WEB RÁDIO VERDADE GOSPEL

ISLAIDE TESTE

ISLAIDE TESTE
webradioverdadegospel@gmail.com

DISPONÍVEL NA PLAY STORY

DISPONÍVEL NA PLAY STORY
DISPONIVÉL NA PLAY STORY

JOÃO 3:16

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUPLICIDADE

IBADEP TEOLOGIA

IBADEP TEOLOGIA
IBADEP TEOLOGIA

terça-feira, 31 de agosto de 2021

Israel é o primeiro país a oferecer 3ª dose da vacina Covid a cidadãos com mais de 12 anos O país já imunizou mais de 2 milhões de israelenses com a dose de reforço, segundo o primeiro-ministro Naftali Bennett.

 

O primeiro-ministro israelense Naftali Bennett recebe a terceira dose da vacina Covid-19, em Kfar Saba. (Foto: Olivier Fitoussi/Flash90).

Israel segue liderando a corrida pela imunização contra a Covid-19 entre os países no mundo. A nação já está oferecendo a terceira dose da vacina para a população com mais de 12 anos, atingindo mais de 2 milhões de israelenses imunizados com a dose de reforço.

Neste domingo (29), o primeiro-ministro israelense Naftali Bennett anunciou numa coletiva de imprensa que a terceira dose foi estendida a cidadãos com mais de 12 anos no país. “Este é um privilégio que nenhum outro país tem”, declarou Bennett.

De acordo com Naftali, o programa de vacinação já está apresentando resultados, com a diminuição de casos com comorbidade grave. O primeiro-ministro afirmou também que o pico da campanha de imunização ainda está por vir. 

Na coletiva de imprensa, o Ministro da Saúde israelense Nitzan Horowitz, o Diretor Geral do Ministério da Saúde Nachman Ash, o chefe dos Serviços de Saúde Pública Dr. Sharon Alroy-Preis e o coordenador do projeto de coronavírus Salman Zarka apresentaram o protocolo de combate ao coronavírus. 

A proteção recomendada contra a Covid-19 e suas variantes, acontecerá da seguinte forma ao longo do tempo: a segunda dose deverá ser administrada 21 dias após a primeira, e a terceira dose cinco meses após a segunda.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE JEWISH NEWS SYNDICATE

segunda-feira, 30 de agosto de 2021

Campeão da NFL deixa carreira para se tornar pastor: “Não há um trabalho melhor” Stefen Wisniewski destaca que a alegria de conhecer a Deus supera qualquer alegria que veio do futebol americano.

 

                Stefen Wisniewski com a camisa do Philadelphia Eagles no Super Bowl LII, em 2018. (Foto: Patrick Smith/Getty Images)

Após 10 temporadas da NFL, a principal liga de futebol americano dos EUA, o bicampeão do Super Bowl, Stefen Wisniewski, está se aposentando para se tornar pastor.

“Eu sem dúvida amei jogar futebol, mas depois de 10 anos, meu corpo, minha mente e meu coração estão me dizendo que é hora de seguir em frente”, disse o atleta de 32 anos na última quinta-feira (26). 

“O que vou fazer agora? Vou ser pastor. A melhor parte da minha vida é o meu relacionamento com Jesus Cristo e não consigo imaginar um trabalho melhor em tempo integral do que ensinar a Bíblia às pessoas e compartilhar o amor de Cristo com os outros.”

Wisniewski venceu o Super Bowl com o Philadelphia Eagles e o Kansas City Chiefs. Ele também jogou pelos Oakland Raiders, Jacksonville Jaguars e Pittsburgh Steelers de 2011 a 2020.

Ele também agradeceu a todos que o apoiaram ao longo de sua carreira no futebol americano, tendo como destaque seu maior ajudador, Jesus Cristo, o “Rei do Universo e minha vida”.

“O Senhor foi minha força, minha alegria, meu propósito, minha âncora, minha vida, minha paz e minha paixão em tudo isso”, escreveu Wisniewski. “Só consegui superar os tempos difíceis por causa da Sua presença e das promessas da Sua Palavra. E a intensa alegria de Te conhecer supera de longe qualquer alegria que veio até mesmo das melhores partes do futebol. E toda a glória que as pessoas tentaram me dar por aquilo que eu fiz pertence somente a Ti”.

Wisniewski jogou futebol americano no colégio Central Catholic de Pittsburgh antes de frequentar a Universidade de Penn State. Ele foi selecionado pelo Oakland Raiders em 2011, e então assinou contrato com o Jacksonville Jaguars em 2015. 

De 2016 a 2018 ele jogou com o Philadelphia Eagles e ganhou seu primeiro Super Bowl. Em 9 de outubro de 2019, Wisniewski foi contratado pelo Kansas City Chiefs. Ele ganhou seu segundo campeonato do Super Bowl quando os Chiefs derrotaram o San Francisco 49ers no Super Bowl 54 em 2020.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DA CBN NEWS

sábado, 28 de agosto de 2021

Medalhista paralímpica quer honrar a Deus em Tóquio: “Quero levar a mensagem Dele” Grace Norman, paratleta do triatlo feminino, está em Tóquio em busca de uma medalha e oportunidades de glorificar a Deus.

                                      A americana Grace Norman é paratleta do triatlo feminino. (Foto: World Triathlon)

A americana Grace Norman ganhou a primeira medalha de ouro do paratriatlo feminino na história dos Jogos Paralímpicos, em 2016. Este ano, ela está em Tóquio em busca não só de uma medalha, mas glorificar a Deus através de seu dom.

“O melhor que posso fazer é glorificar a Deus, usar Seus dons, dar o meu melhor e divulgar o amor e a mensagem Dele. Isso é realmente o que tem me motivado”, disse a paratleta de 23 anos ao Sports Spectrum Podcast.

Nascida com uma malformação congênita provocada pela Síndrome da Banda Amniótica, Norman teve sua perna esquerda e o dedão do pé direito amputados. A deficiência não a impediu de crescer praticando esportes, mas foi na corrida que ela encontrou sua maior paixão.

O triatlo a atraiu porque era uma oportunidade de se destacar em três áreas atléticas, em vez de uma.

Norman foi a mais jovem competidora aos 18 anos no triatlo nos Jogos do Rio 2016, onde o esporte fez sua estreia paralímpica. Norman também conquistou o bronze nos 400m T44 feminino do Rio e conquistou dois Campeonatos Mundiais, em 2016 e 2017.

Influência da fé cristã

Seus pais foram responsáveis ​​por apresentá-la à fé cristã. Ela cresceu indo à igreja e desde cedo aprendeu os valores bíblicos.

“Não fui só eu que ganhei a medalha de ouro”, disse Norman no podcast. “Eu tinha uma equipe de pessoas por trás de mim, me ajudando a alcançar isso, e eles continuam me ajudando a lidar com isso. Meus pais têm sido grandiosos”.

Norman revela que teve uma verdadeira convicção de sua fé cristã durante a faculdade, mas ainda enfrentou algumas lutas internas em sua caminhada com Deus. Ela diz que Deus voltou a ser o centro de sua vida com “força total” no ano passado e que a meta em Tóquio é honrá-Lo.

“Ele tem tudo planejado em Seu tempo e Sua vontade”, disse ela. 

FONTE: rvg. COM INFORMAÇÕES DO SPORTS SPECTRUM

sexta-feira, 27 de agosto de 2021

O Afeganistão pode se tornar o país mais perigoso para os cristãos? Saiba como se sentem os cristãos após a tomada de poder pelo Talibã

 

A população teme que falte recursos e água limpa no país, e os cidadãos contraiam doenças e infecções

Ontem, a Portas Abertas começou a apresentar perguntas e respostas sobre a situação do Afeganistão e dos seguidores de Jesus no país após a tomada de poder pelo Talibã. Hoje, você continuará a ler perguntas e respostas sobre a situação do país e poderá continuar a clamar pelos nossos irmãos e irmãs que enfrentam essa difícil crise. 

 
O Afeganistão pode se tornar o país mais perigoso para os cristãos? 

Desde 2002 a Coreia do Norte ocupa a primeira posição na Lista Mundial da Perseguição (LMP), por ser o país mais fechado ao evangelho e mais perigoso para os cristãos. Ainda é muito cedo para dizer se o Afeganistão passará a ocupar essa posição na LMP 2022 e seguimos fazendo a pesquisa para a próxima edição da LMP em mais de 70 países. Estamos monitorando o Afeganistão de perto e a LMP 2022 sai em janeiro, quando poderemos dizer a posição do Afeganistão. 

 
Como os cristãos se sentem sobre a tomada do Talibã? 

Eles estão decepcionados e se sentem abandonados por aqueles de quem esperavam proteção quando as coisas ficassem difíceis. As tropas estrangeiras partiram e o governo fugiu. Ao mesmo tempo, eles sabiam que esse dia chegaria. Nesse sentido, eles estavam preparados. Mas isso não torna a situação menos dolorosa. 

 
O que a Portas Abertas faz para ajudar os cristãos? 

Um dos nossos valores fundamentais é atender as necessidades da Igreja Perseguida. Isso significa que ouviremos a Igreja Perseguida e perguntaremos quais são suas necessidades. Literalmente, a única coisa que eles pedem atualmente é oração. Jesus é literalmente tudo o que eles têm. Os cristãos estão procurando maneiras de se manter em segurança e sobreviver. E estamos com eles nesse tempo de maior necessidade.  

 
Eles não estão pedindo rotas de fuga, passagem para segurança e asilo?  

Claro, agora quase todos os moradores estão perguntando sobre rotas de fuga e possibilidades de realocação, não somente os cristãos. No entanto, com uma história de perseguição desde o dia em que a única igreja oficial já construída no Afeganistão foi destruída, há meio século, é correto entender que eles estão procurando maneiras de se proteger e proteger membros das comunidades, particularmente mulheres e crianças. 

 
Quais as necessidades básicas dos cristãos no Afeganistão? 

Segurança, comida, água limpa, cuidados médicos. Há muita violência no país, as cadeias de suprimentos quebraram e as clínicas pararam de funcionar. Ainda existe água limpa nas torneiras, e esperamos que continue assim. Se esse abastecimento de água for contaminado, isso pode levar a muitas doenças. Se os combates em larga escala acontecerem e as escolas e hospitais forem prejudicados, isso afetará as necessidades de saúde de milhões de pessoas e o acesso a medicamentos e profissionais. 

 
Pedidos de oração 

  • Ore para que a água limpa continue a correr nas torneiras. Se as unidades de limpeza de água forem contaminadas nas cidades, haverá doenças generalizadas. 
  • Clame para que a comida seja acessível. As pessoas estão lutando porque as cadeias de suprimentos quebraram. No entanto, as cadeias de suprimentos são lentamente reiniciadas, mas a inflação e o acesso estão se tornando um problema. “O Talibã primeiro alimentará seus soldados e depois nós”, diz um local. 
  • Interceda para que Deus forneça trabalho para os trabalhadores que estão atualmente sem renda. 
  • Peça para que os cristãos recebam os cuidados pastorais de que precisam. 
  • FONTE PORTAS ABERTAS

quinta-feira, 26 de agosto de 2021

“A vida é um inferno sem Jesus Cristo”, prega evangelista Daniel Kolenda O líder do Ministério Cristo para as Nações já alcançou mais de 22 milhões de pessoas com a pregação do Evangelho.

 

                                                Daniel Kolenda em ministração na Austrália. (Foto: Reprodução / YouTube)

Daniel Kolenda é um evangelista que já alcançou mais de 22 milhões de pessoas para Cristo através de suas campanhas evangelísticas em massa, realizadas ao ar livre, em alguns dos locais mais perigosos, difíceis e remotos da face da terra.

Em uma pregação recente em Sydney, na Austrália, Kolenda diz que “a vida é um inferno sem Jesus Cristo”.

Ele explicou: “O inferno é uma separação de Deus e muitos de vocês estão vivendo no inferno e sabem disso”.

Kolenda falou sobre o esforço das pessoas por bens e coisas terrenas. “Muitos de nós nos esforçamos para viver uma vida confortável tentando adquirir coisas mundanas. Nós nos esforçamos para adquirir riqueza, fama e outras coisas materiais na tentativa de alcançar o sucesso. As pessoas procuram felicidade e satisfação nas coisas temporárias que este mundo pode oferecer”, observou.

“A verdade é que, sem Jesus, nada mais importa. Uma vida vivida sem Jesus Cristo é apenas um inferno vivo”, disse.

“Todas as coisas na vida que você adquire sem Jesus, é apenas um inferno vivo. É uma busca constante por coisas que nunca podem satisfazer”, alertou o evangelista.

Satisfação Real

“Só Jesus Cristo pode satisfazer nossa alma e pode nos dar a verdadeira alegria que sempre buscamos. Apesar das coisas malucas acontecendo no mundo agora, ainda há boas notícias. A boa notícia é que Jesus Cristo morreu na cruz para que tivéssemos a vida eterna”, enfatizou.

“Sobre esta cruz robusta estará pendurado o corpo nu e mutilado e torturado de Seu Filho. E das veias de Emmanuel fluirá um rio de vida... Há uma fonte cheia de sangue e jorra das veias de Emmanuel e os pecadores mergulhados nessa inundação perdem todas as suas manchas de culpa. E quando você bebe dessa fonte, essa é a fonte da vida eterna”, disse ele.

“Pare de buscar satisfação nos lugares errados e nos relacionamentos errados. Venha a Jesus porque Ele é tudo o que você precisa, a verdadeira satisfação e a vida eterna se encontram Nele”, pregou.

“Esta vida [eterna] está em Seu Filho. Quem tem o Filho tem vida, quem não tem o Filho não tem vida”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO GOD TV

quarta-feira, 25 de agosto de 2021

“Muçulmanos estão vindo a Jesus e espalhando Evangelho no Oriente Médio”, diz missionário Mais muçulmanos vieram a Jesus nos últimos 10 anos do que nos últimos 10 séculos, revela o ministério Uncharted.

                            Mais muçulmanos vieram a Jesus nos últimos 10 anos do que nos últimos 10 séculos. (Foto: Getty Images

Quanto você arriscaria para compartilhar sua fé? Muitos têm colocado em jogo a própria vida para espalhar a mensagem de Cristo, informa o missionário Tom Doyle, cofundador do Uncharted Ministries, que evangeliza judeus, muçulmanos e pessoas não alcançadas.

“Estamos vendo muitos jovens muçulmanos aceitando a fé em Cristo e compartilhando sua fé. Deus está usando novos crentes; eles estão espalhando o Evangelho rapidamente por todo o Oriente Médio”, disse Doyle ao Mission Network News.

De acordo com o Uncharted Ministries, há um movimento de Deus marcante no Oriente Médio: mais muçulmanos aceitaram a fé em Cristo nos últimos 10 anos do que nos últimos 14 séculos; e mais judeus abraçaram Jesus como o Messias nos últimos 20 anos do que nos últimos 2.000 anos.

“O que estamos vendo hoje é uma onda de santa ousadia”, destaca Doyle.

Uma dessas histórias é a de uma mulher muçulmana na Síria, com o pseudônimo “Lydia”, que se converteu ao cristianismo. “Ela tem um irmão no Estado Islâmico, que estava lutando com terroristas na Líbia. Ela pegou o telefone e ligou para ele, dizendo que aceitou Jesus como seu Salvador”, conta Doyle.

“Ele disse: ‘Isso me preocupa e vamos ter que fazer algo a respeito. Estou voltando para casa.’ Na semana seguinte ela foi batizada, e não foi só ela. Ela já havia levado três outros muçulmanos sunitas à fé em Cristo. Todos foram batizados juntos”, conta o missionário. O irmão de Lydia continua à sua procura, mas ela está em um local seguro agora.

O Espírito Santo está se movendo entre os muçulmanos no Ocidente também, segundo Doyle. Duas mulheres muçulmanas nos Estados Unidos recentemente aceitaram a fé em Cristo depois de ler o livro “Mulheres que arriscam: agentes secretas de Jesus no mundo muçulmano”.

Hoje, as mulheres estão ativamente envolvidas em cursos de discipulado e ansiosas para compartilhar sua fé. “Eles querem começar  a dar aulas de exercícios [físicos] para seus amigos muçulmanos que emigraram para os EUA, apenas para conhecê-los e amá-los, e assim compartilhar o Evangelho de Jesus com eles”, diz Doyle.

Por fim, o missionário destaca a importância de olhar esse grupo com amor e pregar Jesus a eles: “Um quinto da população mundial é muçulmana; é o maior grupo de pessoas que precisamos alcançar”, Doyle lembra. “Os muçulmanos nunca foram tão abertos. Estamos tentando inspirar o Corpo de Cristo a despertar e perceber que a colheita muçulmana está aqui.”

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO MISSION NETWORK NEWS

terça-feira, 24 de agosto de 2021

Autoridades chinesas pagam cidadãos para espionar cristãos e relatar seus “crimes” É expressamente proibido realizar cultos nos lares, pregar ou distribuir literatura religiosa.

Membros da equipe vigiando em um posto de controle, na cidade fronteiriça de Suifenhe, na província de Heilongjiang, nordeste da                                                                     , em 21 de abril de 2020. (Foto: STR/AFP/Getty Images)

O regime comunista da China ordenou aos cidadãos da região nordeste do país que espionassem os cristãos e relatassem quaisquer “atividades religiosas ilegais”, incluindo pregação e reuniões nos lares.

Os informantes serão recompensados ​​com 1.000 yuans (equivalente a 840 reais) por denúncia, de acordo com um documento intitulado “Sistema de recompensa para denúncias de crimes de atividades religiosas ilegais”.

 O documento foi divulgado pela administração do distrito de Meilisi Daur, na cidade de Qiqihar, província de Heilongjiang, conforme o Christian Daily .

As autoridades afirmam que estão em busca de qualquer tipo de informação desse tipo — seja por telefone, e-mail ou carta — desde que haja relatos de pessoas religiosas em atividades transregionais não autorizadas, pregando ou distribuindo literatura religiosa impressa, produtos audiovisuais fora dos locais de culto, fazendo doações não autorizadas ou promovendo reuniões domésticas.

Objetivo do governo comunista

As autoridades chinesas “dizem” que seus principais objetivos são “fortalecer o controle das atividades religiosas ilegais no distrito para evitar aglomerações e não haver propagação da Covid-19”.

Segundo o governo ditador chinês, é necessário mobilizar o público para se engajar na prevenção. Reprimir as atividades religiosas ilegais, para eles, é uma forma de garantir um ambiente harmonioso e estável. 

Sistemas de recompensa semelhantes foram posteriormente introduzidos no distrito de Boshan, na cidade de Zibo e na área de Shandong na cidade de Weihai. Anteriormente, essas recompensas eram oferecidas em Fujian, Guangxi, Henan, Hebei e Liaoning.

Proibido cultos nos lares

“Embora eles não especifiquem a religião que têm como alvo, é evidente que as igrejas domésticas estão sendo eliminadas”, comentou o porta-voz do International Christian Concern.

A Portas Abertas dos EUA, que monitora a perseguição em mais de 60 países, estima que haja cerca de 97 milhões de cristãos na China, uma grande porcentagem dos quais cultuam de uma forma que o governo considera “ilegal”, ou seja, em igrejas domésticas não registradas, portanto, “clandestinas”.

De acordo com relatórios divulgados recentemente, a perseguição religiosa na China se intensificou em 2020, com milhares de cristãos afetados pelo fechamento de igrejas e outros abusos dos direitos humanos.

Sob a direção do presidente Xi Jinping, oficiais do Partido Comunista Chinês (PCC), têm imposto controles rígidos sobre a religião. As autoridades na China estão claramente reprimindo o cristianismo.

Entre as ações dos policiais estão a remoção de aplicativos da Bíblia e fechamento de contas públicas cristãs do WeChat. Além disso, neste ano, haverá novas medidas administrativas altamente restritivas sobre funcionários religiosos.

A China está classificada na Lista Mundial de Vigilância da Portas Abertas dos EUA como um dos piores países do mundo no que diz respeito à perseguição aos cristãos. 

O Departamento de Estado dos EUA também classificou a China como um “país de preocupação especial” por continuar violando gravemente a liberdade religiosa de seus cidadãos.


FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN POST

segunda-feira, 23 de agosto de 2021

Hospital de SP lamenta e repudia entrega de Bíblias para mulheres em fila de aborto Nota foi em resposta a denúncia de mulher que estava na fila do fila do ultrassom do Pérola Byington para realizar aborto legal.

 

Exemplar do Novo Testamento entregue a gestantes em fila de hospital para aborto. (Foto: Reprodução / Jornal da Gazeta / Marie Claire)

Uma mulher que preferiu manter-se anônima denunciou ter recebido um exemplar da Bíblia (Novo Testamento e Salmos) enquanto aguardava para a realização de ultrassom onde faria um aborto legal no Hospital Pérola Byington, no centro de São Paulo.

A mulher, grávida de dois meses, relatou que outras gestantes presentes na fila do exame também receberam o livro. Segundo ela, um grupo de mulheres abordou ela e as demais pacientes do recinto para entregar Bíblias e absorventes.

A estudante do Ensino Superior diz que procurou o serviço do hospital para interromper a gravidez, resultado de um estupro, violência que se deu dentro de uma relação abusiva.

O hospital, que pertencente à Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, é o principal serviço onde se realiza abortos previstos em lei e no atendimento de casos de violência sexual.

A legislação brasileira autoriza a realização do procedimento em casos de gravidez decorrente de estupro, risco de vida à mulher ou (por decisão de 2012 do Supremo Tribunal Federal) gestação de feto anencéfalo.

Nota do hospital

Em nota como resposta ao ocorrido, o hospital publicou uma nota oficial:

"O Hospital Pérola Byington lamenta o desconforto e repudia qualquer atitude contrária à liberdade de consciência e de crença quanto o caráter laico de instituições públicas, previstos em Constituição. A unidade respeita as escolhas individuais de seus usuários, e justamente por isso não permite a distribuição de panfletos ou livros como o citado pela reportagem dentro da unidade. A direção está reforçando as orientações aos seus profissionais e voluntários da capelania hospitalar, que devem seguir as normas estabelecidas pelo hospital.”

A nota termina com a disponibilização de contatos e da ouvidoria do hospital.

A denunciante não conseguiu identificar quem eram as mulheres distribuindo as edições da Bíblia.

“Elas não falaram nada, só entregaram os livros e os absorventes. Acho que eram enfermeiras. Vestiam uniformes e pareciam estar trabalhando no hospital. Chegaram várias caixas, não dava pra entender se cheias de absorvente ou Bíblias. Eu achei estranho porque eu estava lá para acessar meus direitos e geralmente essas religiões, católica e evangélicas, abominam qualquer direito da mulher. Eu sou uma pessoa de fé, acredito numa força maior, que vem do amor, e não que pune e prejudica apenas as mulheres. Achei muito arcaico, nada a ver um hospital distribuir isso”, disse a mulher à reportagem da Marie Claire.

FONTE: rvg COM INFORMAÇÕES DO MARIE CLAIRE

domingo, 22 de agosto de 2021

Nascida no tráfico e abandonada, mulher recebe amparo de Jesus: “Sou maior que suas dores” Carla Priscila de Souza, de 33 anos, recebeu palavras de maldição na infância, mas Deus transformou sua história e lhe deu um futuro brilhante.

 

      Carla Priscila de Souza recebeu palavras de maldição na infância, mas Deus transformou sua história. (Foto: Site Mulher Cristã).

A cristã Carla Priscila de Souza Moreira da Cruz, de 33 anos, nasceu num ambiente desfavorável para uma criança crescer; seu pai era traficante de drogas no Rio de Janeiro e sua mãe era dependente química.

Quando Carla tinha 1 anos e três meses seu pai foi assassinado. Durante o funeral, sua mãe recebeu uma profecia de uma cristã, dizendo: “Esse bebê que está no teu colo vai ser um grande instrumento usado nas mãos do Senhor”. Os planos de Deus revelados para Carla contrariavam o futuro sem perspectiva de uma criança nascida numa família disfuncional, fadada a seguir o mesmo caminho dos pais.

Após a morte do pai, a mãe de Carla fugiu com medo de também ser assassinada, deixando suas três filhas na casa de familiares e vizinhos. Carla ficou com a avó paterna e recebia uma pensão deixada pelo pai, entretanto, ela não tinha um lar amoroso.

“Cresci num ambiente deplorável e miserável, numa avenida ao lado de um valão. Lembro-me que na casa não tinha nada, além de paredes quebradas. Cresci com a família de meu pai, que morava na mesma avenida que nós. Meus tios me maltratavam e humilhavam. Me diziam que eu seria igual ao meu pai, seria mulher de bandido com filhos de vários homens”, contou Carla ao Site Mulher Cristã.

Com apenas 7 anos, ela sofreu abusos físicos e sexuais de meus tios, primos e mulheres. Apesar das palavras de maldição que sempre ouvia, a menina dizia que sua vida seria diferente. “Eu não tinha sequer roupas íntimas para me vestir, porque toda a minha pensão era gasta indevidamente pelos meus tios, nunca comigo”, relatou Carla.

Nesta época, sua mãe retornou como uma nova mulher, contando que estava transformada pois havia recebido Jesus. Ao perceber como a filha era maltratada e mal cuidada na casa da avó, ela pediu a guarda da filha na Justiça e Carla passou a morar com a mãe.

“Passei a viver num ambiente limpo, organizado, eu imaginava até que minha mãe fosse rica ao contrastar com a situação vivida com a minha avó”, disse a cristã.

Encontro com Jesus

A menina começou a frequentar a igreja junto com a mãe e teve um encontro com Jesus. “A igreja passou a ser o meu melhor ambiente, um lugar que eu amava estar. Ouvir as pregações me marcava muito e eu desejava ler a Bíblia, mas, apesar de ter 10 anos, eu ainda não sabia ler, minha mãe não via a educação escolar como prioridade”, contou.
Após um ano, sua mãe se desviou dos caminhos do Senhor e voltou a se envolver com práticas erradas, contraindo dívidas e levando a família a ser despejada diversas vezes. “Minha mãe passou então a abandonar a mim e à minha irmã várias vezes. Ela sumia, sem dar destino. Mas apesar de todas essas turbulências, eu mantinha a minha fé firme e inabalável”, afirmou.

Mais tarde, a mãe se reconciliou com Jesus e voltou a cuidar dela. Aos 12 anos, Carla se batizou nas águas e também foi batizada com o Espírito Santo. Já na adolescência, começou a atuar no ministério de sua igreja local, fazendo evangelismo e cultos domésticos.

“Minha vida era para a obra de Deus. Quanto a minha mãe, nesse tempo, embora fosse uma bênção na igreja, em casa conosco o tratamento era outro. E isso, muitas vezes, me trazia problemas emocionais muito profundos”, confessou Carla.

E acrescentou: “Eu estava servindo a Deus, mas nutrindo um ódio pela minha mãe, desencadeando o retorno aos traumas da infância. Em diversas ocasiões eu era tentada a me sentir vítima, mas Deus sempre enviava pessoas para suprir as ausências, o abandono, a falta de carinho”.

Curada dos traumas de infância

Foi através da Palavra de Deus e da oração, que Carla conseguiu superar suas dores emocionais. “Comecei a orar pedindo para Deus me curar. Eu dizia a Ele que eu não queria mais ser a mesma. Então eu entrei no ‘divã’ com o ‘Grandão’, contei para Ele tudo. Não foi fácil! Foi um processo de muitos anos”, disse.

Num certo dia em que Carla estava se sentindo muito triste e abandonada por não ter tido pais saudáveis, ela teve uma experiência com Deus, onde sentiu seu amor. “Aquele dia eu me senti no colo de Deus! Eu vislumbrava Deus como um gigante, grandão, e eu tão pequena deitada nos ombros Dele! Quando eu me senti assim no colo de Deus era como se Ele me dissesse: “Eu sou grandão, Eu sou maior do que suas dores, sou maior do que seus traumas”, testemunhou.

Quando Carla Priscila tinha 16 anos, foi novamente abandonada pela mãe. “Esse momento da minha vida definiu o que eu escolheria para minha história: Eu repetiria e faria as mesmas escolhas ou faria tudo diferente? Eu decidi fazer diferente!”, conta.

A adolescente foi acolhida na casa de um casal cristão, o irmão Valter e a irmã Maria José, que já cuidavam da garota, doando roupas e calçados. “Nesse período, diante de possibilidades de abandonar a fé, e tomar decisões que sem dúvida minariam as promessas do Senhor, minha reação foi protagonizar a minha história. Foi o tempo da minha vida que eu mais me dediquei à obra de Deus. Foi nesse período, que fui separada para ser missionária”, disse Carla.

Lodo depois, a cristã conheceu seu marido Márcio, com quem teve dois filhos. Hoje, Carla continua no ministério, como pregadora da Palavra e missionária. “Na minha infância recebi palavras de maldição dizendo que eu seria mulher de bandido, namoraria um e outro, mas, Deus mudou o decreto. Eu namorei, noivei e me casei com o meu primeiro e único namorado, um homem de Deus, trabalhador, um excelente pai”, afirmou.

“Hoje eu posso dizer: O que era para me matar me fortaleceu. Não tenho mágoas nem ódio da minha mãe. Na verdade, hoje eu a amo como se nada tivesse acontecido. Eu aprendi que minhas feridas foram o instrumento que o Deus Grandão colocou à minha disposição a fim de que eu me tornasse a protagonista de minha própria vitória”, declarou Carla.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO SITE MULHER CRISTÃ

sábado, 21 de agosto de 2021

Talibã muda nome do país para Emirado Islâmico do Afeganistão e lei Sharia entra em vigor Jornalistas estão sendo procurados e cristãos já começaram a ser mortos por expressarem sua fé em país islâmico.

 

Combatentes do Talibã patrulham o bairro de Wazir Akbar Khan, em Cabul, capital do Afeganistão, em 18 de agosto de 2021. (Foto: Rahmat Gul/AP)

O porta-voz do Talibã, Zabihullah Mujahid, anunciou nesta quinta-feira (19) que o Afeganistão passou a se chamar “Emirado Islâmico do Afeganistão”. O nome é o mesmo adotado quando o grupo extremista esteve no poder do país pela primeira vez, em 1996.

Mujahid é o mesmo que concedeu uma entrevista coletiva, na terça-feira (17) afirmando que o grupo teria atitudes mais “moderadas” desta vez. Mas, um dos principais comandantes do Talibã, Waheedullah Hashimi, já disparou que as leis no país serão semelhantes às do passado e não há possibilidade de democracia.

“Não haverá nada como um sistema democrático porque isso não tem nenhuma base no nosso país, nós não vamos discutir qual será o tipo de sistema político que vamos aplicar no Afeganistão porque isso é claro: a lei é Sharia, e é isso”, resumiu Hashimi.

                    Combatentes do Talibã patrulham as ruas em Cabul, capital do Afeganistão, em 19 de agosto. (Foto: Rahmat Gul/AP)

Jornalistas começam a ser procurados

Também nesta quinta-feira, Dia da Independência do Afeganistão, o grupo reagiu com violência aos primeiros sinais de resistência à sua tomada de poder. E, na sexta-feira, alguns jornalistas afegãos dizem que foram espancados e tiveram suas casas invadidas desde o retorno do Talibã.

De acordo com informações da Deutsche Welle (DW), os talibãs foram às residências de pelo menos três jornalistas da emissora. Eles mataram a tiros o parente de um jornalista que trabalhava para a DW e que era procurado pelos militantes. 

Um outro familiar do profissional ficou gravemente ferido e vários conseguiram fugir. A identidade do jornalista não foi revelada, mas atualmente ele mora e trabalha na Alemanha. 

Cristãos que têm Bíblia online no celular estão sendo mortos

De acordo com a rede de TV cristã SAT-7, os militantes talibãs estão revistando telefones e retirando crentes do transporte público para assassiná-los no local. A perseguição religiosa será mais intensa agora que o Talibã está no poder.

“É incrivelmente perigoso agora para os afegãos ter algo cristão em seus telefones. O Talibã tem espiões e informantes em todos os lugares”, disse o presidente do SAT-7 na América do Norte, Dr. Rex Rogers. Os cristãos estão isolados e com medo de serem descobertos.

      Militantes talibãs estão revistando telefones e retirando crentes de transporte público para assassiná-los no local. (Foto: EFE/Stringer

“Por ser muito perigoso buscar a companhia de outros cristãos, muitos crentes afegãos estão totalmente sozinhos, sem nenhum outro cristão com quem conversar”, relatou Rogers.

Agora, em meio a um ambiente de insegurança e terror, os crentes estão buscando encorajamento e esperança por meio de programações cristãs que ainda são transmitidas.

A força e a violência do Talibã

Os talibãs nunca estiveram tão fortes. Só nas últimas semanas, pilharam equipamento de guerra americano de alta tecnologia. Com exceção da província de Panjshir, ao norte de Cabul, notória por sua resistência permanente contra o Talibã, agora os extremistas controlam novamente quase todo o país. 

Ainda no sábado, o serviço secreto americano CIA estimava que a capital seria tomada nos próximos 30 a 90 dias – no fim das contas, não foram nem 24 horas. Mesmo analistas renomados de Washington ficaram sem palavras diante das ocorrências mais recentes. 

           Principais lideranças do Talibã ao assumir o poder do Afeganistão, em 16 de agosto de 2021. (Foto: Imagem de TV Al Jazeera/AFP)

A imprensa do mundo inteiro mostra o resumo do que está acontecendo numa das nações mais conflituosas da história. Na entrevista improvisada à emissora Al Jazeera, um dos comandantes do Talibã chegou a mencionar que durante oito anos estivera preso e fora torturado pelos americanos na prisão de Guantánamo. Provavelmente, ele agora planeja sua vingança.

“Eles não querem paz”

O desespero dos afegãos é um sinal. As pessoas estão com medo do terror que já viram de perto. Se as tentativas de um acordo de paz não funcionaram antes da tomada do governo pelo Talibã, agora parece menos provável.

De acordo com a CNN, desde setembro os diálogos entre o governo afegão e o Talibã eram intensos. “O Talibã via Ghani e seu governo como fantoches dos EUA e a equipe de negociadores afegãos indicados em Cabul não fizeram nenhum progresso significativo”, conforme o veículo.

“A questão é que ninguém confia em nada que venha da boca do Talibã”, disse uma mulher em entrevista à CNN, que preservou sua identidade por motivos de segurança. 

“Eu duvido muito que o Talibã tenha mudado. Eles não têm os mesmos valores que o povo afegão. A democracia está fora de cogitação para eles. Estamos convencidos de que o Talibã está colocando uma fachada porque a comunidade internacional e as Nações Unidas estão observando-os de perto", disse ela.

“Estou tentando ver como posso deixar o país através de ONGs e agências humanitárias”, concluiu a mulher em fuga. 

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE CNN E DW

sexta-feira, 20 de agosto de 2021

Cristãos afegãos estão sendo mortos pelo Talibã se tiverem Bíblia online em seus celulares De acordo com a rede de TV cristã SAT-7, militantes talibãs estão revistando telefones e retirando crentes do transporte público e os assassinando no local.

 

Militantes talibãs estão revistando telefones e retirando crentes do transporte público e os assassinando no local. (Foto: EFE/Stringer).

Cristãos no Afeganistão estão sendo mortos pelo Talibã se tiverem Bíblias online em seus celulares, de acordo com relatórios da rede de TV cristã SAT-7. A perseguição religiosa acontece com a retomada do governo pelo grupo Talibã no último final de semana, após as forças americanas se retirarem do país.

Segundo o SAT-7, que transmite uma programação cristã para o Oriente Médio, os militantes talibãs estão até mesmo retirando cristãos e pessoas consideradas “etnicamente impuras” do transporte público e as matando no local. 

“Estamos ouvindo de fontes confiáveis ​​que o Talibã exige os telefones das pessoas e, se eles encontrarem uma Bíblia baixada em seu dispositivo, eles matam imediatamente”, denunciou o presidente do SAT-7 na América do Norte, Dr. Rex Rogers. “É incrivelmente perigoso agora para os afegãos ter algo cristão em seus telefones. O Talibã tem espiões e informantes em todos os lugares”, disse.

Com o Talibã no controle do Afeganistão, o risco para os seguidores de Cristo que já existia, aumentou e se tornou eminente. Os cristãos estão isolados e com medo de serem descobertos.

“Por ser muito perigoso buscar a companhia de outros cristãos, muitos crentes afegãos estão totalmente sozinhos, sem nenhum outro cristão com quem conversar”, relatou Rogers.

Agora, em meio a um ambiente de insegurança e terror, os crentes estão buscando encorajamento e esperança por meio da programação e das plataformas de comunicação da TV SAT-7. A interação de afegãos na mídia social do canal cristão e suas plataformas de chat ao vivo tiveram um grande aumento, assim como as ligações para o contato de aconselhamento da SAT-7.

“Nosso diretor local me disse: 'A maioria não ousa frequentar uma igreja doméstica. Eles estão sozinhos, com medo e olhando para nós. Somos o último recurso deles’”, afirmou Rogers.

Muitas mulheres afegãs que lutaram contra a depressão e que até mesmo tentaram suicídio receberam Jesus atrabés da TV cristã e agora estão apoiando outras mulheres, que estão aterrorizadas com o Talibã e sua ideologia opressora. 

“Elas estão dizendo: 'Nós confiamos na providência e proteção de Deus e você também pode, porque Deus o ama e se preocupa com você'. Elas as fazem lembrar do que Jesus disse: 'Mas tenham ânimo! Eu venci o mundo’”, contou Rogers. 

Desde 1996, os programas do SAT-7, via satélite e online, têm levado o Evangelho e encorajamento para mais de 25 milhões de espectadores no Oriente Médio e no Norte da África em três idiomas; árabe, farsi e turco. 

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE RELIGION NEWS SERVICE


quinta-feira, 19 de agosto de 2021

Pastores afegãos foram ao governo registrar sua fé, em ‘sacrifício’ às gerações futuras Desde a tomada pelo Talibã, a vida para a igreja afegã está em um novo capítulo.

                                                                                  (Foto: Xinhua News Agency/Getty Images)

No início de julho, com a retirada dos militares americanos do Afeganistão, ​​os pastores e líderes cristãos no país tomaram uma decisão difícil. Eles decidiram registrar formalmente sua fé com o governo afegão — mesmo sendo uma república islâmica, na qual a conversão ao cristianismo tem duras consequências.

“Contra o conselho de muitos, esses líderes da igreja afegã se sentiram impulsionados, pelo bem das gerações futuras, a declarar legalmente sua verdadeira fé em Cristo”, reportou o pastor Mark Morris ao site The Gospel Coalition na segunda-feira (16).

“E quanto aos nossos filhos e netos?”, questionaram. “Alguém deve fazer esse sacrifício para que as próximas gerações possam se chamar abertamente de seguidores de Jesus”, responderam os líderes afegãos. 

Morris reporta que enquanto os pastores e líderes se registraram no governo, “todos nós oramos de fora, pedindo a Deus que os protegesse de serem detidos e presos na manhã seguinte. Eles foram entrevistados, mas não presos”.

Morris é diretor de estudos teológicos urbanos da Union University (EUA) e lidera um ministério que evangeliza refugiados na cidade de Memphis, no sudoeste do Tennessee. Ele conta que, no fim de semana passado, esteve em um retiro de uma igreja afegã e inglesa. 

“Na primeira noite do retiro, soubemos que um pastor no Afeganistão recebeu uma carta do Talibã: ‘Nós sabemos quem você é, o que faz e onde te encontrar’. No sábado, o Talibã estava à sua porta, mas ele havia se escondido. Glória a Deus”, disse.

Morris conta também que ouviu um pastor afegão, em lágrimas, falar sobre seu amigo — um cuja aldeia foi tomada pelo Talibã três dias antes. “A filha de 14 anos desse querido irmão foi arrancada de seus braços e forçada à escravidão sexual, no que o Talibã chamaria de ‘casamento’ e seu ‘dever e privilégio islâmico’”, relata.

Quando chegou a notícia no sábado (15) de que o Talibã já estava andando pelas ruas de Cabul, a igreja chorou e orou por seus irmãos afegãos, enquanto se esforçava para fazer ligações para parentes que tentavam ir para um local seguro. “Ninguém conseguiu sair. As estradas e os voos já haviam fechado”, conta Morris.

Castelo Forte é o Nosso Deus

No domingo de manhã, enquanto os cristãos afegãos se reuniam como Igreja, eles foram encorajados pela Palavra de Deus: “Em Romanos 10, todos fomos lembrados de que devemos edificar nossa fé em Jesus, a única pedra angular que pode resistir à tempestade do Talibã.”

Ele continua: “Nosso líder de louvor escolheu o hino ‘Castelo Forte’. Enquanto cantávamos o verso final, um irmão afegão veio e sussurrou em meu ouvido: ‘Ashraf Ghani, o presidente do Afeganistão, acabou de renunciar. O Talibã agora está no controle’. E nós cantamos: ‘Se temos de perder, família, bens, poder. E, embora a vida vá, por nós Jesus está. E nos dará seu reino’”.

Na manhã de segunda-feira (16), em meio às lágrimas, Morris lembra que se sentiu grato pela forma como Deus planejou o fim de semana. “Com um só coração nos reunimos para consolar uns aos outros, orar juntos, gemer e chorar juntos nestes momentos históricos difíceis”, conta.

Desde este fim de semana, mais relatórios perturbadores estão chegando e a vida para a igreja afegã está no início de um novo capítulo. “Jovens cristãs estão sendo perseguidas pelo Talibã. O Talibã acaba de invadir a casa de outro líder da igreja e confiscar suas Bíblias e publicações”, reporta Mottis.

Em Memphis, um pastor afegão escreveu: “Não tenho palavras para orar agora”. No entanto, ele ainda continua pregando para o Afeganistão através de transmissões ao vivo. “O oleiro está construindo seus vasos para seus propósitos”, observa Morris.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO GOSPEL COALITION

quarta-feira, 18 de agosto de 2021

Mais de 1.000 igrejas dominicanas viram abrigos na passagem do ciclone Grace Os templos serão abrigos para famílias deslocadas por chuvas e inundações provocadas pelo ciclone tropical Grace na República Dominicana.

       Pessoas do lado de uma casa destruída após um terremoto de magnitude 7,2 em Les Cayes, Haiti. (Foto: Ralph Tedy/Reuters)

Cerca de 1.000 templos de igrejas evangélicas serão adicionados a 2.405 abrigos para famílias deslocadas por chuvas e inundações provocadas pelo ciclone tropical Grace na República Dominicana.

Segundo um relatório do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC) nesta segunda-feira (16), depois de passar pela República Dominicana, o fenômeno Grace está se dirigindo para o Haiti, que sofreu um terremoto de magnitude 7,2 no sábado (14), podendo causar fortes chuvas nas próximas horas.

O centro do ciclone “passará perto da costa sul de São Domingos — a ilha compartilhada por Haiti e República Dominicana — hoje e esta noite”, disse o NHC, com sede em Miami.

Durante uma entrevista coletiva, o diretor executivo da Defesa Civil Dominicana, Juan Salas, disse que a cooperação das igrejas é resultado de uma parceria com o Escritório de Vínculos das Igrejas Evangélicas, representado pelo pastor Dío Astacio.

O objetivo é que os templos fossem usados ​​como abrigos até mesmo antes da passagem do Grace pelo país e que seus membros atuem como voluntários. “Estamos falando de lugares seguros e confiáveis ​​onde podemos levar as famílias afetadas”, disse Salas. 

                                               Defesa Civil da República Dominicana anuncia ação com igrejas. (Foto: CDN)

Por sua vez, o pastor Dío Astacio afirmou que esta é uma forma de expressar o amor ao próximo, que é “o princípio número 1 da fé”.

“As igrejas evangélicas e protestantes têm uma estrutura muito sólida em todos os cantos do país, que também contam com pessoas que serviriam como administradores desses abrigos e gestores assistenciais”, disse Astacio.

Há previsão de chuvas entre 127 e 254 mm no sul do Haiti e na República Dominicana, com máximos isolados de 381 mm, segundo a NHC. Com isso, haverá inundações e possíveis deslizamentos de terra.

Grace passará ainda por Jamaica, Cuba e Ilhas Cayman entre terça e quarta-feira, prevê o NHC.

Entre as denominações que servirão de abrigo, estão a Assembleia de Deus, Igreja Batista Metodista Livre, Igreja Adventista e outras denominações independentes.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO LISTIN DIARIO

terça-feira, 17 de agosto de 2021

Talibã quer impor lei islâmica “em todo o mundo” e põe cristãos em risco no Afeganistão O grupo extremista tomou o governo do país e está causando terror e caos. Especialistas em perseguição alertam que crentes correm perigo e clamam por orações urgentes.

 

                              Combatentes talibãs em rua de Laghman, em 15 de agosto de 2021, no Afeganistão. (Foto: AFP)

Neste domingo (15), o grupo islâmico Talibã assumiu o controle de Cabul, capital do Afeganistão, numa rápida escalada pelo controle do país, iniciada neste sábado (14). Insurgentes armados tomaram o palácio presidencial em Cabul, poucas horas após o presidente afegão Ashraf Ghani fugir do país.

Agora, o Talibã voltou ao controle de quase todo o Afeganistão, com as cidades-chaves conquistadas, após a retirada das tropas dos Estados Unidos e da OTAN em julho. Cristãos, mulheres e crianças são os que mais correm risco, de acordo com especialistas em perseguição religiosa.

Um comandante do Talibã, Muhammed Arif Mustafa, afirmou em entrevista à CNN, que acredita que “um dia os mujahedeen [combatentes talibãs] terão a vitória e a lei islâmica chegará não apenas ao Afeganistão, mas a todo o mundo. Não temos pressa. Acreditamos que chegará um dia. A jihad não terminará até o último dia”.

O Release International, uma organização que apoia cristãos perseguidos, alertou que haverá um provável aumento nos ataques contra crentes em todo o país, após o retorno do Talibã. Para a organização, embora o grupo terrorista tenha pedido uma transição de poder pacífica, a rápida retomada apenas incentivará ações extremistas por parte dos militantes.

Um líder da igreja afegã relatou ao Release que muitos cristãos temem por sua segurança, descrevendo a situação atual como “terrível”. 

"Nossos irmãos e irmãs em Cristo estão nos dizendo o quanto estão com medo. Nas áreas que o Talibã agora controla, as meninas não podem ir à escola e as mulheres não podem deixar suas casas sem um companheiro”, afirmou.

De acordo com a Missão Portas Abertas, “esta insurgência representa uma realidade devastadora para o pequeno número de crentes ali. O Afeganistão já é um lugar brutal para a Igreja. Os seguidores de Jesus estão sob risco constante, e o perigo que enfrentam é muito real”.

O Afeganistão ocupa o segundo lugar na lista de países mais perseguidos de 2021, do Portas Abertas. Os cristãos afegãos vivem sob intensa pressão e sob ameaça de morte iminente.

Permanecendo para ajudar

                         Afegãos se aglomeram na pista do aeroporto de Cabul, em 16 de agosto, para tentar fugir do país. (Foto: AFP).

Enquanto milhares de afegãos e estrangeiros lotam o aeroporto de Cabul, numa tentativa desesperada de fugir do país, a Visão Mundial prometeu permanecer e cuidar de crianças e famílias vulneráveis.

“Junto com nossos mais de 300 funcionários afegãos, a Visão Mundial permanecerá e fornecerá resultados”, disse a Diretora Nacional da Visão Mundial, Asuntha Charles, à Eternity News.

A organização alertou que “inúmeras crianças mais vulneráveis ​​pagarão o preço final ao serem apanhadas pelo redemoinho” no Afeganistão. 

"As escolas estão fechadas, a comida é escassa e os números de deslocamentos forçados estão aumentando. Crianças e famílias estão escondidas ou fugindo e seus direitos fundamentais estão sendo negados”, relatou a organização cristã.

“As crianças correm maior risco de violência, abuso e exploração”, acrescentou Charles. “Famílias que já lutam para sobreviver à miséria relacionada a este conflito, uma seca devastadora e os efeitos da Covid-19, agora estão recorrendo a medidas desesperadas para proteger seus filhos, inclusive contra o casamento infantil”.

A Visão Mundial está chamando a comunidade internacional a “manter sua presença no terreno para evitar uma catástrofe humanitária sem precedentes”. A organização defende que o Direito Internacional Humanitário seja respeitado por todas as partes e que a vida das crianças e famílias afegãs sejam colocadas em primeiro lugar.

Segundo Paul Robinson, CEO da Release International, muitos cristãos no Afeganistão são pobres e não conseguiram fugir do país. "Eles serão deixados para trás", disse Paul, pedindo que cristãos em todo mundo orem por seus irmãos afegãos.

Mulheres em risco: pelo relato de uma missionária

                                        O Talibã proíbe que as meninas de 10 anos ou mais vão à escola. (Foto: Getty Images/BBC).

Em seu governo, o Talibã aplica uma interpretação rígida da Sharia, a lei islâmica, onde meninas maiores de 10 anos são proibidas de estudar e mulheres não podem sair de casa sem a companhia de um familiar do sexo masculino. 

O grupo extremista também sequestra meninas e mulheres para servirem de escravas sexuais para os militantes e assim, gerar futuros soldados para a guerra santa. 

De acordo com o jornal The Conversation, quando os líderes do Talibã assumiram o controle das províncias de Badakhshan e Takhar em julho, foi emitida uma ordem aos líderes religiosos para "fornecer-lhes uma lista de meninas com mais de 15 anos e viúvas com menos de 45 anos para ‘casarem’ com os combatentes do Talibã”. Ainda não se sabe se a ordem já foi cumprida.

“Eu temo especialmente pelas mulheres”, disse uma pesquisadora do Centro Arthur Jeffery da Escola de Teologia de Melbourne, que permaneceu anônima, à Eternity News.

Tendo servido como missionária durante 25 anos no Paquistão, onde o regime do Talibã já foi imposto, ela conhece bem como as mulheres são tratadas pelos extremistas.

“Elas serão impedidas de estudar. Elas serão impedidos de sair de suas casas, a menos que tenham um parente do sexo masculino [acompanhando-as]. Elas serão virtualmente prisioneiras em suas próprias casas”, afirmou.

Embora a situação no Afeganistão seja desesperadora, a missionária lembra: “Temos um grande Deus, e o Espírito Santo de Deus pode mover-se de maneiras incríveis. Veja como a igreja cresceu na China e veja como a igreja está crescendo no Irã. Não, os governos não param Deus. Os governos podem tornar isso difícil, mas a morte dos mártires é a semente da igreja”.

O Portas Abertas afirmou que está apoiando a pequena comunidade cristã no país e está pedindo orações urgentes em favor dos crentes afegãos. 

“Com os efeitos contínuos da guerra civil, a expansão do extremismo, a escassez de alimentos e a pandemia violenta, o Afeganistão precisa de orações urgentes da Igreja global agora, mais do que nunca”, afirmou.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DA PORTAS ABERTAS, ETERNITY NEWS E G1.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

NOSSOS OUVINTES,ONLINE, PELO MUNDO

Flag Counter

Feiticeiro tenta atrapalhar evangelismo na África e acaba se convertendo a Jesus Deus transformou o mal em bem, quando o feiticeiro mais temido da aldeia surgiu com cobras venenosas nas mãos para desafiar a equipe da missionária Heidi Baker.

                   Nachuha e sua esposa Albertina aceitaram Jesus e foram batizados por Heidi Baker. (Foto: Reprodução Iris Global). Em uma ...