WEB RÁDIO VERDADE GOSPEL

ISLAIDE TESTE

ISLAIDE TESTE
webradioverdadegospel@gmail.com

DISPONÍVEL NA PLAY STORY

DISPONÍVEL NA PLAY STORY
DISPONIVÉL NA PLAY STORY

JOÃO 3:16

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUPLICIDADE

IBADEP TEOLOGIA

IBADEP TEOLOGIA
IBADEP TEOLOGIA

sábado, 31 de julho de 2021

“Jesus me ajudou a chegar onde estou”, diz jogador de rugby da Austrália nas Olimpíadas Dietrich Roache, jogador do Rugby de Sete da seleção masculina da Austrália nas Olimpíadas, vê Jesus como o número 1.

 

                                       Dietrich Roache começou a jogar rugby profissionalmente há 3 anos. (Foto: Reprodução)

Deus, família e esporte são as três coisas mais importantes na vida de Dietrich Roache, o jogador australiano que fez sua estreia olímpica em Tóquio na modalidade Rugby de Sete.

Aos 20 anos, ele é o membro mais jovem da seleção australiana de Rugby Sevens e tem vivido grandes marcos em sua recente carreira. Ele dedica seus resultados não apenas aos treinos, mas a sua fé em Jesus.

“Minha fé é minha rocha em tudo que faço, e no esporte não é diferente”, disse ele à CNS. “Sou muito grato por ter Jesus na minha vida, Ele me ajudou a chegar na posição abençoada em que estou hoje.”

A Austrália foi eliminada pela seleção de Fiji nas quartas de final na terça-feira (27), mas Roache pode encarar muitas Olimpíadas pela frente. Há apenas três anos no esporte, ele preferia gastar seu tempo em jogos de computador, até assistir ao torneio do Sydney Sevens com sua família em 2018.

“Tanto meu pai quanto meu tio jogavam no clube sindical de rúgbi, o Western Sydney Two Blues. Mas eu não tinha me interessado por isso até pouco tempo”, disse ele. “Eu estava assistindo ao Sydney Sevens em 2018 em um passeio em família e me apaixonei pelo esporte e pelo ambiente.”

Seu primeiro contato com o rugby foi aos 15 anos, quando frequentava o Patrician Brothers 'College Fairfield, uma escola católica para meninos em Sydney.

“Sou muito espiritual e voltado para a família, e vir de uma importante escola católica de futebol me inspirou muito. Ainda tenho companheiros muito próximos da Patrician Brothers, e ter esse vínculo de equipe me motiva a treinar mais forte”, comentou Roache.

Seus pais, Martha e Kruger Roache, ficaram desapontados por não poderem estar no Japão para apoiar seu filho, mas se sentem abençoados por testemunhar uma conquista tão incrível.

“Como pessoas de fé, acreditamos que tudo correrá bem”, disse Martha Roache. “A maioria das pessoas não entenderia como ele trabalhou duro e, como pais, esse é um dos motivos que nos deixa super orgulhosos dele... Quando ele decidiu que queria jogar nas Olimpíadas, ele fez de tudo para conseguir isso.”

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO CATHOLIC NEWS SERVICE

sexta-feira, 30 de julho de 2021

Homem ouve a voz de Deus à beira da morte: “Escolha a vida ou a morte” O havaiano Fred Amina, de 42 anos, teve um quadro grave de pancreatite por causa do alcoolismo, mas teve uma segunda chance.

 

                           Fred Amina foi liberto do alcoolismo e curado após experiência com Deus. (Foto: Instagram/Fred Amina)

Fred Amina, de 42 anos, cresceu em Oahu, no Havaí, e lutou contra o alcoolismo desde cedo. Como resultado do vício, ele foi internado em 2016 com pancreatite. “Foi quando Deus começou a mudar minha vida”, disse Fred à CBN News. 

“Comecei a beber muito jovem e fiz as escolhas erradas. Agradeço a Deus por Sua graça, por me deixar vivo apesar das decisões ruins, para que eu pudesse compartilhar e contar suas maravilhas e misericórdia”, acrescentou.

Devido à sua saúde debilitada, Fred permaneceu sob cuidados médicos durante um mês. “Fui para o hospital com 108 quilos. Em um mês, estava com 76 quilos. Tive dois cistos do tamanho de uma moeda que estavam sangrando e tive que usar tubos de alimentação”, relata.

No momento mais crítico de sua saúde, perto de encarar a morte, Fred teve uma experiência com Deus, no dia em que seus filhos foram visitá-lo. 

“Deus falou ao meu coração: ‘Escolha a vida ou a morte’. Eu sabia que era o Senhor. Deus me deu tantas chances na vida. Quando olhei para [meus filhos] e ouvi aquela voz, Deus disse: ‘Chega de chances Fred’. Eu sabia que ia morrer”, disse ele à CBN.

Fred continuou: “Você tem que escolher se ama algo mais do que o vício, e eu prefiro viver. Amo meus filhos mais do que isso. Agradeço a Deus por sua graça e oportunidade.”

Depois que teve alta do hospital, Fred sabia que tinha que viver uma vida mais saudável para ele e seus filhos. Ele se juntou à Associação Cristã de Moços (YMCA, na sigla em inglês) para melhorar fisicamente, mas também se voltou para a Bíblia em busca de restauração espiritual.

Oração e esforço

Mas havia outro grande desafio: Fred era quase analfabeto e tinha dificuldades para escrever. Enquanto dedicava seu tempo e energia para se concentrar na Bíblia, ele acabou aprendendo a ler. 

“Comecei a seguir um padrão mais elevado. Agora tinha que literalmente me controlar; primeiro ler a Bíblia e me exercitar”, disse ele. “Para mim, o fundamento da saúde tem que vir da Bíblia. Para mim, é daí que vem a saúde. Quando meu coração e minha mente estão certos, tudo se ajusta — quando eu tenho o relacionamento correto com o Senhor, sendo obediente.”

“De alguém que mal sabia ler ou escrever, é uma loucura o caminho que Deus me levou. Deus teve que me mostrar que Ele era real. No Havaí, eles chamam isso de pessoa cabeça dura, mas Deus teve que me mostrar que Ele é real. Sua palavra é tão verdadeira. Me lembro dos versículos da Bíblia, mas ainda tenho dificuldade para soletrar”.

Fred se tornou palestrante motivacional e publicou o livro “Bondade e Misericórdia” em 2017. Ele até começou a atuar em 2019, conseguindo papéis nas séries "Hawaii Five-0", "NCIS Hawaii" e "Magnum PI".

Seu conselho para os outros é “nunca desistir” e “continuar se esforçando”: “Deus é fiel. Onde Deus está me levando será mais alto do que onde eu estava. Saia da sua zona de conforto se você quer fazer grandes coisas.”

Ele conclui: “O que eu faço agora para viver uma vida melhor é colocar minha confiança em Jesus, que Ele me levará a viver bem. Agora eu só busco crer e confiar em tudo o que Jesus tem para mim. Ele está me transformando. Ele é o autor e consumador da minha vida.”

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DA CBN NEWS

quinta-feira, 29 de julho de 2021

6 atletas cristãos nos Jogos Olímpicos que dão testemunho de sua fé Desde a primeira semana das Olímpiadas, vários atletas já manifestaram sua fé cristã, como os brasileiros Rayssa, do skate, e Italo, do surfe.

 

                          Desde a primeira semana das Olímpiadas, vários atletas já manifestaram sua fé cristã. (Foto: Swinswan).

Os Jogos Olímpicos de Tóquio começaram com um ano de atraso e sem público nas arquibancadas, devido às restrições da pandemia do Covid-19. Apesar disto, milhões de pessoas estão assistindo ao maior evento do mundo pela televisão e internet.

Mais de 11 mil atletas de 206 países estão competindo em 339 competições. Na primeira semana dos Jogos já presenciamos manifestações de fé cristã por alguns desses atletas olímpicos, que consideram que sua força e conquistas vem de Deus. 

Como é o caso da mais jovem atleta brasileira na história das Olímpiadas, a skatista Rayssa Leal, que foi medalha de prata na categoria street, e do surfista Ítalo Ferreira, que conquistou o primeiro ouro do Brasil e creditou sua vitória às orações a Deus pela madrugada. 

Conheça também outros seis atletas cristãos para acompanhar nos Jogos Olímpicos de Tóquio, que testemunham a fé em Deus em suas carreiras profissionais.

                                         Sydney McLaughlin, Atletismo, Estados Unidos

                                                                                            Sydney McLaughlin. (Foto: SpartaNova).

A americana de apenas 21 anos já está em sua segunda Olimpíada e é a favorita na luta pela medalha de ouro. Sydney quebrou o recorde mundial dos 400 metros com barreiras durante os testes de atletismo nos EUA em junho, se tornando a primeira mulher a fazer a prova em menos de 52 segundos. 

Depois de atingir a marca de 51,90 segundos, Sydney louvou a Deus: “Acho que a maior diferença este ano é a minha fé, confiar em Deus e confiar nesse processo, e saber que Ele está no controle de tudo. Enquanto eu trabalhar duro, ele vai me ajudar”. Em sua biografia no Instagram, a atleta cristã afirmou “Jesus me salvou”.

                                                Kyle Snyder, Luta Livre, Estados Unidos

                                                                                     Kyle Snyder. (Foto: Askren Wrestling Academy)

Kyle conquistou o ouro na luta livre de 97 kg nas Olimpíadas do Rio, em 2016, se tornando o medalhista de ouro mais jovem na luta olímpica nos EUA. Com 25 anos, agora ele é um dos favoritos para manter o título em Tóquio. Mas não será fácil, já que, provavelmente, Kyle terá que enfrentar o russo Abdulrashid Sadulaev, que foi ouro nas Olimpíadas de 2016, na categoria de 86 kg, antes de subir de peso.

No Campeonato Mundial de Luta Livre, o russo derrotou Kyle em apenas 70 segundos. Foi a primeira derrota do lutador cristão no campeonato mundial. Após a competição, um repórter perguntou a ele: “Os campeões geralmente não são definidos por vitórias, mas por derrotas. Como essa perda vai definir você?”. E Kyle respondeu : “Vitórias ou perdas não me definem. Quer dizer, eu amo lutar; é uma grande parte da minha vida; mas não sou definido pelo esporte. Sou definido pela minha fé em Jesus”.

                                              Melissa Gonzalez, Atletismo, Colômbia

                                                                                     Melissa Gonzalez. (Foto: Runner Space).

Melissa tem o recorde nacional feminino nos 400m com barreiras e vai competir pela primeira vez nas Olimpíadas. A jovem cristã de 27 anos nasceu e foi criada no Texas (EUA), onde conheceu seu marido, David Blough, zagueiro reserva do Detroit Lions. Melissa foi atleta da Universidade do Texas e tem dupla cidadania, porque seu pai, Hector, nasceu na Colômbia.

Gonzalez costuma se posicionar como seguidora de Cristo, onde quer que ela viva. “Não estou disposta a comprometer minhas crenças”, afirmou ela ao SportGoMag.com. “Sim, pode ser mais fácil e muito mais confortável concordar com o que quer que meus companheiros estejam fazendo, mas não é o que somos chamados a fazer como seguidores de Cristo. Não nos foi prometido uma vida confortável. Na verdade, se escolhermos seguir a Cristo, temos a promessa de enfrentar oposição e perseguição”.

                                              Michael Andrew, Natação, Estados Unidos

                                                            Michael Andrew. (Foto: Rob Schumacher/USA TODAY Sports).

Michel se tornou atleta profissional aos 14 anos de idade, o mais jovem nadador dos EUA a conquistar a façanha. Hoje, com 22 anos, ele vai estrear nos Jogos Olímpicos nos 200m medley individual e nos 50m livre.

Depois de se qualificar para as Olimpíadas de Tóquio, Michel fez questão de mencionar Jesus: “Esse resultado de hoje é incrível, mas é perecível. E acho que posso resistir aos bloqueios hoje e amanhã e o resto da minha vida com muita liberdade, sabendo que isso não aumenta meu valor para meus amigos, minha família e, finalmente, para Jesus Cristo”. 

                                                Micah Christenson, Voleibol, Estados Unidos

                                                                        Micah Christenson. (Foto: Volleyball World).

Nascido e criado em Honolulu, capital do Hawai, o nome do meio de Micah Christenson é Makanamaikjalani, que significa "presente do céu". Seus pais enfrentaram dificuldades para engravidar e com três meses de gestação, sua mãe precisou fazer uma cirurgia abdominal. 

Eu tinha uma grande possibilidade de morrer e, portanto, continuar vivo e nascer, foi seu pequeno presente do céu”, disse Micah à revista Sports Spectrum, em 2020.

Com 28 anos, o atleta cristão se descreve como um “servo do Rei” e é o levantador da equipe masculina de vôlei dos EUA. Os americanos chegaram em Tóquio em 4° lugar no ranking mundial e buscam seu primeiro ouro olímpico, desde 2008. Nos Jogos de 2016, a equipe conquistou o bronze. 

                                           Helen Maroulis, Luta Livre, Estados Unidos

                                                                                     Helen Maroulis. (Foto:Charlie Riedel / AP).

Helen Maroulis, de 29 anos, foi a primeira lutadora americana a conquistar o ouro olímpico, vencendo nada menos que Saori Yoshida, a japonesa tricampeã olímpica na luta livre, nos Jogos de 2016. Comentando a vitória, Helen disse à revista Sports Spectrum: “Só me lembro de ter pensado: Uau, Deus, não são muitas as pessoas que ganham as Olimpíadas. Isso é tão legal porque era uma meta por tanto tempo e parecia tão fora de alcance por tanto tempo que eu simplesmente assumi que você precisava ser sobre-humano para vencer”.

Maroulis havia se aposentado em 2019 após graves sintomas de concussão. Mas, ela conseguiu voltar para defender seu ouro em Tóquio, mesmo depois de sofrer uma outra lesão apenas duas semanas e meia antes das seletivas dos EUA, em abril. 

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO THE GOSPEL COALITION

quarta-feira, 28 de julho de 2021

Cinco cristãos são presos no Laos Três deles tiveram que pagar pela libertação temporária

   Os parceiros da Portas Abertas no Laos estão ajudando os cristãos a juntar a quantia                              restante para ter liberdade completa (foto representativa)

Em setembro de 2020, cinco cristãos foram detidos pelas autoridades do Laos depois de visitarem e compartilharem o evangelho com irmãos na fé. Um pastor, a esposa e três outros homens, do Sul do país, foram presos e levados pelas autoridades locais para interrogatório. Um dia depois, fomos informados de que o líder cristão e a esposa voltaram para casa, enquanto os demais foram levados para um centro de reabilitação. 

O parceiro local da Portas Abertas acredita que a polícia não encontrou uma evidência sólida de que os cristãos violaram a lei para prendê-los. No entanto, as autoridades também não quiseram liberá-los, por isso os colocaram na clínica de reabilitação. Em abril deste ano, os três cristãos que continuavam presos foram temporariamente libertos após pagarem uma quantia equivalente a mil dólares, graças à ajuda da igreja local.  

Porém, eles devem pagar mais mil dólares para ter a liberdade permanente. A Portas Abertas está trabalhando para levantar o valor restante e colaborar para a libertação dos irmãos na fé. Situações desse tipo são comuns no Laos, já que todas as atividades cristãs, até nas igrejas registradas, são monitoradas. Porém, para os cristãos ex-budistas o risco de perseguição é maior, pois enfrentam perseguição familiar e das autoridades.   

Pedidos de oração  

  • Apresente em oração esses cristãos para que continuem a ser fortes na fé e resistam à perseguição. 
  • Peça para que o Espírito Santo continue a alcançar aqueles que ainda não conhecem o evangelho no Laos. 
  • Interceda para que Deus abra os corações e mentes das autoridades, que elas tenham um encontro real com Cristo. 
  • fonte porta abertas.

terça-feira, 27 de julho de 2021

Drive-thru de oração leva esperança e fé a desempregados e enlutados da Covid-19 no RJ Com uma tenda itinerante, os cristãos levam a mensagem do Evangelho e oram pelas pessoas que foram atingidas pela crise do coronavírus.

 

                                                               Drive-Thru da Oração em Guapimirim (RJ). (Foto: Divulgação).

As igrejas de Guapimirim, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, se uniram para levar esperança e fé para desempregados e enlutados na pandemia da Covid-19, através de um drive-thru de oração.

Com uma tenda itinerante, que já passou por diferentes pontos da cidade, os cristãos levam a mensagem do Evangelho e oram pelos que foram atingidos pela crise do coronavírus: aqueles que perderam entes queridos pelo Covid-19, pessoas que sofrem com depressão ou algum tipo de vício e desempregados.

Lançado em 1° de maio, o projeto de ação social e evangelismo é uma iniciativa da Associação das Igrejas Evangélicas de Guapimirim, reunindo 15 denominações. 

“O objetivo do Drive-Thru da Oração foi amenizar, com a ajuda do Senhor Jesus, através da oração, o medo e a insegurança que muitos enfrentaram por causa da pandemia. Quase todo mundo teve um conhecido contaminado. Nós armamos uma tenda com identificação, sempre em uma via secundária para não atrapalhar o trânsito. Chamamos por microfone, faixas, cartazes e gestos para as pessoas virem até nós”, contou Moisés da Silva, participante do projeto, ao O Dia. 

A primeira fase do Drive-Thru da Oração foi até o dia 12 de junho, durante sete sábados, das 9h às 14h. A iniciativa passou pela Praça da Emancipação, no Centro, Parada Modelo, Praça da Vila Olímpia, Praça do Vale das Pedrinhas, entre outros bairros. As novas ações vão ser decididas em reunião da Associação das Igrejas Evangélicas de Guapimirim.

Para Moisés, que evangeliza na rua desde 2016, a ação não é para pregar uma denominação, mas para “apresentar a salvação em Cristo e o perdão dos pecados. Com a pregação do evangelho de Cristo, usamos fundamentos bíblicos. As pessoas têm o direito de querer receber ou não”.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO O DIA

segunda-feira, 26 de julho de 2021

Milhares de cristãos vão às ruas no centro dos EUA para clamar por avivamento Segundo o organizador, o objetivo é que o movimento se espalhe por todos os estados.

 Milhares de americanos reunidos, em Washington, para um movimento de oração, em outubro de 2020. (Foto: Reprodução/Impacto Evangelístico)

Milhares de americanos vão se reunir nesta sexta-feira (23), na cidade de Lebanon, no Kansas, para orar pela nação. O movimento de oração no “coração da América”, como é conhecida a região, pretende se espalhar pelos Estados Unidos.

O Lebanon é considerado um local estratégico para orações, por estar localizado no centro do território continental do país. “A missão é iniciar reuniões públicas de oração”, explicou Doug Small, do Project Pray e America's Prayer Meeting, que está ajudando a coordenar o evento nacional.

“O que estamos fazendo aqui, esperamos que aconteça em todo o país. Haverá um mapa dos Estados Unidos desenhado no solo para que possamos simbolicamente fazer uma caminhada de oração pela nossa nação”, explicou.

Oração estratégica

De acordo com o CBN News, Doug compartilhou que os americanos estão se reunindo para orar de forma estratégica “para que Deus cure nossa terra e traga avivamento e restauração”, disse.

Durante uma entrevista, ele contou que a ideia para o encontro de oração teve inspiração num outro evento que ocorreu há 30 anos, quando eles faziam orações de intercessão.

“Na ocasião, um intercessor disse: 'Eu vi um X preto em toda a nação e perguntei ao Senhor: Você finalizou? E o Senhor disse: Isso é pólvora. Estou espalhando pólvora em toda a nação’. E então uma faísca atingiu o centro e depois os EUA pareciam o mapa Bonanza”, disse ao se referir aos antigos filmes de faroeste.

Ele espera que a centelha de oração no centro geográfico dos EUA se espalhe por todo país. “Que isso aconteça entre janeiro e julho de 2022, nos centros de todos os estados”, enfatizou.

“Que cada cidade seja tomada por um movimento maravilhoso e louco de oração e arrependimento. Nossa única esperança é um grande despertar”, continuou.

O evento também inclui um passeio de oração envolvendo oito rotas de diferentes pontos de partida em todo o país. Haverá paradas para "Chamadas de Oração" em locais pré-determinados ao longo do caminho, mas todas as rotas vão terminar no Lebanon. Também haverá uma caravana de motocicletas que percorrerá os arredores do país a caminho do movimento.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE CBN NEWS

domingo, 25 de julho de 2021

Filho de apologista redescobre sua fé ao ver pai questionado por ateus: “Tive que decidir” Sean McDowell, filho do famoso apologista Josh McDowell, teve dúvidas se o cristianismo era verdadeiro e buscou sua própria experiência com Deus.

 

                                                           Sean McDowell com seu pai, Josh McDowell. (Foto: Reprodução)

Sean McDoweel, filho do famoso apologista Josh McDowell, teve sua fé em Deus questionada ao deparar com contra argumentos do consagrado livro de seu pai, “Evidência que exige um veredito”, que defende a fé cristã.

Na época, Sean com 19 anos e estudante universitário, encontrou um site ateu que refutava o livro ponto a ponto.

“Para ser honesto, eu provavelmente pensei que alguém não era cristão porque simplesmente não tinha lido ‘Evidência que exige um veredito’ ou ‘Mais que um carpinteiro’”, contou Sean em entrevista ao programa cristão 100 Huntley Street.

As obras apologéticas de Josh McDowell, que apresentam evidências da veracidade da Bíblia, ajudaram a firmar a fé de muitas pessoas. Entretanto, para Sean foram usadas para tentar minar sua confiança no cristianismo.

“De repente, estou lendo algumas pessoas realmente inteligentes — alguns médicos, advogados, filósofos, historiadores — indo capítulo por capítulo, rebatendo muito cuidadosamente os argumentos que meu pai havia apresentado”, relatou Sean.

Muito abalado, Sean se sentou com seu pai e confessou que estava com dúvidas sobre o Deus da Bíblia. “Quero ser honesto com você. Não tenho certeza se estou convencido de que o Cristianismo é verdadeiro”, disse o jovem.

Sean estava receoso de como o pai reagiria, já que o apologista tinha ministrado 27 mil palestras sobre a defesa da fé cristã em campi universitários, com o propósito de despertar jovens estudantes e ensinar o que seus professores ateus não queriam que eles soubessem.

“Acho ótimo”, respondeu Josh ao filho. “Eu o criei acima de tudo para buscar e seguir a verdade. Você não pode viver sua vida com base em minhas convicções. Você tem que saber o que acredita ser verdade e estar disposto a segui-la”.

Josh McDowell sabia o que se passava com o filho, porque já havia passado por algo parecido em sua juventude. Josh era ateu e decidiu estudar para contestar o cristianismo. Mas, de forma inesperada, foi através dos estudos que ele passou a crer em Deus e se tornou cristão.

Em busca da verdade

Então, o apologista aconselhou o filho a estudar mais e tirar suas próprias conclusões. “Obviamente, se você quiser minha ajuda, estou aqui para ajudá-lo. Sua mãe e eu te amamos, não importa o que aconteça”, disse o pai.

Sean percebeu que podia estudar livremente as questões de fé, sem receio de repercussões. E decidiu que precisava ter sua própria experiência de fé. “Eu realmente preciso me comprometer com a verdade e seguir onde ela me levar. Isso realmente me deixou meio curioso. Vou ler outros textos religiosos. Vou estudar outros livros. Eu realmente tive que decidir, não apenas por causa da família em que fui criado, eu tenho que acreditar no que eu acho que é verdade e ir em frente”, pensou o jovem na época.

Foi uma longa jornada até Sean reconstruir sua fé e crer por ele próprio em Deus. Sean contou que um livro em especial tocou seu coração, “O Retorno do Filho Pródigo”, de Henri Nouwen. Durante a leitura, o jovem descobriu que era o irmão mais velho da parábola bíblica.

“Este sou eu. Sempre fui um bom garoto. Eu não me rebelei. Não cometi o grande pecado, então sempre senti que meio que preciso de Jesus, mas sou melhor do que muitas pessoas porque não cometi esses pecados”, relatou.

Para Sean, foi a convicção de seus pecados que o levou a ter a convicção de sua fé. “Preciso da graça de Deus em minha vida tanto quanto qualquer pessoa, na verdade, talvez mais porque acho que não preciso. Acho que crianças cuja fé perdura, é um momento de verdadeira experiência de graça. Você tem que perceber que é verdade. Mas você também percebeu que está tão perdido quanto o filho mais velho”, afirmou.

Hoje, Sean McDowell segue os passos do pai na Teologia. Ele é professor de apologia na Biola University, uma faculdade cristã em La Mirada, na Califórnia (EUA), e já escreveu diversos livros apologéticos com o pai, Josh McDowell. Sean é especialista em tratar questões atuais, como a LGBTQ e transgenerismo.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO GOD REPORTS

sábado, 24 de julho de 2021

Milhares de cristãos vão às ruas no centro dos EUA para clamar por avivamento Segundo o organizador, o objetivo é que o movimento se espalhe por todos os estados.

 

Milhares de americanos reunidos, em Washington, para um movimento de oração, em outubro de 2020. (Foto: Reprodução/Impacto Evangelístico)

Milhares de americanos vão se reunir nesta sexta-feira (23), na cidade de Lebanon, no Kansas, para orar pela nação. O movimento de oração no “coração da América”, como é conhecida a região, pretende se espalhar pelos Estados Unidos.

O Lebanon é considerado um local estratégico para orações, por estar localizado no centro do território continental do país. “A missão é iniciar reuniões públicas de oração”, explicou Doug Small, do Project Pray e America's Prayer Meeting, que está ajudando a coordenar o evento nacional.

“O que estamos fazendo aqui, esperamos que aconteça em todo o país. Haverá um mapa dos Estados Unidos desenhado no solo para que possamos simbolicamente fazer uma caminhada de oração pela nossa nação”, explicou.

Oração estratégica

De acordo com o CBN News, Doug compartilhou que os americanos estão se reunindo para orar de forma estratégica “para que Deus cure nossa terra e traga avivamento e restauração”, disse.

Durante uma entrevista, ele contou que a ideia para o encontro de oração teve inspiração num outro evento que ocorreu há 30 anos, quando eles faziam orações de intercessão.

“Na ocasião, um intercessor disse: 'Eu vi um X preto em toda a nação e perguntei ao Senhor: Você finalizou? E o Senhor disse: Isso é pólvora. Estou espalhando pólvora em toda a nação’. E então uma faísca atingiu o centro e depois os EUA pareciam o mapa Bonanza”, disse ao se referir aos antigos filmes de faroeste.

Ele espera que a centelha de oração no centro geográfico dos EUA se espalhe por todo país. “Que isso aconteça entre janeiro e julho de 2022, nos centros de todos os estados”, enfatizou.

“Que cada cidade seja tomada por um movimento maravilhoso e louco de oração e arrependimento. Nossa única esperança é um grande despertar”, continuou.

O evento também inclui um passeio de oração envolvendo oito rotas de diferentes pontos de partida em todo o país. Haverá paradas para "Chamadas de Oração" em locais pré-determinados ao longo do caminho, mas todas as rotas vão terminar no Lebanon. Também haverá uma caravana de motocicletas que percorrerá os arredores do país a caminho do movimento.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE CBN NEWS

sexta-feira, 23 de julho de 2021

Liberdade religiosa: Franklin Graham vence na Justiça do Reino Unido, após anúncio banido O anúncio de um evento com Franklin Graham havia sido proibido em 2018, após a pressão de grupos LGBT e islâmicos.

Franklin Graham promoveu o Festival da Esperança de Lancashire na Inglaterra, em 2018. (Foto: Associação Evangelística Billy Graham)

Um conselho do Reino Unido foi multado em £ 109.000 (equivalente a quase R$ 781.600) por proibir anúncios de uma campanha evangelística com Franklin Graham, violando seus direitos humanos.

Em 2018, o Conselho Municipal de Blackpool e o Serviço de Transportes de Blackpool removeram anúncios de ônibus para o Festival da Esperança, promovido pela Associação Evangelística Billy Graham (BGEA, na sigla em inglês). 

Na época, o Conselho decidiu remover os anúncios em meio à pressão de grupos LGBT e islâmicos, devido às declarações de Graham à BBC News sobre o casamento gay e extremismo religioso.

Em abril deste ano, o Tribunal do Condado de Manchester decidiu que o Conselho havia desrespeitado “o direito à liberdade de expressão”. 

O caso chegou a uma conclusão no tribunal em julho, quando foi determinado que o Conselho deveria pagar a multa e emitir um pedido público de desculpas. No dia 9, a entidade desculpou-se “pelos transtornos causados”.

                             Anúncio de ônibus apresentava a frase “tempo de esperança”. (Foto: Associação Evangelística Billy Graham)

“Este é um momento importante para a liberdade religiosa no Reino Unido”, disse Franklin Graham no site da BGEA. “Somos gratos a Deus pelo resultado final deste caso e pelo que isso significará para as igrejas e cristãos em todo o Reino Unido nos próximos anos.”

Apesar dos protestos e da tentativa de impedir Franklin Graham de entrar no país, o Festival da Esperança de Lancashire atraiu 9 mil pessoas em Blackpool, com mais de 50 mil visualizações online em todo o mundo, de 21 a 23 de setembro de 2018.

“As Boas Novas de Jesus Cristo devem ser proclamadas”, disse Graham. “Minha oração é que este caso encoraje os cristãos a permanecerem firmes.”

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA BBC NEWS

quinta-feira, 22 de julho de 2021

Israel é atacado pelo Líbano e retalia foguetes: ‘Vamos responder às ameaças’ Naftali Bennet deixou claro que não permitirá danos à soberania e segurança de Israel.

                         Israel é atacado pelo Líbano e retalia foguetes. (Foto: Ibraheem Abu Mustafa/Reuters)

Na manhã desta terça-feira (20), o exército israelense disparou contra o Líbano em resposta a dois foguetes lançados em seu território. O primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett, disse que aqueles que tentarem prejudicar Israel pagarão “um preço doloroso”.

“Digo isto de forma nítida e clara — não permitiremos danos à soberania e segurança de Israel”, enfatizou. Um dos foguetes foi interceptado pelo sistema antimísseis Cúpula de Ferro, e outro caiu em um terreno baldio, conforme o Exército israelense. 

Segundo fontes de segurança libanesas, foguetes do tipo Grad foram lançados do sul do Líbano para Israel. O Exército libanês ainda não identificou os autores. 

Estacionada no sul do Líbano na fronteira com Israel, a Finul (Força Interina das Nações Unidas no país) pediu “mais moderação” dos envolvidos. “A Finul está em contato com as duas partes e pede que se evite uma escalada", afirmou a Força Interina em comunicado. 

Ao lembrar que o Líbano está à beira do colapso, referindo-se ao severo caos econômico, político e social que o país está enfrentando, Bennett lamenta, mas deixa claro que isso não impedirá Israel de se defender.

“Isso é lamentável, mas não aceitaremos uma repercussão da situação do Líbano em Israel”, disse. O primeiro-ministro fez seus comentários durante uma cerimônia marcando a conexão da cidade de Ma'alot-Tarshiha com a rede de fibra ótica de Israel.

Ação de terroristas

Não houve relatos de feridos ou danos, e o Exército disse não ter instruções especiais para os moradores da região. O ministro da Defesa, Benny Gantz, disse que o Líbano foi responsável pelo ataque noturno com foguetes porque o país “permite que terroristas operem em seu território”.

“Israel vai agir contra qualquer ameaça à sua soberania e aos seus cidadãos, e responderá de acordo com seus interesses, no momento e lugar relevantes”, disse Gantz. 

Ele também exortou a comunidade internacional a agir para restaurar a estabilidade no Líbano, em meio ao que o Banco Mundial diz ser uma das piores crises financeiras do mundo, desde a década de 1850.

O ataque da manhã ocorreu cerca de quatro horas depois que a mídia estatal síria disse que aeronaves israelenses lançaram uma série de mísseis contra alvos perto da cidade síria de Aleppo.

Os militares israelenses acreditam que os foguetes no norte de Israel foram disparados por um grupo palestino no sul do Líbano, não pelo poderoso grupo terrorista Hezbollah. 

No entanto, o Hezbollah mantém controle rígido sobre o sul do Líbano, tornando improvável que tal ataque seja conduzido desta área sem pelo menos sua aprovação tácita.

Defesa de Israel

Em resposta, o Exército israelense disse que havia disparado projéteis de artilharia contra a fonte dos foguetes, na região de Wadi Hamoul, no Líbano. Esta também foi a área de onde foguetes foram disparados contra Israel por terroristas palestinos em maio.

O Exército libanês anunciou que localizou três lançadores de foguetes Grad, um dos quais estava armado, na cidade de Qlaileh, ao sul de Tiro. Existem vários grupos terroristas palestinos operando no sul do Líbano, junto com o Hezbollah, que é apoiado por Teerã e é aliado próximo ao regime de Assad da Síria.

Israel frequentemente atinge alvos e combatentes do Hezbollah na Síria em um esforço para impedir que a milícia terrorista abra uma segunda frente contra Israel lá, de acordo com o Times of Israel.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE THE TIMES OF ISRAEL

quarta-feira, 21 de julho de 2021

Pastor que foi preso por fazer cultos no Canadá ministrou companheiros de cela O pastor Tim Stephens passou 18 dias preso por fazer cultos em meio às medidas restritivas da Covid-19.

                               Pastor Tim Stephens pregando no início de 2021. (Foto: Fairview Baptist Church/YouTube)

pastor Tim Stephens, que foi preso no Canadá depois que um helicóptero da polícia descobriu onde ele realizava cultos ao ar livre durante a pandemia, teve a oportunidade de ministrar outros presidiários.

Stephens, que é pastor da Igreja Batista Fairview em Calgary, na província de Alberta, foi levado pela polícia em frente à sua casa, enquanto seus filhos choravam.

Ele deveria ficar preso até 12 de julho, mas acabou sendo liberado em 1º de julho, quando o Canadá liberou algumas medidas mais restritas da Covid-19. No total, o pastor passou 18 dias preso.

Stephens relatou ao site canadense Rebel News que, devido às restrições da Covid-19, os presos ficam em suas celas 23 horas e meia por dia. “Você não tem nem travesseiro. Só alguns cobertores e um colchão duro muito fino”, disse.

“É uma experiência muito desumana”, acrescentou. “Basicamente, você é colocado em uma pequena gaiola e é deixado lá, sem saber realmente o que vai acontecer nas próximas horas, dias ou semanas”.

O pastor batista revelou ainda que era tratado com respeito por outros presos. “Quando eles entenderam por que eu estava lá, eles não acharam que era certo eu estar lá”, disse Stephens. 

“Eles me chamavam de 'pastor', eles se abriam sobre seus próprios problemas e queriam conselhos, queriam orientações. Até mesmo os presos que eram ateus endurecidos passaram a apreciar de onde eu vim, e nós criamos uma boa amizade entre os presos lá na cadeia”, continuou.

Stephens também falou sobre os recentes incêndios de igrejas no Canadá e disse que o programa de escolas residenciais para índios canadenses foi resultado do fato de o governo ter abusado de sua autoridade. 

O pastor explica ainda por que sua igreja vai continuar fazendo cultos: “Nossas convicções são estabelecidas pela palavra de Deus e por nossa responsabilidade perante o Senhor Jesus Cristo. Portanto, por obediência a Cristo, continuamos nos reunindo e eu continuo liderando a igreja nas reuniões.”

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DA CBN NEWS

terça-feira, 20 de julho de 2021

Pregador de rua preso na China é libertado, após ser mantido sob vigilância por 20 anos Os oficiais do Partido Comunista Chinês sabiam por onde e com quem Chen Wensheng havia pregado. Somente em 2021, Chen Wensheng pregou mil vezes em várias cidades chinesas.

 

                     Chen Wensheng já foi presos várias vezes por “evangelismo ilegal” nas ruas da China. (Foto: China Aidi).

Chen Wensheng, um pregador de rua da cidade de Hengyang, que havia sido preso pela polícia chinesa no mês passado, foi libertado no dia 8 de julho, após ter sido interrogado e coagido a parar de pregar o Evangelho nas ruas da China.

O evangelista Chen foi preso no dia 19 de junho por oficiais de segurança do Partido Comunista Chinês (PCC), na província de Zhejiang. Depois de levá-lo de volta para a província de Hunan, onde mora, as autoridades mantiveram o cristão sob vigilância por 20 dias, no West Lake Resort.

Durante sua detenção, líderes do Bureau de Assuntos Étnicos e Religiosos e o Departamento de Segurança do Estado interrogaram Chen e tentaram o persuadir a parar de pregar o Evangelho nas ruas das cidades chinesas.

Os oficiais do PCC disseram ao pregador que já estavam lhe vigiando há 20 anos e sabiam os lugares por onde o cristão havia pregado. De acordo com o China Aid, as autoridades chinesas sabiam de todas as viagens que Chen Wensheng havia feito naquele período, bem como as pessoas que viajaram com ele.

Os oficiais documentaram até mesmo quando o pregador viajou com outros quatro cristãos por vários países a caminho do Tibete, onde evangelizaram.

A respeito da vigilância da qual foi vítima, Chen declarou recentemente: “Graças a Deus pelo conhecimento completo do PCC do fato de que vou a diferentes lugares para pregar o Evangelho. Eles contaram meu histórico como se estivessem enumerando a herança de sua própria família. As autoridades também me disseram que, em 2021, eu estive em outras regiões para proclamar o evangelho mais de mil vezes”.

Na tarde do dia em que foi solto, Chen foi, surpreendentemente, bem tratado pelos oficiais de segurança, que lhe ofereceram vários pratos e bebidas no seu último jantar na detenção no luxuoso West Lake Resort.

O evangelista Chen afirmou que deseja que os oficiais tenham fé no Evangelho e recebam Jesus.

“Estou muito grato pelos guardas terem demonstrado misericórdia de mim desta vez. Agradeço a Deus por seu amor e cuidado absolutos, por ter experimentado o tratamento especial de comissário do Evangelho do Reino de Deus. Que o meu Deus tenha misericórdia deles e conceda-lhes fé para que respondam à salvação do meu Senhor Jesus”, declarou.

Preso por “evangelismo ilegal”

Não é a primeira vez que o pregador de rua é preso pela polícia chinesa. Em agosto de 2020, Chen foi condenado a 10 dias de prisão por cometer “evangelismo ilegal” nas ruas da China.

Wensheng faz parte da Igreja Xiaoqun em Hengyang. Ele frequentemente carrega uma cruz de madeira com as frases “glória ao nosso Salvador” e “arrependa-se e seja salvo pela fé” enquanto evangeliza os pedestres.

Na China, o evangelismo é proibido fora dos locais autorizados pelo governo comunista. A organização International Christian Concern (ICC) relata que os evangelistas de rua enfrentam constante assédio ou detenção, enquanto suas igrejas sofrem ainda mais restrições pelas autoridades.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO INTERNATIONAL CHRISTIAN CONCERN

Cristã é expulsa de casa Após a conversão dela, o marido pediu divórcio e a expulsou de casa em Bangladesh

 

Depois de entregar a vida a Jesus, Rubina passou a enfrentar perseguição do marido e foi expulsa de casa em Bangladesh (foto representativa)

A cristã Rubina* morava em uma pequena vila no sudoeste de Bangladesh junto com o marido e duas filhas, mas agora ela não tem onde ficar. A família dela a expulsou porque ela passou a seguir Cristo. Há cerca de cinco meses, Rubina se deparou com uma pequena igreja na aldeia, onde o pastor local estava ensinando sobre a Bíblia. 

Ela se interessou pelo que o pastor falava e quis saber mais. Por não ser cristã, ela tinha medo de entrar na igreja. Então, ela ouvia o culto do lado de fora do prédio, por uma janela, e ia regularmente para ouvir o ensino. Um dia, o pastor local a notou e percebeu que nunca a tinha visto antes. Quando percebeu que Rubina estava ouvindo as aulas de domingo do lado de fora, saiu para se apresentar a ela. 

O pastor perguntou a Rubina o que ela estava fazendo fora do salão e ela respondeu: "Eu amo o ensino, então estou ouvindo. Eu gostaria de entregar minha vida a Jesus e compartilhar isso com meu marido." Rubina correu para casa para contar ao marido sobre Jesus e como ela decidiu segui-lo. Mas o marido ficou muito zangado e bateu nela até feri-la em vários lugares do corpo. 

O marido de Rubina avisou-lhe para nunca mais ir à igreja e a impediu de continuar ouvindo os ensinamentos sobre Jesus, mas a cristã não conseguiu parar. Ela sabia que Jesus era real, e queria saber mais. Por isso, passou a ouvir os ensinamentos em segredo, mas foi pega e foi agredida novamente. (Essa notícia continua) 

*Nome alterado por segurança.

fonte portas aberta.

domingo, 18 de julho de 2021

Pela primeira vez, judeus e cristãos se unem em Israel para ler as profecias de Isaías Cristãos e judeus fizeram juntos a leitura da Bíblia em uma maratona realizada em Israel, pela primeira vez, na quarta-feira (14).

 

                                                     Imagem de uma mulher lendo a Bíblia. (Foto: Chen Leopold/Flash90)

Israelenses participaram pela primeira vez, na quarta-feira (14), de uma maratona anual de leitura da Bíblia, uma iniciativa de cristãos que começou nos Estados Unidos em 2018.

Cada participante leu um capítulo do livro de Isaías, que profetizou a destruição da Babilônia e o retorno do povo judeu a Israel

A maratona começou às 7h14 do horário local — correspondendo ao texto de Isaías 7:14, que diz: “Por isso o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamará Emanuel.”

A Fundação Genesis 123, que trabalha para construir pontes entre cristãos e judeus, foi quem providenciou a participação de Israel na maratona de leitura bíblica. No entanto, para o líder da fundação, Jonathan Feldstein, a importância da participação de Israel “não pode ser exagerada”.

“Ler a Bíblia é especialmente adequado ao país sobre o qual foi escrita. Ler Isaías em Israel, como judeus e cristãos juntos, é ainda mais importante, pois ele profetizou sobre o povo judeu em sua terra, que é mencionado em 2 Crônicas 7:14, o catalisador e a fonte para essa iniciativa”, disse Feldstein. “É como se estivéssemos acendendo a tocha olímpica no local onde o fogo foi criado.”

Em Israel, o livro de Isaías foi lido em hebraico, inglês, árabe, russo, amárico, francês, espanhol e português, entre outras línguas.

A Maratona Bíblica Nacional foi fundada no estado americano de Iowa por Dianne Bentley em 2018. Os 99 condados de Iowa tomaram parte na iniciativa, dividindo os mais de 1.000 capítulos da Bíblia em 14 de julho às 7h14, separando cerca de 12 capítulos por condado.

“Começamos a ler no noroeste de Iowa com Gênesis e terminamos no sudeste de Iowa com o Apocalipse”, disse Bentley. “Em 1 hora e meia a 2 horas, a palavra de Deus foi proclamada em todo o estado de Iowa nos 99 gramados dos tribunais do condado de Iowa.”

Como Feldstein explicou, a base para a iniciativa é 2 Crônicas 7:14: “Se o meu povo, que é chamado pelo meu nome, se humilhar e orar e buscar a Minha face e se desviar de seus caminhos iníquos, então ouvirei do céu , e perdoará seus pecados e curará sua terra. ”

A terra referida no versículo da Bíblia é a Terra de Israel.

Em 2019, Bentley decidiu expandir a iniciativa de Iowa para 14 outras nações. Em 2020, cerca de 57 nações participaram da maratona. Este ano, 72 nações, incluindo Israel, estão participando.

Bentley disse que a iniciativa é compartilhada principalmente de boca a boca: “É um esforço da base”.

Judeus e cristãos juntos

Para Feldstein, ver cristãos e judeus lendo as Escrituras juntos tem um significado de peso. “Embora haja uma tendência histórica crescente e sem precedentes de judeus e cristãos se conectando e se associando no apoio a Israel, combate ao antissemitismo e outras questões sociais de interesse comum, não é todo dia que judeus e cristãos se unem em oração, ou algo como tão básico quanto ler a Bíblia juntos”.

Ele acrescentou que a participação é ainda mais importante em 2021, diante de pesquisas recentes que têm apontado uma tendência crescente entre jovens judeus e cristãos que têm se afastado da religião e do apoio ao Estado de Israel.

“O fato de judeus e cristãos estarem se unindo nesta comunhão bíblica é o estabelecimento de um precedente, estabelecendo um modelo para os jovens se reconectarem”, disse Feldstein. “A restauração desses valores, mesmo por meio de algo tão terreno como ler a Bíblia, pode ser uma resposta redentora a muitas orações.”

FONTE: RVG, COM INFORMAÇÕES DO JERUSALEM POST

sábado, 17 de julho de 2021

Organizações cristãs na Europa são listadas como ‘extremistas’ por não defender aborto Um documento do Parlamento Europeu se refere a cristãos e conservadores como “antidemocráticos” e “enganadores de mulheres e jovens”.

 

                      Manifestantes protestam contra lei que limitou o direito ao aborto na Polônia. (Foto: AFP/Wojtek Radwanski

Um documento publicado por uma coalizão pró-aborto, de membros do Parlamento na Europa, apontou as organizações cristãs como “extremistas religiosas” e disse que elas são “inimigas dos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres” no continente.

Lembrando que os termos “direitos sexuais e reprodutivos” se referem ao aborto e são usados para amenizar a violência do ato que é considerado como “assassinato de vidas inocentes” pelos defensores pró-vida.

O relatório intitulado “A ponta do iceberg” de 108 páginas, foi produzido pelo Fórum Parlamentar Europeu para os Direitos Sexuais e Reprodutivos (EPF) para “pintar um quadro transnacional do sistema de financiamento clandestino que apóia a deliberação dos atores anti-gênero, estratégia para retroceder os direitos humanos na Europa”. 

O movimento “anti-gênero” apontado no relatório se refere aos grupos defensores pró-vida e pró-família, ou seja, pessoas que defendem crenças bíblicas sobre o casamento entre homem e mulher e constituição familiar de acordo com os preceitos divinos.

O documento foi publicado apenas dois dias depois de uma lista negra semelhante na Argentina. Os grupos-alvo incluem o Movimento Político Cristão Europeu e a ADF (Alliance Defending Freedom), uma associação que atua em nome dos cristãos perseguidos.

Aborto como um ‘direito humano’

A publicação do documento aconteceu em 15 de junho, uma semana antes de o Parlamento Europeu votar o polêmico relatório Matic, que promove o aborto como um “direito humano” em toda a União Europeia.

O documento identifica 54 “atores anti-gênero operando na Europa” e enfatiza especificamente como “extremistas religiosos de mentes semelhantes” que ajudaram “na ascensão do ultraconservadorismo”, desde 2009.

França, Itália, Alemanha, Espanha e Polônia são identificados como os países europeus onde as organizações pró-vida e pró-família têm maior apoio e solidez financeira, mas o documento também tenta provar ligações de grupos conservadores europeus com grandes doadores dos Estados Unidos. 

Católicos e ‘comunidades protestantes minoritárias’

O documento dedica uma seção para falar sobre o “dinheiro obscuro da direita cristã dos Estados Unidos” e também fala sobre uma “chuva de rublos do Oriente” (referindo-se à influência ortodoxa da Rússia).

O documento, escrito por Neil Datta, secretário da organização em Bruxelas, diz que os atores estatais na Europa “enganam as mulheres” e “doutrinam os jovens” para “limitar os direitos das mulheres e o público LGBT”.

Redes católicas, grupos ortodoxos orientais e “comunidades protestantes minoritárias” são apresentadas como a base religiosa que alimenta a mobilização anti-gênero na Europa.

Organizações cristãs na lista negra

Entre as organizações apresentadas no polêmico documento como uma ameaça aos direitos das mulheres na Europa está o Movimento Político Cristão Europeu (ECPM), uma plataforma que reúne deputados do Parlamento Europeu e partidos cristãos convictos. 

Em uma entrevista em 2018, o Diretor Geral da ECPM, Auke Minnema, disse: "Os cristãos devem estar na política por causa de impacto, não por poder". Em resposta ao Evangelical Focus, o ECPM disse que “não reagiria a este relatório”.

Além disso, a ADF na Europa é frequentemente citada como um ator importante na área de advocacia legal. Reagindo ao relatório, Adina Portaru, Conselheira Sênior na Europa, disse ao Evangelical Focus. “Enquanto apoiamos o debate aberto e a discussão sobre os tópicos relacionados ao nosso trabalho, o Fórum Parlamentar Europeu para os Direitos Sexuais e Reprodutivos (EPF) tem procurado encerrar conversas sobre direitos humanos por meio de uma campanha de difamação direcionada”.

Adina Portaru acrescentou: “ADF International é uma organização de direitos humanos que protege as liberdades fundamentais e promove a dignidade inerente a todas as pessoas. Defendemos as minorias religiosas perseguidas em todo o mundo e apoiamos o direito à vida”, disse.

“Nossa campanha 'Vanishing Girls' no sudeste da Ásia, por exemplo, defende as meninas contra a discriminação baseada no sexo, tanto antes quanto depois do nascimento”, continuou. 

“Todo o nosso trabalho para os clientes é pro bono [gratuito]. Recebemos recursos de doadores privados que acreditam na nossa visão”, resumiu. 

Outros grupos com uma visão de mundo bíblica mencionados na lista negra do EPF incluem o Christen Unie (um partido político com 5 cadeiras no parlamento holandês) e a Organização Evangelística Billy Graham.

O EPF publicou este documento em junho, o conhecido mês da conscientização LGBT, admitindo em um comunicado de imprensa que estava sendo tornado público antes do “primeiro Relatório do Parlamento Europeu”, especificamente dedicado a toda a gama de saúde e direitos sexuais e reprodutivos em quase 10 anos.

O relatório Matic foi aprovado pelo Parlamento Europeu em 23 de Junho, para promover o “aborto gratuito e legal” sem barreiras.

Entre as duas dezenas de grandes organizações listadas como doadoras do EPF estão: a Organização Mundial da Saúde, o Fundo de População das Nações Unidas, a Comissão Europeia, a Federação Internacional de Planejamento Familiar e as Fundações de Sociedade Aberta.

Vale citar que os “atores anti-gênero” na Europa, os conservadores, padres, pastores evangélicos, igrejas e organizações cristãs foram citados como “antidemocráticos”.

FONTE: RVG, COM INFORMAÇÕES DE EVANGELICAL FOCUS

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

NOSSOS OUVINTES,ONLINE, PELO MUNDO

Flag Counter

Atriz de ‘Patricinhas de Beverly Hills’ superou vício através da fé: “Agradeço ao Senhor” Criada por pais viciados em drogas, Stacey Dash revelou que foi abusada na infância, tentou suicídio e se tornou viciada na vida adulta.

                      Stacey Dash é conhecida por atuar em As Patricinhas de Beverly Hills. (Foto: Michael Tran/Getty Images) Muitos conhece...