WEB RÁDIO VERDADE GOSPEL

ISLAIDE TESTE

ISLAIDE TESTE
webradioverdadegospel@gmail.com

DISPONÍVEL NA PLAY STORY

DISPONÍVEL NA PLAY STORY
DISPONIVÉL NA PLAY STORY

JOÃO 3:16

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUPLICIDADE

IBADEP TEOLOGIA

IBADEP TEOLOGIA
IBADEP TEOLOGIA

sexta-feira, 7 de maio de 2021

Após igrejas orarem pela paz, cristãos na Síria relatam trégua dos conflitos Os confrontos aconteceram no bairro sírio de al-Tay, que faz fronteira com um bairro de maioria cristã.

 


O pastor George Moushi decidiu ficar em Qamishli e apoiar seu povo mesmo diante do aumento da tensão na região desde outubro de 2019. (Foto: Portas Abertas)

Em meados de abril, vários confrontos ocorreram na Síria, em áreas onde habitam os cristãos que vivem no país. Os combates entre as forças curdas e o governo sírio aconteceram na região nordeste de Qamishli. “Houve fatalidades em ambos os lados. As armas dispararam a noite toda”, compartilhou o pastor George Moushi. 

A milícia curda tentou assumir o controle do bairro de al-Tay, que faz fronteira com um bairro de maioria cristã. A igreja convocou os fiéis a orarem pela paz e desde o dia 26 de abril, houve uma trégua que parece estar se mantendo, conforme a Portas Abertas do Reino Unido.

As primeiras pessoas deslocadas estão voltando para suas casas. “Pedimos oração para que Jesus derrame Sua paz nos corações das pessoas responsáveis, para que acreditem que o caminho para a paz é o amor. Ore por nossa proteção e sejamos unidos em oração”, pediu o pastor Samir.

Sob o poder da oração

Os seguidores de Jesus em Qamishli agradeceram pelos que oraram durante as últimas semanas. A trégua após a intervenção das forças armadas russas se mantiveram. 

Um dos colaboradores da Portas Abertas que vive na região compartilhou uma mensagem de voz, dizendo: "No início, eles concordaram com uma trégua, mas a quebraram duas vezes no meio da noite, então as forças russas intervieram e impuseram outra trégua e estão mantendo-a agora, a situação está mais calma e os cristãos se sentem seguros novamente”, disse. 

“Gostaria de agradecer a todos que oraram por nós. Que Deus abençoe a todos e os proteja. Por favor, continuem orando pela cidade e pela igreja em Qamishli para ser um farol na escuridão, e para poder continuar espalhando a palavra de Deus na cidade”, pediu o colaborador.

Mesmo após 10 anos da guerra, os cristãos na Síria ainda enfrentam as consequências dos conflitos. Muitos ainda têm dificuldade para conseguir alimentos, assistência médica e auxílio profissional. 

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE PORTAS ABERTAS

quinta-feira, 6 de maio de 2021

“Eu só estava pregando o que a Bíblia diz”, afirma pastor preso em Londres por homofobia O Pr. John Sherwood foi acusado de declarações homofóbicas por dizer que ‘Deus criou apenas dois sexos, homem e mulher’.

 

Espectadores filmaram a abordagem da polícia e a prisão do Pr. John Sherwood. (Foto: Reprodução / Daily Mail)

Em 23 de abril, o pastor John Sherwood, de 71 anos, foi algemado, preso e interrogado pela polícia acusado de fazer comentários homofóbicos do lado de fora da estação de Uxbridge, no oeste de Londres.

O pastor alegou que ficou machucado depois que a polícia o puxou de uma mini escada onde ele estava e algemou suas mãos atrás das costas.

A polícia disse ter recebido reclamações de que o homem estava fazendo 'comentários supostamente homofóbicos' e o prendeu sob a Lei de Ordem Pública, que pode ser usada sob a vaga ressalva de que alguém está usando 'palavras abusivas ou insultuosas' que causam 'dano' a alguém. Mais tarde, ele foi libertado sem acusações.

Pastor há 35 anos, Sherwood disse que “não estava fazendo nenhum comentário homofóbico, estava apenas definindo o casamento como um relacionamento entre um homem e uma mulher. Eu estava apenas dizendo o que a Bíblia diz e não queria machucar ou ofender ninguém”.

“Eu estava fazendo o meu trabalho, que é pregar o Evangelho ao ar livre, bem como no prédio de igreja. Quando a polícia se aproximou de mim, expliquei que estava exercendo minha liberdade religiosa e minha consciência. Fui puxado à força para baixo dos degraus e sofri alguns ferimentos no pulso e no cotovelo. Eu acredito que fui tratado de forma vergonhosa. Isso nunca deveria ter acontecido”, declarou.

Sherwood, que prega em uma igreja evangélica independente no norte de Londres, foi preso sob a Lei de Ordem Pública por supostamente causar alarme ou angústia. Ele foi libertado sem acusações, mas um arquivo foi encaminhado ao Crown Prosecution Service para revisão.

A Polícia Metropolitana disse que um indivíduo sinalizou para os policiais e alegou que Sherwood fez comentários homofóbicos.

Imagens de celular da prisão de sexta-feira mostram Sherwood em pé na escada com uma Bíblia na mão, do lado de fora de uma estação de metrô em Uxbridge, no oeste de Londres. Oficiais podem ser ouvidos dizendo a ele para descer antes que pareçam agarrá-lo pelas mãos e puxá-lo para baixo.

Os espectadores podem ser ouvidos gritando: "Ele é um homem idoso - vá com calma com ele", antes de os policiais algemarem Sherwood e levá-lo para um carro da polícia.

Liberdade de expressão

Sherwood disse que os policiais o interrogaram sobre sua atitude para com os gays. Ele foi até questionado sobre o que ele faria se seus filhos fossem gays. Casado e pai de dois filhos, ele disse: “A questão era irrelevante para a acusação contra mim. Eu disse que procuraria levá-los a Cristo, mas é claro que os amaria de qualquer maneira, porque são meus filhos”.

Andrea Williams, da Christian Concern, disse que a polícia precisava de maior compreensão da lei em torno da liberdade de expressão e religião.

“Há uma ideia de que se as pessoas se ofendem, você deve prender alguém, mas neste país também temos liberdade de expressão”, declarou.

Um porta-voz da Polícia Metropolitana disse que sua diretoria de padrões profissionais avaliou o vídeo da prisão de Sherwood e não encontrou evidências de má conduta por parte dos policiais.

Uma declaração postada em um Facebook cristão sobre o caso diz:

 “Enquanto ele pregava, ele expôs os versículos finais de Gênesis 1, declarando que o propósito de Deus ao criar a humanidade era estabelecer os seres humanos em famílias, chefiados por um pai e uma mãe, não por dois pais, ou por duas mães. A distinção dentro da humanidade de apenas dois gêneros, masculino e feminino, feitos à imagem de Deus, constitui a essência da ordem criada por Deus.”

Revolta

As cenas do pastor sendo abordado pela polícia foram filmadas por transeuntes. No início da filmagem, dois policiais podem ser vistos incitando o homem a descer do banquinho, dizendo-lhe: “Você está preso”.

O pastor se recusa repetidamente, levando os dois oficiais a pegá-lo pelas mãos e guiá-lo a descer os degraus. Uma luta começa quando o homem mais velho parece se livrar das garras dos policiais.

Vários espectadores, incluindo uma mulher mais velha e um cachorro latindo entrando na briga.

Os dois policiais lutam para algemar o homem enquanto um deles lhe diz: “Não quero que você se machuque”.

O pastor então é conduzido para longe da multidão por um dos policiais, enquanto vários curiosos podem ser vistos com seus telefones celulares.

O pastor Peter Simpson, ministro da Penn Free Methodist Church em Buckinghamshire, que estava pregando com o pastor Sherwood antes da prisão, disse: “Tudo o que ele disse foi baseado na Bíblia. Ele não estava dizendo nada abusivo; ele é um ministro cristão. Não parecia haver nenhum reconhecimento por parte da polícia da existência de ministros cristãos e de tais pontos de vista”.

“Se houvesse uma parada do Orgulho LGBT em Uxbridge, a polícia apoiaria mesmo que os cristãos fossem ofendidos. Você não precisa ser um cristão evangélico para ficar chocado com isso. Qualquer pessoa que se preocupa com a liberdade deve se preocupar com o que aconteceu em Uxbridge”, disse o pastor.

“Trata-se de defender nossa civilização cristã, ou o que resta dela. A crença em Gênesis 1:27 é fundamental para a fé cristã”, afirmou.

“Esta prisão de um ministro fiel por não fazer nada além de declarar o que a Bíblia ensina sobre uma das importantes questões morais de nosso tempo revela um ataque perigoso à liberdade de expressão e, não menos importante, à liberdade dos pastores cristãos de declarar em público tudo o que a Bíblia ensina. O Estado não tem o direito de designar que algumas partes da palavra de Deus são áreas proibidas”, disse.

“Quaisquer que sejam as opiniões pessoais sobre a homossexualidade, é certamente pertinente perguntar em que tipo de nação nos tornamos para que o ministro de uma igreja cristã seja preso por defender em praça pública as mesmas verdades que Sua Majestade a Rainha prometeu defender em seu juramento de coroação em 1953, com uma Bíblia na mão?”, questionou o pastor.

Andrea Williams, executiva-chefe do Christian Legal Centre, disse que “a pregação de rua tem uma longa e honrosa história no Reino Unido. Em muitos aspectos, é um símbolo do tipo de liberdade que valorizamos nesta nação. Portanto, ver um pastor de 71 anos preso dessa maneira por pregar o Evangelho em Londres é profundamente preocupante”.
FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO DAILY MAIL 

quarta-feira, 5 de maio de 2021

Morre o blogueiro evangélico Julio Severo Julio Severo faleceu após um infarto em sua casa na Guatemala, onde morava com a família.

 

                                         Severo morreu após um infarto em sua casa na Guatemala. (Foto: Blog Julio Severo)

O blogueiro e escritor Julio Severo, conhecido por ser um ativista evangélico e suas posições críticas, morreu nesta terça-feira (4) após um infarto em sua casa na Guatemala.

Julio era um grande defensor da ideologia conservadora e cristã. Por causa de suas críticas, foi alvo de ações e uma queixa de “homofobia” em 2006 no Ministério Público Federal (MPF), por parte da Associação da Parada do Orgulho Gay de São Paulo.

Desde então, ele saiu do Brasil e passou a morar na Guatemala com sua família e, de lá, continuava atuando no blog Julio Severo, expondo críticas e sua visão conservadora.

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, lamentou a morte de Severo nas redes sociais.

“Conheci Julio em 1997. Nestes 23 anos, vi também Julio defender a infância com afinco. Ele foi o pioneiro no Brasil em muitas lutas. Julio Severo foi um escritor independente, um homem de crenças, marido, pai de família e um homem apaixonado por sua nação”, disse a ministra.

“Que o doce Espírito Santo console o coração de sua linda família e de todos seus milhares de leitores”, Damares acrescentou.

O deputado federal Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) também lamentou a perda. “Acabou de falecer, aparentemente de um infarto em casa, na Guatemala, onde morava com a esposa Sarah e 6 filhos”, informou. 

“À toda a família e amigos minhas condolências, perda irreparável!”, acrescentou o parlamentar.

O filósofo Olavo de Carvalho também confirmou a morte no Twitter. “Julio Severo morreu. Que Nosso Senhor perdoe os seus pecados.”

FONTE: GUIAME

terça-feira, 4 de maio de 2021

Patricia Abravanel leva pastor aos bastidores do SBT para orar pela equipe A reunião de fé, no entanto, foi criticada pelos sindicatos dos jornalistas e radialistas de São Paulo.

 

                                                  Patrícia Abravanel é apresentadora do "Vem Pra Cá". (Foto: Divulgação/SBT)

Os bastidores do SBT foram tomados por palavras de fé e esperança na última sexta-feira (30). Depois da transmissão do programa “Vem Pra Cá”, Patricia Abravanel convidou membros da equipe para um momento de oração.

Três líderes da Zion Church, sediada na Zona Sul de São Paulo, realizaram um pequeno culto com profissionais da área técnica, produtores e editores. Na ocasião, eles também oraram por aqueles que apresentavam algum tipo de enfermidade.

O momento foi relatado primeiramente pelo jornalista do site TV Pop, Gabriel de Oliveira, que alegou que os funcionários foram “forçados a participar de uma sessão do descarrego improvisada”.

No entanto, um funcionário do SBT que participou da oração disse ao UOL que “ninguém foi obrigado a descer para o estúdio”. A intenção da apresentadora teria sido de, neste momento difícil, oferecer “um carinho” para a equipe, “uma simples oração”. 

O SBT ainda negou que três funcionários tenham sido dispensados por causa da reunião de oração, como relatou o site. Segundo a emissora, já estava programada a demissão de um desses funcionários no final do mês devido a uma necessidade de reestruturação da equipe. 

Críticas

A reunião de oração foi criticada pela diretoria do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo. “Relações de trabalho não envolvem religião. As pessoas têm direito à liberdade religiosa e não podem ser constrangidas por crenças vinculadas ao empregador”, disse ao UOL.

O diretor coordenador do Sindicato dos Radialistas no Estado de São Paulo, Sérgio Ipoldo, também se manifestou: “Vivemos em um país laico. A empresa deveria cuidar mais das pessoas que estão se infectando pelo novo coronavírus, inclusive com mortes de trabalhadores em São Paulo e no Rio de Janeiro”, afirmou.

Ipoldo sugeriu ainda que irá “levantar junto aos trabalhadores e ver se cabe alguma denúncia ao Ministério Público ou órgãos sanitários”. 

A filha de Silvio Santos, proprietário do SBT, tem sido cada vez mais aberta sobre sua fé cristã. Nas redes sociais, confraternizações de fim de ano e programas especiais da emissora, ela têm expressado os valores do cristianismo e sua relação com Deus.

“Orar faz muito parte da minha vida. Tudo o que eu conquistei começou com uma sementinha de oração. Eu acredito muito que minhas orações moveram os céus para as coisas acontecerem”, disse ela em live com o pastor André Valadão no ano passado.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO UOL

segunda-feira, 3 de maio de 2021

Aplicativos da Bíblia e sites cristãos são fechados na China As autoridades também foram retiraram as contas públicas do Christian WeChat, que dá suporte a conteúdos cristãos.

 

                                                     O presidente chinês, Xi Jinping. (Foto: Reprodução / UGCN)

Em um movimento para reprimir ainda mais o Cristianismo em todo o país, o governo chinês está visando os aplicativos da Bíblia e as contas públicas do Christian WeChat foram removidos.

De acordo com a Chinese Christian Fellowship of Righteousness, algumas contas do WeChat cristão não estão mais disponíveis online.

As autoridades também foram retiraram as contas públicas do Christian WeChat quando "novas medidas administrativas altamente restritivas" sobre grupos religiosos entraram em vigor no sábado.

Alguns instantâneos da página de destino das contas cristãs, como "Gospel League" e "Life Quarterly" não mostram mais nenhum conteúdo.

Em vez disso, aparece a mensagem "[Recebemos] um relatório de que [esta conta] viola as 'Provisões de gerenciamento de serviços de informações de contas públicas para usuários da Internet' e sua conta foi bloqueada e suspensa".

Os aplicativos da Bíblia foram removidos da App Store na China, enquanto as Bíblias impressas não estão disponíveis para venda online. Aqueles que desejam baixar aplicativos da Bíblia precisam usar VPN para contornar o Firewall.

Para as livrarias pertencentes às Igrejas Three-self, sancionadas pelo Estado, eles estão vendendo cada vez mais livros que promovem os pensamentos do presidente Xi Jinping ou a ideologia do Partido Comunista Chinês (PCC). Até mesmo suas contas no WeChat estão se transformando em canais de propaganda para o partido comunista.

De acordo com relatórios divulgados recentemente, a perseguição religiosa na China se intensificou em 2020, com milhares de cristãos afetados pelo fechamento de igrejas e outros abusos dos direitos humanos. O país ordenou aos cristãos que destruíssem as cruzes de suas igrejas e colocassem imagens de líderes comunistas nas igrejas.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DA ICC

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

NOSSOS OUVINTES,ONLINE, PELO MUNDO

Flag Counter

Após igrejas orarem pela paz, cristãos na Síria relatam trégua dos conflitos Os confrontos aconteceram no bairro sírio de al-Tay, que faz fronteira com um bairro de maioria cristã.

  O pastor George Moushi decidiu ficar em Qamishli e apoiar seu povo mesmo diante do aumento da tensão na região desde outubro de 2019. (Fot...