gregory Rooney, comissário da cidade de Boston, negou o pedido apenas por causa da palavra ‘cristã’. Essa discriminação é inconstitucional”, ele disse.

Por outro lado, o advogado da cidade de Boston afirmou que o objetivo da cidade é promover “a diversidade das comunidades”, uma declaração escolhida pelo juiz Clarence Thomas.

Os cristãos não fazem parte da diversidade?

De acordo com informações do Charisma News, houve um debate sobre a não inclusão dos cristãos na “diversidade selecionada pela cidade de Boston”. 

Conforme explicou o advogado Mat Staver: “Eles querem reconhecer a diversidade, mas estão dizendo que os cristãos não fazem parte dela. A bandeira de Bunker Hill, que a cidade de Boston já hasteou, é praticamente idêntica à bandeira cristã, com exceção do esquema de cores”, ele argumentou.

“A bandeira cristã é branca com um quadrado azul e uma cruz vermelha. A bandeira do Bunker Hill é azul com um quadrado branco e uma cruz vermelha”, continuou. 

‘Orem pela liberdade de religião’

Staver disse que o tribunal, provavelmente, não chegará a uma decisão sobre o caso até junho deste ano, quando o tribunal superior terminar seu mandato final. 

“Enquanto isso, os nove juízes votarão o caso e um juiz será designado para escrever um parecer sobre a questão que está em jogo, antes que a decisão seja tornada pública. Pedimos a oração de todos os cristãos, pois este caso pode afetar a liberdade de expressão das pessoas, num futuro próximo”, finalizou o advogado de defesa.

Entenda sobre o hasteamento de bandeiras em Boston

Do lado de fora da Prefeitura de Boston há três mastros de bandeira — o primeiro para a bandeira dos EUA, o segundo para a bandeira do estado de Massachusetts e o terceiro é livre para homenagens a grupos étnicos, celebrações culturais, eventos históricos ou outras solicitações.

Em várias ocasiões, a cidade cedeu o espaço do terceiro mastro para bandeiras de outros países, inclusive do Brasil. Até a bandeira do orgulho LGBTQ já foi hasteada em frente à Prefeitura de Boston.

Mas ao Camp Constitution foi negado o mesmo direito. De acordo com o Christianity Today, o pedido também tinha como objetivo “melhorar a compreensão da herança moral judaico-cristã”. 

Parece que o discurso de livre direito de hasteamento de bandeiras mudou de uma hora para outra. O Tribunal Distrital Federal e o Tribunal de Apelações do Primeiro Circuito ficaram ao lado de Boston, alegando que hastear uma bandeira no terceiro mastro era direito do governo e não de iniciativa privada por parte dos cidadãos. O caso agora aguarda determinação da Suprema Corte.  

FONTE: RVG, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIANITY TODAY E CHARISMA NEWS

quarta-feira, 19 de janeiro de 2022

Mulher infértil engravida após oração de missionárias brasileiras em Burkina Faso Sem recursos médicos no país de extrema pobreza, a enfermeira Clara e a voluntária Larissa recorreram ao médico dos médicos em oração.

 

                 As missionárias Clara Gandolfi e a Larissa Perske com a mãe e a bebê Graça. (Foto: Stefani Lang/CACEMAR).

Quando faltaram recursos médicos para ajudar uma mulher infértil que sonhava em ser mãe, em Burkina Faso, na África, as missionárias brasileiras Clara Gandolfi e a Larissa Perske recorreram ao médico dos médicos em oração.

Em janeiro de 2021, durante a expedição missionária da ONG CACEMAR no país africano, a mulher burquinense, de cerca de 30 anos, participou das palestras de Saúde da Mulher, ministrada por Clara, que é técnica de enfermagem. 

Após a palestra, ela foi à consulta de enfermagem e contou que tinha dificuldades para engravidar e já tinha perdido quatro gestações. Ela questionou o porquê isso acontecia, já que seu maior sonho era ter um filho.

Clara, que cursa Enfermagem na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCPA), não tinha os recursos necessários para investigar as causas da infertilidade da paciente. A missionária também sabia que em um país de extrema pobreza, os tratamentos médicos são precários e muito caros, além disso, não existe Saúde pública em Burkina Faso.

“Naquele momento eu vi todo meu estudo e recursos não serem suficientes. Respondi para a mulher que eu não poderia fazer nada por ela, não tinha os recursos necessários. Quando vemos que o natural falha, o sobrenatural atua”, relatou Clara ao Guiame.

Acompanhada pela missionária Larissa, a enfermeira disse à mulher infértil que conhecia o Deus do impossível que poderia fazer um milagre em sua vida e perguntou se permitia que orassem por ela. Prontamente, a paciente respondeu que sim.

“Colocamos as mãos na barriga dela e oramos pedindo um milagre para Deus. Ela chorou muito em toda oração. No final, ela disse que acreditava que o Senhor poderia fazer um milagre”, contou Clara.

           A mãe colocou o nome da filha de Graça. (Foto: Stefani Lang/CACEMAR).

Numa nação de maioria islâmica, onde pode ser arriscado se identificar como cristão, as missionárias brasileiras colocaram a fé em ação, com coragem e compaixão por uma mulher que sonhava em se tornar mãe.

“Eu e a Larissa fomos movidas pelo Espírito Santo, não pensando nas circunstâncias ou na realidade que estava à nossa frente. Unicamente demos um passo de fé, crendo no agir sobrenatural de Deus. Ficamos muito surpreendidas com a presença de Deus palpável naquele momento”, testemunhou Clara.

Gerando um milagre

Com o final da expedição missionária, Clara e Larissa retornaram ao Brasil e continuaram pedindo uma intervenção divina na vida da burquinense. “O ano inteiro eu orava pedindo para Deus honrar a fé dessa mulher e conceder um filho para ela”, disse a enfermeira.

Em novembro de 2021, a missionária Rejane Kologo, líder da missão e que mora em Burkina, relatou que uma mulher foi à igreja local e pediu para avisarem a enfermeira brasileira que a oração dela tinha sido ouvida e que ela tinha ganhado um bebê. 

Neste mês, durante a 3ª expedição “Let’s go to Africa”, Clara e Larissa voltaram a Burkina e a mulher curada da infertilidade as convidou para conhecer seu bebê milagre, exatamente após 1 ano da oração das missionárias. 

As missionárias Clara Gandolfi e a Larissa Perske com a bebê Graça. (Foto: Stefani                                                                   Lang/CACEMAR).

“Quando chegamos na casa dela, lágrimas não puderam ser contidas. A gratidão dela a Deus era incrível. Ela colocou o nome da menina de Graça, pois foi a graça de Deus sobre a vida dela e do seu esposo”, disse Clara.

As missionárias puderam testemunhar o fruto de suas orações e segurar o milagre de Deus em seus próprios braços. “Essa família provou da bondade e da graça do Senhor. E eu e a Larissa conhecemos um Deus de milagres, que muitas vezes só conhecemos de ouvir falar. Mas Deus continua sendo Deus e fazendo muitos milagres”, declarou a enfermeira.

Sobre o Let’s go to Africa

O projeto “Let’s to go Africa” já está em sua terceira edição e envia voluntários para desenvolver projetos humanitários na base da ONG CACEMAR (Centro de Acolhimento Casa Esperança e Missão Refúgio), em Burkina Faso. 

Os participantes da expedição têm a oportunidade de contribuir com a missão, que já atua na África há mais de 20 anos, trabalhando em ações sociais com mulheres e com os garibous, meninos escravizados pela cultura islâmica. A equipe de voluntários também atua em aldeias de Burkina e na igreja local.

Burkina Faso é um país de maioria muçulmana e, apesar de ser uma nação democrática e de sua constituição garantir liberdade religiosa, a população islâmica tem se radicalizado e grupos extremistas têm ganhado força no país. Nesse contexto, o país está na 32° posição na Lista de países perseguidos do Portas Abertas de 2020, classificando a nação na janela 10X40, a região no mundo mais fechada para o Evangelho.

FONTE: rvg, CÁSSIA DE OLIVEIRA  GUIAME

terça-feira, 18 de janeiro de 2022

Pastora e mãe do cantor Delino Marçal é morta a pancadas em frente a igreja, em GO Odete Rosalina da Costa, de 79 anos, foi agredida até a morte por um homem que pulou o muro da igreja e invadiu o local com discurso de ódio a evangélicos.

 

                                          A pastora Odete, de 79 anos, era mãe de Delino Marçal. (Foto: Delino Marçal/Instagram)

A pastora Odete Rosalina da Costa, de 79 anos, foi morta na manhã desta sexta-feira (14) em frente a uma igreja Assembleia de Deus, na região Oeste de Goiânia.

De acordo com a Polícia Civil de Goiás, Odete sofreu pancadas e foi agredida até a morte. O suspeito de 22 anos foi preso.

Odete é mãe do cantor gospel Delino Marçal, vencedor do Grammy Latino Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa de 2019 e que dá voz à conhecida música "Deus é Deus". O cantor ainda não se pronunciou sobre o acontecimento.

Segundo o jornal Metrópoles, testemunhas relataram que a pastora Odete estava em oração com os fiéis quando o suspeito pulou o muro da igreja e invadiu o local com discurso de ódio a evangélicos.

“O autor teria se envolvido em uma briga com parentes e logo após saiu para rua. Ele entrou na igreja e iniciou uma briga com um homem e, logo após, teria acertado a vítima com vários golpes com um objeto de metal”, diz trecho do boletim de ocorrência obtido pelo g1.

        A pastora Odete foi agredida até a morte em Goiânia. (Foto: Reprodução/Google                                                                                  StreetView)

A Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH) informou que, após matar a vítima, o suspeito deixou o local do crime e começou a jogar pedras em alguns ônibus, até ser encontrado e preso pela Polícia Militar.

O suspeito foi encaminhado para a Central de Flagrantes, em Goiânia, mas não teve o nome divulgado pela polícia. O nome e a idade da vítima foi confirmada ao Metrópoles pelo superintendente da Polícia Técnico-Científica de Goiás, Ricardo Matos.

A equipe do Portal Guiame lamenta a morte da pastora Odete e ora para que Deus console os familiares e amigos.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO METRÓPOLES E G1

segunda-feira, 17 de janeiro de 2022

Líder alerta maridos viciados em pornografia: ‘Deus te criou para desejar sua esposa’ Durante um evento exclusivo para homens, pastores alertam que a indústria pornográfica é uma forma de atacar casamentos.

 

               Ken Harrison, presidente e CEO do ministério Promise Keepers. (Foto: Captura de tela/YouTube Promisse Keepers)

O presidente e CEO do ministério Promise Keepers, Ken Harrison, falou sobre os homens viciados em pornografia em tom de alerta: “Deus não criou você para ser assim”.

A Promise Keepers é uma organização cristã paraeclesiástica focada no público masculino, com sede nos Estados Unidos, mas com filiais independentes também estabelecidas no Canadá e na Nova Zelândia. 

Durante o evento virtual que durou 2 horas e aconteceu na última segunda-feira (10), o “Promise Keepers Marriage Summit 2022”, Harrison disse que esteve em reunião com vários homens que alegaram “não conseguir evitar a pornografia”.

‘O homem deve sentir desejo pela sua esposa’

Harrison respondeu prontamente ao grupo de homens: “Não, não, não… Deus não criou você para ser assim. Deus criou você para ter um desejo intenso por sua esposa. Para que os dois se tornem uma só carne”, alertou.

Segundo o líder, foi o pecado que criou esse mesmo desejo sexual por outras mulheres. “A Bíblia diz que devemos fugir do pecado. É uma ação. E deve ser uma fuga feroz, porque isso nos separará de Deus, de nossos filhos e de nossas esposas”, disse ainda. 

Harrison acrescentou que “os homens pensam que têm que viver suas vidas carregadas de pensamentos inclinados para os desejos sexuais e para a luxúria”.

“Estou lhes dizendo que não é assim. A Bíblia é clara ao dizer que devemos fugir de desejos lascivos”, continuou.

Mulheres no mundo da pornografia

Harrison alertou que a mulher envolvida em pornografia “não está fazendo isso porque está se divertindo, ao contrário, ela está fazendo isso porque foi sexualmente traumatizada ou abusada”. 

“As pessoas que ‘trabalham’ produzindo esse tipo de filme não fazem isso para o seu bem. Eles estão fazendo isso porque cada vez que você clica com seu mouse para ver um vídeo desses, eles ganham mais dinheiro para explorar mais pessoas”, acrescentou. 

Durante o evento, vários palestrantes ofereceram conselhos sobre o casamento e falaram sobre os perigos da pornografia. Jimmy Evans, fundador e CEO da Marriage Today, disse que “o casamento é o relacionamento mais seguro do mundo”.

Sobre a segurança do relacionamento entre homem e mulher

“Mesmo com todos os problemas que as pessoas estão tendo no casamento hoje, ele ainda é o relacionamento mais seguro do mundo. Você tem 100% de chance de sucesso no casamento quando faz as coisas do jeito de Deus”, assegurou Evans. 

Mas, Samuel Rodriguez, presidente da Conferência Nacional de Liderança Cristã Hispânica, também enfatizou sobre o “ataque sem precedentes que o casamento vem enfrentando, nos dias atuais”. 

“Indiscutivelmente, nunca vimos a instituição do casamento mais ameaçada do que nos últimos anos. E a pornografia é uma das formas de ataque”, alertou. 

A importância de um casamento saudável

“Casamentos saudáveis ​​produzem famílias saudáveis. Famílias saudáveis ​​assimilam e formam igrejas saudáveis. E igrejas saudáveis ​​produzem comunidades saudáveis”, disse Rodriguez ao enfatizar que uma comunidade saudável pode inspirar até mesmo uma nação.

Fundada em 1990, a Promise Keepers busca ministrar aos homens e promover o avivamento espiritual, afirmando em seu site que é “um dos maiores movimentos de Deus na história da Igreja”.

“Hoje, estamos em movimento novamente. Sob a nova liderança de Ken Harrison, estamos orando por um reavivamento e transformação em massa em nossa nação até 2025”, disse o ministério.

“Mais do que nunca, a América precisa de um reavivamento de homens piedosos. Nossa nação enfrenta problemas que só podem ser superados quando homens de integridade cumprem promessas e cumprem seus destinos como maridos, pais e líderes piedosos”, concluiu Harrison.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN POST

sábado, 15 de janeiro de 2022

Em batismo, ex-viciada diz que 'estaria morta' se a igreja não estivesse aberta na pandemia Jennifer Scott chegou a fumar drogas e injetar 7 gramas de cocaína por dia.

 

            Jennifer Scott lê um depoimento emocionante antes de ser batizada nas águas. (Foto: Reprodução / YouTube CBN News)

Uma igreja canadense tem uma mensagem para cristãos e casas de culto em meio à pandemia de Covid-19 em andamento: “Recusem-se a fechar suas portas”.

A Trinity Bible Chapel em Waterloo, Ontário, publicou um vídeo na terça-feira (11) de uma mulher chamada Jennifer Scott. O clipe apresentava o batismo emocionante de Jennifer e seu testemunho comovente.

A mulher compartilhou sua jornada com a congregação antes de declarar publicamente sua fé por meio do batismo nas águas.

“Eu era uma escrava da escuridão”, disse ela. “Eu cresci indo à igreja, mas não era salva.”

A jornada de Jennifer a levou ao caos e ao uso de drogas. Ela finalmente se viu “fumando e injetando 7 gramas de cocaína por dia”, mas a vida começou a mudar depois que ela concordou em participar de uma reunião de oração a pedido de seu filho.

“Meu filho me pediu para ir a uma reunião de oração na Trinity”, disse ela. “Pedi oração para me ajudar a parar [com as drogas].”

E depois que Jennifer postou um comentário em um vídeo da igreja no YouTube, o pastor estendeu a mão e começou a encorajá-la. A partir daí, a igreja a ajudou a conseguir uma cama em uma casa sóbria – e sua vida foi subitamente transformada.

“Estou limpa e sóbria há mais de sete meses”, disse ela. “O corpo de Cristo aqui em Trinity me ajudou com móveis e outras coisas.”

Jennifer também disse para a igreja prestar atenção, especificamente em uma era dominada por fechamentos e mandatos governamentais.

“Nenhuma dessas coisas teria acontecido se a Trinity fechasse as portas e estivesse apenas online”, disse ela. “Sei de fato que estaria morta agora se Deus não tivesse usado esta igreja em minha vida.”

Jennifer ficou emocionada, acrescentando: “Não estou mais paralisada pelo medo. (…) Jesus nunca parou de me perseguir”.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO FAITHWIRE

sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

Mulher suicida encontra Jesus através de programa de TV: “Caí no chão louvando a Deus” Sandra Haynes, uma ex-cantora de reggae, perdeu tudo e se tornou sem-teto ainda na adolescência.

                                   Sandra Haynes foi resgata por Deus de uma vida sombria. (Foto: YouTube/God TV).

Na adolescência, Sandra Haynes viveu uma sombria, bebendo álcool e fumando 40 cigarros por dia. Ela se tornou cantora de um grupo de reggae, em Edmonton, na Inglaterra, e alcançou a fama.

Com o sucesso na música, Sandra conseguiu comprar uma casa e tinha uma vida aparentemente boa. Mas, inesperadamente, ela perdeu tudo e entrou em profunda depressão.

"Estava cantando, as coisas estavam indo bem, e de repente, tudo quebrou. Eu não estava nada bem e comecei a ter pensamentos suicidas”, contou Haynes à God TV. A jovem se perguntava: “Qual é o sentido de viver do jeito que estou vivendo?”.

Ainda como menor de idade, a cantora perdeu sua casa e passou a morar num abrigo para sem-tetos. Lá, uma mulher lhe deu uma Bíblia e ela leu a Palavra de Deus pela primeira vez. Certo dia, procurando algo para assistir, se deparou com um programa cristão na TV. 

O programa da God TV estava transmitindo uma mensagem do pastor americano Creflo Dollar. As palavras do pregador tocaram o coração de Sandra e trouxeram a revelação do Espírito Santo sobre seu estado espiritual.

“Houve uma clareza na minha cabeça sobre o que estava acontecendo e como o diabo estava nas minhas costas, me impedindo de chegar a lugares e fazer coisas da minha vida”, disse a ex-cantora.

Naquele mesmo momento, Sandra entregou sua vida a Cristo. “Foi uma explosão de alegria. Eu caí no chão louvando a Deus e dei minha vida ali, dizendo: ‘Aleluia! Eu tenho algo para fazer, eu tenho uma vida para viver agora’”, testemunhou ela.

Desde aquele dia, Sandra Haynes nunca mais voltou à velha vida e passou a acompanhar a programação cristã na TV. Logo depois, ela procurou uma igreja, se batizou e foi transformada por Jesus. 

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE GOD TV

quinta-feira, 13 de janeiro de 2022

Mosaico de escravo agradecendo a Deus por liberdade é achado na Turquia O mosaico foi encontrado na Igreja dos Três Apóstolos, datada do século 6.

                                       Imagem ilustrativa de arqueólogos em Boteshwar. (Foto: Wikimedia Commons/Shehab)

Enquanto escavavam uma igreja do século 6 no sul da Turquia, arqueólogos encontraram um mosaico feito por um ex-escravo que agradeceu a Deus depois de ser libertado.

A escavação no distrito de Arsuz, na província de Hatay, começou em 2007, depois que a antiga Igreja dos Santos Apóstolos foi descoberta pelo turco Mehmet Keles, enquanto tentava plantar uma muda de laranjeira em seu jardim. Ele também encontrou mosaicos com figuras de animais, túmulos de pedra e restos de ossos.

Em escavações recentes, os arqueólogos encontraram mosaicos na região, incluindo um com a figura de pavão e uma inscrição em que um escravo agradeceu a Deus após ser libertado.

Ayse Ersoy, diretora do Museu de Arqueologia de Hatay, disse à Agência Anadolu que Hatay é conhecida por sua história, natureza e cultura e que o distrito de Arsuz era uma importante cidade portuária nos tempos antigos.

Ersoy explicou que a igreja e os mosaicos encontrados na área são importantes para saber como era a cidade nos séculos 6 e 7.

“Uma igreja basílica de três naves foi desenterrada aqui. Há mosaicos no chão da igreja”, disse ela. “Uma inscrição foi desenterrada e ficou claro que esta igreja tem o nome de Igreja dos Três Apóstolos.”

Ela também destacou o outro achado dos pesquisadores, que desenterraram “um mosaico feito por um escravo para agradecer a Deus após sua emancipação”. “Há pavões e uma inscrição no mosaico. E isso mostra o céu”, acrescentou.

Local será aberto para visitantes

Aproveitando que a cidade movimenta muitos turistas locais e estrangeiros, Ersoy disse que pretendem abrir a igreja e construir um telhado sobre ela.

“Este local será aberto aos visitantes como um museu a céu aberto. História, areia e mar serão apresentados aos nossos visitantes locais e estrangeiros como um pacote completo”, acrescentou.

A equipe pretende ainda continuar as escavações na região.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DA AGÊNCIA ANADOLU

quarta-feira, 12 de janeiro de 2022

Dalit que mendigava pelas ruas evangeliza homem que se transforma em líder de pastores Os dalits não possuem valor algum para a sociedade indiana, mas são valiosos para Deus e podem transformar vidas.

 Na Lista Mundial da Perseguição de 2021, a Índia é o 10º país que mais persegue cristãos no mundo. (Foto Representativa: Portas Abertas)

O indiano Kamal conta que, certo dia, um mendigo chamado Lázaro apareceu em seu bairro. Lázaro era um homem itinerante e conhecido por ser um dalit ou intocável — termo usado para pessoas consideradas “inferiores” ou fora do sistema de castas.

Lázaro sobrevivia pedindo esmolas pelas ruas. Numa noite, ele dormiu em frente à casa de Kamal. Como estava chovendo, ele conta que se apiedou e resolveu levar um cobertor velho para o mendigo, de acordo com um relatório da Global Disciples, uma organização de apoio aos cristãos.

Ao ver o gesto de Kamal, Lázaro perguntou se podia falar com ele. Os dois iniciaram um diálogo até que o mendigo começou a falar sobre Jesus e depois lhe ofereceu uma Bíblia.

Comportamento inesperado

Para a decepção do mendigo, Kamal queimou a Bíblia. Depois disso, ele não dormiu bem durante a noite, relatando que não sentiu muito sono. O mendigo se foi.

Quando Kamal acordou, teve o desejo súbito de saber mais sobre a Bíblia que nem tinha chegado a ler. Não havia cristãos em sua área, mas ele ouvia falar da existência de seguidores do cristianismo numa cidade distante, que ficava a três dias de viagem de trem.

Kamal decidiu viajar para lá. Quando chegou ao seu destino, algo notável aconteceu — ele esbarrou em Lázaro na rua. Os dois conversaram mais um pouco e, logo, já estava com outros cristãos que o ensinaram sobre a Palavra de Deus.

Poder irresistível do Espírito Santo

Movido pelo poder da Palavra e do Espírito, Kamal entregou sua vida a Jesus, reconhecendo-o como salvador de sua vida.

Atualmente, ele tem evangelizado e as pessoas ao seu redor estão se convertendo também. Ele dirige um programa de treinamento de missão de discipulado, que lançou com a ajuda da Global Disciples. 

No primeiro ano, ele conseguiu treinar 21 pessoas. “Todos eles agora são pastores”, compartilhou feliz. “Iniciamos 52 igrejas em nosso distrito. No primeiro culto de evangelismo batizamos 151 pessoas”, continuou.

Além disso, agora Kamal ajuda Lázaro, que não precisa mais pedir esmolas nas ruas e que passou a liderar uma igreja entre seu próprio povo. 

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE GOD REPORTS

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

NOSSOS OUVINTES,ONLINE, PELO MUNDO

Flag Counter

Inverno leva outra crise ao Afeganistão, mas cristãos não perdem a fé: ‘Deus vai agir’ Fome e frio: representante de uma organização cristã, que trabalha nas regiões mais afetadas, disse que muitos estão vendendo seus filhos por comida.

                                                  Inverno nas regiões montanhosas do Afeganistão. (Foto: Pixabay) Enquanto a temperatura cai...