WEB RÁDIO VERDADE GOSPEL

ISLAIDE TESTE

ISLAIDE TESTE
webradioverdadegospel@gmail.com

DISPONÍVEL NA PLAY STORY

DISPONÍVEL NA PLAY STORY
DISPONIVÉL NA PLAY STORY

JOÃO 3:16

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUPLICIDADE

IBADEP TEOLOGIA

IBADEP TEOLOGIA
IBADEP TEOLOGIA

sexta-feira, 16 de abril de 2021

“Para o STF, a igreja deve se portar como uma mera ONG”, diz pastor Franklin Ferreira O pastor questiona se a Igreja terá poder para definir sua prática de fé ou se o Estado vai decidir pelos cristãos como as igrejas devem proceder.

 

Os ministros Gilmar Mendes e Carmem Lúcia, durante sessão do STF para decidir sobre cultos presenciais durante a pandemia. (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Em seu artigo mais recente, publicado ontem (12) pelo jornal Gazeta do Povo, o colunista Franklin Ferreira, que também é pastor e professor de teologia, alerta para a forma como a Igreja tem sido tratada em tempos de pandemia. No Brasil, segundo ele, Igreja e Estado sempre se relacionaram de forma saudável, ao que chama de “laicidade colaborativa”.

Essa colaboração, no entanto, parece não estar funcionando tão bem durante o período que exige restrições para o combate da Covid-19. “Do ponto de vista jurídico, o fechamento de igrejas é inconstitucional, pois a liberdade religiosa é assegurada pela Constituição”, defendeu.

Para o pastor, o Supremo Tribunal Federal (STF), não respeitou esse princípio fundamental de liberdade religiosa e de culto, e resolveu relativizar um artigo que é cláusula pétrea da Constituição Federal.

                      Para Franklin Ferreira a Igreja pode colaborar com o Estado durante a pandemia. (Foto: Reprodução Facebook)

A Igreja em tempos de pandemia

Judicialmente, ficou decidido que o Estado pode, em razão da pandemia de Covid-19, restringir o culto — mas nunca proibi-lo. “Deve haver limites às limitações. Proibir a liberdade de culto é a negação da preservação do conteúdo e do núcleo essencial da primeira das liberdades”, comentou.

Franklin destacou que “a pandemia não pode ser elevada à categoria de poder constituinte originário” e citou a luta de líderes cristãos para garantir que eventos religiosos sejam classificados como um tipo de serviço essencial em nosso país. 

Ao apontar para alguns conceitos sobre o que realmente é a igreja, o pastor alerta para alguns perigos atuais. Se as pessoas somente falarem que “a igreja somos nós” e que é possível ser crente sozinho, corremos o risco de perder a liberdade de culto sob determinadas circunstâncias. 

“Esquecem ou ignoram que, de acordo com a Escritura Sagrada, a igreja, que faz parte do Reino de Deus, é o conjunto de fiéis a Cristo reunidos, chamados de: santuário de Deus, povo de Deus, templo do Espírito Santo, eleitos de Deus e corpo de Cristo”, lembrou.

Ele resume o assunto dizendo que “a comunhão com o Senhor também é a comunhão com os irmãos”. Citando os reformadores, Franklin reforça que “a igreja cristã é definida como a comunidade de fiéis que se unem para ouvir a Palavra e receber os Sacramentos, e estas são as marcas características da verdadeira igreja”, disse.

“A crise de saúde que passamos, e que deveria ser encarada como um tempo de deserto e lamento, obrigou muitas igrejas a se reconfigurar", apontou e lamentou a falta de reflexão bíblica sobre o que é, de fato, igreja, comunhão, pregação e culto.

Conflitos entre Igreja e Estado

“Diversas igrejas no país têm contribuído para amenizar o sofrimento das pessoas por meio do fornecimento de cestas básicas, itens de higiene, roupas, pagamento de contas e cuidado pastoral”, lembrou. 

“Parece que o governador de São Paulo não levou isso em conta. Antes, João Doria transformou as igrejas em um problema a ser resolvido com uma ordem, mandando fechá-las”, disparou citando um dos estados onde a Igreja enfrenta essa crise. “Na organização da sociedade brasileira, o Estado pode esperar não apenas que a igreja coopere para o bem comum, como também pode chamá-la como parceira para tal”, continuou.

O pastor lembra que, ao mesmo tempo em que as igrejas devem permanecer fechadas, foi permitido o retorno dos jogos de futebol no estado de São Paulo. “Estranhas prioridades governamentais, para uma população que enfrenta o ‘vale da sombra da morte’”, ressaltou.

“Os cristãos, na verdade, são tratados como crianças inconsequentes, que precisam ter sua liberdade de culto suspensa por serem crianças desobedientes e imprudentes. E, assim, o STF entregou todos os cristãos do país ao arbítrio de governadores e prefeitos, abrindo sinistro precedente para a fé cristã no país”, denunciou.

Ele observa que, durante o julgamento, o que se viu foram os ministros do STF definindo o que é a fé cristã e os limites do exercício religioso nesta pandemia. “Para o STF, a igreja deve se portar como uma mera ONG. Portanto, o que agora está em jogo é se a igreja cristã tem poder para definir sua prática de fé, mesmo na pandemia, ou se o Estado tem o direito de definir pelos cristãos como as igrejas devem proceder”, concluiu.

FONTE: RVG, COM INFORMAÇÕES DA GAZETA DO POVO

quinta-feira, 15 de abril de 2021

Boris Johnson apoia direito de orar por gays em conflito: ‘Não quero criminalizar a igreja’ O direito de orientar homossexuais conforme os padrões bíblicos foi defendido pelo primeiro-ministro do Reino Unido.

                     Boris Johnson em discurso no parlamento do Reino Unido, em 12 de abril de 2021. (Foto: Jessica Taylor/Reuters)

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, defendeu o direito das igrejas de orar por homossexuais que estão questionando sua sexualidade, em meio à proposta de proibir o que é chamado por ativistas LGBT de “terapia da conversão”.

A declaração de Johnson vem em resposta à Aliança Evangélica (EA), que levantou preocupações sobre a possibilidade dos cristãos serem processados, caso a lei sobre o tema fosse alterada.

O premiê britânico disse à Aliança Evangélica que todas as pessoas podem ter “apoio pastoral”, incluindo “oração em igrejas” para tratar sobre sua orientação sexual.

Ele ainda destacou que leva “a liberdade de expressão e a liberdade de religião muito a sério”. “Como vocês, não quero ver o clero e os membros da igreja criminalizados por atividades normais e não coercitivas”, disse.

O governo do Reino Unido anunciou que iria proibir a terapia de conversão em 2018. Em julho do ano passado Johnson deu apoio à iniciativa, chamando a prática de “absolutamente abominável”. 

Em dezembro de 2020, mais de 370 líderes religiosos de todo o mundo, incluindo o arcebispo anglicano Desmond Tutu, uniram forças em uma declaração de apoio à proibição da terapia de conversão.

Mas no mês passado, a Aliança Evangélica protestou com Johnson que a proibição da terapia de conversão impediria os pastores de pregar os princípios bíblicos sobre sexualidade.

A Aliança Evangélica disse que uma nova lei anti terapia de conversão colocaria em risco a liberdade de expressão e religião, e não seria efetiva para prevenir práticas abusivas.

Pedido de igrejas

Em meio ao debate sobre o tema no governo, o diretor da Aliança Evangélica, Peter Lynas, que representa igrejas protestantes no Reino Unido, enviou uma advertência a Johnson.

“Uma definição abrangente da terapia de conversão, e uma proibição ao longo dessas linhas, colocaria os líderes da igreja em risco de processo quando pregam sobre textos bíblicos relacionados ao casamento e sexualidade”, disse Lynas. Ele destacou que as igrejas evangélicas se opõem às “práticas abusivas” no processo de aconselhamento de homossexuais, mas “as propostas para acabar com a terapia de conversão não devem impedir as pessoas de buscar e receber apoio para viver uma vida casta”.

Lynas ainda acrescentou: “Ironicamente, aqueles que pedem a proibição estão promovendo políticas que discriminam pessoas com base em sua sexualidade — impedindo alguém que é gay de acessar o aconselhamento disponível para uma pessoa heterossexual”.

O governo ainda não revelou o escopo do projeto de lei para banir a terapia de conversão, embora uma lesgilação possa ser aprovada no Parlamento ainda este ano.

FONTE: RVG, COM INFORMAÇÕES DO DAILY MAIL

quarta-feira, 14 de abril de 2021

Dezenas de cristãos presos são libertos na Eritreia Os prisioneiros estavam detidos pela fé e foram soltos sob fiança

                  Na Eritreia, muitos cristãos ainda estão presos por causa da fé (foto representativa)

As autoridades da Eritreia liberaram cerca de 36 cristãos que estavam detidos por causa da fé. Fontes disseram ao portal britânico de notícias BBC que 14 deles estavam detidos há quatro anos na ilha de Dahilik. Outros 22 cristãos detidos no mês passado também foram soltos sob fiança. 

Os seguidores de Jesus foram presos por não seguirem o islã, religião oficial do país. Em 2002, a Eritreia introduziu uma lei que proíbe todas as igrejas, exceto as denominações ortodoxas, católicas e luteranas. Mas, recentemente, o governo do país tem libertado prisioneiros cristãos. Em setembro do ano passado, 27 prisioneiros que estavam detidos há anos foram libertados.

Muitos cristãos permanecem detidos e outros são presos por causa da fé. O governo da Eritreia acusa cristãos de serem instrumentos de governos estrangeiros. A Eritreia, uma nação secreta e altamente militarizada, tem sido governada por Isaias Afwerki desde sua independência da Etiópia em 1993, sem eleições ou parlamento e um projeto de constituição que nunca foi implementado.

DIP 2021: Cristãos presos

Durante o Domingo da Igreja Perseguida (DIP) 2021, falaremos sobre os cristãos presos na Eritreia, na Coreia do Norte e no Irã. Esteja conosco nesta jornada de fé e esperança, em que juntos fortaleceremos nossos irmãos presos através da oração. Se você ainda não se cadastrou, não perca a oportunidade de envolver sua igreja no maior movimento de oração pela Igreja Perseguida. Cadastre-se, saiba como realizá-lo e tenha acesso a materiais exclusivos para a realização do evento. 

Pedidos de oração

  • Agradeça pela libertação dos cristãos na Eritreia e peça para que Deus cure os traumas e fortaleça a fé.
  • Ore pelos cristãos presos no país, para que Deus os visite e dê paz e esperança de dias melhores.
  • Interceda para que os carcereiros e guardas sejam visitados pelo Espírito Santo e passem a testemunhar do amor de Deus.
  • FONTE PORTAS ABERTAS.

terça-feira, 13 de abril de 2021

Claudio Duarte: “Primeiro Deus mostra o propósito e depois envia os recursos” Pastor conta sobre sua experiência de abrir uma igreja sem dízimos, ofertas ou investimentos.

               Crie um ambiente para transformar a vida das pessoas”, disse o pastor em sua pregação. (Foto: YouTube/Pr Claudio Duarte)

Durante uma de suas pregações, o pastor Claudio Duarte diz que o propósito de Deus na vida das pessoas sempre chega antes do recurso para colocá-lo em prática. Ele compartilha sobre uma profecia recebida, há anos, de que seria pastor em Xerém, no Rio de Janeiro.

“Naquele tempo eu era pastor de uma igreja pequena na Barra da Tijuca. Mas, comecei a investigar, me senti atraído pelo lugar, as portas foram se abrindo e as coisas foram acontecendo ”, conta. 

O pastor preparou um local para 300 pessoas, mesmo sem ter nenhum membro ainda e nem recursos. “Construí uma igreja sem dízimos, ofertas ou investimentos. O lugar era pequeno, mas eu recebi outra palavra de que no dia da inauguração a igreja ficaria cheia.”, compartilhou.


“O propósito vem bem antes dos recursos”

Duarte acredita que primeiro Deus dá a visão e o propósito e depois envia os recursos. “É melhor trabalhar para ter, pois com Deus é assim”, disse. A pequena igreja teve três inaugurações. “Na primeira inauguração já acabou a luz e percebemos que precisávamos de um gerador”, lembra.

Em apenas sete cultos, houve vários contratempos, entre eles, os vizinhos que reclamavam de carros estacionados em frente às suas casas e a energia que sempre faltava. “Mas aquilo era minha paixão”, afirmou.

Apesar de não ter dinheiro para muitas providências na igreja, como as caixas de som, Deus foi providenciando todas as coisas. “Quando tem propósito tem recursos. Nós temos que ter essa visão e devemos entender que Deus faz tudo do jeito que Ele quer”, prosseguiu.

“Acredite que tudo pode acontecer”

Segundo o pastor, seguir o propósito de Deus é algo simples. “Basta você fazer o que deve fazer, e ser quem você é. E crie um ambiente para transformar a vida das pessoas”, aconselhou.

Além disso, sobre a manifestação de Deus, o pastor explica que acontece quando obedecemos. “Deus age de várias maneiras e se manifesta de várias formas”, alertou e disse que, nem sempre o resultado é um sinal de que estamos aprovados para fazer. “Fique de olho nisso e tenha sensibilidade no espírito”, apontou.

O pastor conclui dizendo que tudo pode acontecer na vida das pessoas quando pregamos Jesus num ambiente profético. “Diga que vidas estão se convertendo, que o mundo está mudando e que a glória de Deus vai se manifestar”, finalizou.

FONTE: GUIAME, CRIS BELONI

segunda-feira, 12 de abril de 2021

As consequências de escolher Jesus Jovem da República Democrática do Congo é expulsa de casa e deserdada por escolher conhecer mais de Jesus

 

   A Portas Abertas ajudou Tchibwabwa a começar um pequeno negócio vendendo uma pipoca típica local

Tchibwabwa, de 23 anos, é da República Democrática do Congo. Uma amiga cristã sempre a convidava para ir à igreja e, embora ela quisesse ir, sabia que era vigiada de perto pelo pai. Ele era responsável por monitorar os jovens muçulmanos na vizinhança. Um domingo, entretanto, Tchibwabwa decidiu arriscar. Ela até conseguiu entrar e sair da igreja despercebida por diversas vezes, mas por fim os pais dela descobriram. Eles ficaram furiosos e disseram que a jovem não era mais bem-vinda na casa deles.

Tchibwabwa pediu a ajuda da tia paterna, que a recebeu. Mas após intimidação do pai, a tia também a mandou embora. A igreja local permitiu que ela ficasse em um pequeno quarto usado para intercessão. Tchibwabwa ficou grata pelo local e pela oportunidade de aumentar seu conhecimento da palavra de Deus. Alguns meses depois, ela foi batizada.

Portas Abertas ajudou Tchibwabwa a começar um pequeno negócio vendendo uma pipoca típica local, conhecida por tuska. Com a renda gerada, ela cobriu suas necessidades imediatas, como aluguel, comida, roupas e remédios. “Eu tenho algo até mesmo para dar como oferta na igreja”, ela sorri.

Tchibwabwa mora agora com outra cristã ex-muçulmana. Embora a vida não seja fácil, ela é grata pelo que tem. Seu relacionamento com a família permanece distante. Uma vez, a jovem foi à casa da família com o pastor para pegar alguns pertences, mas foram afugentados. O pai dela disse que ele a tinha deserdado. Tchibwabwa não tem contato com os parentes, exceto a tia, mas continua determinada. “Cristo me encontrou e nada pode me separar do amor de Deus”, afirmou.

Pedidos de oração

  • Ore para que Tchibwabwa permaneça firme na fé e tenha a graça de resistir a qualquer pressão adicional ou momentos de solidão.
  • Ore para que ela não seja intimidada, mas experimente contínuo crescimento espiritual.
  • Peça a Deus que o negócio dela obtenha lucro suficiente para cobrir todas as necessidades da cristã.
  • FONTE PORTAS ABERTAS.

domingo, 11 de abril de 2021

China faz ‘lavagem cerebral’ em cristãos presos em instalações secretas, diz relatório Um cristão chinês revelou que foi espancado em uma sala sem janelas por quase 10 meses.

 

              Reconstituição de um praticante do Falun Gong sendo torturado pela polícia em um centro de detenção. (Foto: Minghui.tv)

Autoridades da China estão fazendo uma verdadeira lavagem cerebral nos cristãos, os mantendo em instalações secretas e campos de “transformação”, de acordo com um novo relatório divulgado pela Radio Free Asia.

O relatório da RFA revelou a história de um homem, identificado pelo pseudônimo de Li Yuese, que foi espancado em uma sala sem janelas por quase 10 meses. 

Ele foi detido em uma instalação administrada pelo Departamento de Trabalho da Frente Unida do Partido Comunista Chinês (PCC), que trabalha em conjunto com a polícia de segurança do governo, após uma batida em sua igreja em 2018.

Li disse que a maioria de seus companheiros de prisão também participaram de atividades relacionadas à igreja. Como a maioria não havia feito nada que pudesse desencadear um processo criminal, a polícia os enviou para os campos de “transformação”.

“Eles usavam métodos de lavagem cerebral naqueles que estavam sob fiança do centro de detenção. Era um local secreto, um porão”, disse ele. “Não havia janelas, nem ventilação, nem tempo do lado de fora”. 

Os presidiários que se recusavam a “admitir seus erros” eram mantidos em confinamento solitário por períodos prolongados. “Não há limite de tempo para o processo de lavagem cerebral”, disse ele. “Você não pode ver o sol, então você perde todo o conceito de tempo.”

Ele disse que as tentativas de suicídio e a automutilação são comuns. “Eu não conseguia dormir; depois de você estar lá uma semana, a morte começa a parecer melhor do que ficar lá”, disse Li. “Eu me bati contra a parede para me machucar.”

                     Membros da igreja doméstica Xin Mingling durante culto em Pequim, na China. (Foto: Jonathan Saruk/Getty Images) 

O Partido Comunista Chinês, que abraça o ateísmo, exerce um controle rígido sobre qualquer forma de prática religiosa entre seus cidadãos.

Outro cristão, que pediu para permanecer anônimo, disse à RFA que esse tipo de instalação é usada na China não apenas para protestantes, mas também para membros da Igreja Católica clandestina e da prática espiritual chinesa Falun Gong, um alvo das autoridades desde 1999.

“Alguns [bispos e padres] foram mandados de volta para casa depois de cinco ou seis anos, e foi assim que as pessoas souberam dos centros de lavagem cerebral — por meio de seus relatos”, disse o advogado de sobrenome Zhang, da província de Hebei, no norte do país, que representou vários ex-detidos católicos.

De acordo com uma reportagem da revista internacional Bitter Winter, que entrevistou uma ex-vítima de lavagem cerebral em novembro de 2020, os métodos usados ​​nos centros variam de espancamentos a tortura, incluindo chuveiros frios em temperaturas abaixo de zero e exigir que os presos carreguem grandes baldes de água ao redor do pescoço.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DA FOX NEWS


sábado, 10 de abril de 2021

Igreja evangélica é invadida e destruída durante culto, no interior do Mato Grosso Seis homens invadiram e quebraram a igreja Evangélica Assembleia de Deus Pentecostal “Caminho Reto”, em Juína.

                         Igreja foi invadida durante culto e destruída por 6 homens. (Foto: Reprodução / Juína News

A Igreja Evangélica Assembleia de Deus Pentecostal Caminho Reto, no município de Juína (800 km de Cuiabá, capital do Mato Grosso), teve seu culto invadido na noite de terça-feira (07) por seis homens que quebraram toda a igreja.

Segundo relatos do pastor e de alguns fiéis, feitos ao Juína News, após invadirem a igreja os homens provocaram o maior “quebra, quebra” nas paredes, lâmpadas e outros objetos.

O pastor contou que embora tenha os documentos da doação do terreno, como também a documentação da igreja, um dos rapazes que depredou a igreja, que o pastor afirma ser um empresário local, alegava ser o dono do terreno há 20 anos, porém não mostrou nenhum documento que comprovasse sua posse.

A igreja simples e de madeira foi construída com recursos da comunidade evangélica que faz parte da congregação. No momento da destruição, um pedaço de madeira quase atingiu uma das mulheres que se encontrava dentro da igreja, produzindo medo, humilhação e tristeza.

Culto de ensinamento bíblico

A ação violenta fez com que o pastor temesse pela vida dos demais fiéis, o que o fez cancelar o culto de ensinamento bíblico que estava sendo realizado. Ele conta que foi a forma que encontrou para garantir e resguardar a integridade física das pessoas, que também estavam no local para orar e louvar a Deus.

A polícia militar foi acionada e compareceu ao local, registrando os fatos e orientando o pastor a procurar a delegacia de polícia e registrar um boletim de ocorrências.

Ainda de acordo com relatos do pastor Carlos Augusto, antes de começar a pregação o empresário chegou com uma marreta e um pé de cabra e disse que, devido o pastor não ter dinheiro, ele quebraria tudo.

Horas antes, o rapaz havia dito que queimaria o prédio da igreja e em seguida iria passar uma máquina para limpar o terreno. À noite ele foi até a igreja com alguns homens e quebrou tudo.

Emocionado o pastor disse que ficou surpreso, pois não esperava uma reação como aquela, de um ser humano, uma vez que considera todos como irmãos.

‘Cenas de horror’

O membro da igreja José Fagundes De Oliveira, que mora próximo, falou que quando percebeu a invasão foi até o local e presenciou as “cenas de horror”, onde além dos homens que ajudavam o suspeito a quebrar toda a igreja, havia mais pessoas fora dando cobertura.

Segundo relatos, os invasores também demoliram a cantina que servia de recreação para as crianças da comunidade.

José Fagundes relatou que “os homens chegaram ao local em várias motocicletas e fizeram uma destruição total”.

Esposa do pastor, Neusa Silva também conversou com a reportagem, e disse que estava triste e abalada pois nunca esperava uma situação desta em um templo religioso. No momento dos acontecimentos, ela estava com várias crianças na igreja, que foram retiradas do local, chorando.

Assista:o video no link abaixo

https://www.facebook.com/watch/live/?v=267223271714367&ref=watch_permalink&t=5

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO JUÍNA NEWS

sexta-feira, 9 de abril de 2021

“Fechar igrejas de forma arbitrária viola a Constituição”, diz Augustus Nicodemus O pastor falou à Folha de S. Paulo sobre lockdown, dízimo e Teologia da Prosperidade, considerada por ele um falso ensino.

                      Reverendo Augustus Nicodemus Lopes, pastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Recife. (Foto: Divulgação)

Em um momento em que o fechamento de templos voltou a ser uma pauta de debate, inclusive no Supremo Tribunal Federal (STF), o pastor Augustus Nicodemus Lopes, da Primeira Igreja Presbiteriana de Recife, lembra que o direito de culto é garantido pela Constituição.

O pastor e ex-chanceler da Universidade Mackenzie, de 66 anos, deu uma entrevista à Folha de S. Paulo, que foi publicada na terça-feira (6). Nela, ele abordou sobre lockdown, dízimo, política e a Teologia da Prosperidade, considerada por ele um falso ensino.

“Quando a gente briga para manter igreja aberta dentro das regras sanitárias, é pelo direito de culto garantido pela Constituição”, destacou o pastor, quando foi questionado sobre o fechamento de templos.

“A única maneira de revogá-lo é o estado de sítio, e só o presidente pode declarar um, o Congresso tem que aprovar. Do jeito que está não está bom, é uma coisa que está saindo da cabeça de governadores e prefeitos. Fechar de forma arbitrária é a Constituição sendo violada. O que vem depois?”, questionou.

Nicodemus também tem ressalvas a respeito da eficácia do lockdown como única medida para amenizar o impacto da pandemia. “Minha igreja é de classe média. Quem tem sofrido muito é o pessoal de classes mais baixas”, explicou. “O lockdown fere muito o trabalhador, a diarista. O pessoal das classes média e alta não sentem tanto. Vão fazer como você e eu: home office.”

Ele sugeriu: “Lockdowns causaram o desastre na economia, não vejo como podem ser a cura dela. Talvez se tivéssemos usado desde o início lockdowns verticais e localizados, medidas sanitárias já comprovadas e educado a população para usá-las, quem sabe salvaríamos o mesmo número de pessoas sem destruir seus empregos e sanidade mental no processo”.

Bíblia e Dinheiro

O pastor, que recentemente lançou, pela editora Mundo Cristão, o livro "O Que a Bíblia Fala Sobre Dinheiro", também abordou o tema do dízimo. Ele afirmou que, por conta dos excessos da Teologia da Prosperidade, a Igreja Presbiteriana acabou indo para o outro extremo, por causa do medo de falar sobre finanças — o que “também é errado”. 

“A Bíblia fala mais de dinheiro do que de amor. Tem muita coisa sobre gestão financeira. Evangélicos dependem muitas vezes de recursos contadinhos para viver”, disse ele. “O dinheiro em si não é bom nem mau — depende da nossa atitude para com ele.”

“Não devemos fazer do dinheiro o deus da nossa vida. Jesus prega que a gente não viva ansioso com o que vai comer, beber, vestir. Deus cuida dos passarinhos, veste o lírio dos campos, não cai nenhum fio da nossa cabeça. Diz que os pagãos ficam ansiosos porque não têm um Pai. E é um alerta contra os mercadores da fé”, continuou.

Nicodemus também fez uma crítica a igrejas que querem manter o templo aberto não por preocupação cívica, mas “porque têm um sistema de arrecadação que depende do [culto] presencial”. “Para não serem estranguladas financeiramente, vão dizer o que for necessário para defender igrejas abertas”, observou.

Ele ainda usou as palavras do apóstolo Paulo, sobre os que “pensam que religião é uma forma de enriquecer”, para justificar o falso ensino sobre prospreridade. “Na Idade Média vendiam indulgências, relíquias, pedaços da cruz etc. Hoje, vendem objetos ungidos e oferecem bênçãos materiais em troca de ofertas e dízimos. Eles enriquecem, e os fiéis ficam pobres”, disse.

Por outro lado, o pastor também reforça o ensino correto sobre o dízimo: “Entendemos que contribuir faz parte da gratidão que prestamos a Deus. Sabemos que tem falsos profetas, mercenários, que utilizam da crendice do povo para arrancar até o último centavo. Mas não tem como igrejas sérias se manterem e ajudarem os pobres [sem as ofertas]. De onde vem esse dinheiro? O Estado é laico, a igreja não recebe nada do governo. Precisa de recursos para manter instalações funcionários, os pastores são assalariados.”

Ainda sobre o universo financeiro, Nicodemus também ponderou a respeito do chamado “coaching evangélico”. Em sua visão, os princípios desta filosofia são ótimos se aplicados no meio secular, mas não servem para o contexto da igreja.

“A Bíblia nos ensina a confiar em Deus, não viver ansiosos, não fazer da prosperidade a meta maior da vida. Fica difícil colocar isso dentro da equação do coaching”, comentou.


FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DA FOLHA DE S. PAULO

quinta-feira, 8 de abril de 2021

Diagnosticada com câncer, judia lembra da visão de Jesus: “Ele disse: venha a mim” Shiri Joshua nasceu em Israel em uma família ortodoxa, mas nunca se sentiu satisfeita, até que encontrou Yeshua.

 

                                       A judia Shiri Joshua foi curada do câncer e recebeu Jesus. (Foto: Reprodução/Youtube).

Em 2014, Shiri Joshua enfrentou a situação mais difícil de sua vida: foi diagnosticada com um violento câncer de mama, já no estágio três. Ela contou seu testemunho em vídeo ao 100 Huntley Street.

Judia nascida em Israel em uma família de judeus ortodoxos, ela se mudou aos 19 anos para Toronto com seus pais, mas sua família continuava falando hebraico em casa. O Judaísmo Ortodoxo ainda não satisfazia a sede espiritual de Shiri e ela tinha muita curiosidade sobre a espiritualidade.

“Eu realmente não sentia que minha educação tradicional judaica iria satisfazer o que eu queria. Eu sabia que Deus existia, mas não o conhecia”, disse Shiri Joshua.

Por causa de sua criação familiar, ela pensava que podia ser ortodoxa ou uma judia secular. No Canadá conheceu o movimento da Nova Era. Mas ainda não se sentia completa.

Dois anos antes de receber o diagnóstico de câncer, Shiri teve uma visão de Jesus em seu quarto. Ela já tinha ouvido falar de Cristo, mas achava que não precisava evitá-lo, por causa de sua origem judaica. Mas, eu sua busca pela espiritualidade, um dia ela perguntou a Deus se Jesus era real.

 “Eu não estava dormindo e o vi. Tive uma visão de olhos abertos do Jesus judeu. Ele me parecia muito judeu. Deus, em sua maneira brilhante de fazer as coisas, apareceu para mim de uma forma que eu não consideraria ameaçadora. Ele apareceu para mim com um talit, um xale de oração. E ele disse: 'Venha a mim'. Seus olhos eram apenas amor. Deve ter sido uma fração de segundo, mas parecia uma eternidade”, contou Shiri.

Então, quando ela recebeu o diagnóstico de câncer na clínica em British Columbia, lembrou-se desta visão. Após o médico sair da sala de atendimento, ela caiu de joelhos e orou a Jesus: “Senhor, estou cansada de lutar contigo. Se eu morrer, morro, mas quero ir até Você. Mas se você me deixar viver, eu viverei para você”, clamou Shiri.

Shiri foi submetida à mastectomia e começou o tratamento de quimioterapia. Um amigo levou um pastor para visitá-la e ela recebeu Jesus como Senhor e Salvador de sua vida. “Uma onda de paz veio sobre mim. Eu queria Jesus tanto, mas tinha muito medo porque era judia”, relatou Shiri.

Ela começou a frequentar uma congregação messiânica e, por um tempo, foi uma cristã em segredo em casa. “Eu não queria ofender meus pais com minha nova fé, mas tudo que eu tinha era Yeshua”, explicou. Por fim, os pais de Shiri descobriram e aceitaram sua decisão de receber Jesus.

Shiri passou por tratamento durante seis meses e hoje, sete anos depois, está livre da doença. “Estou curada”, celebrou ela.

Para aqueles que estão lutando contra o câncer, Shiri aconselha a se agarrar a uma passagem da Bíblia, como ela fez. Shiri ficou firme no Salmo 118.17: “Não morrerei, mas viverei e declararei as obras do Senhor”.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE GOD REPORTS

quarta-feira, 7 de abril de 2021

Tribunal decide que Graham foi alvo de discriminação, após anúncio banido no Reino Unido O anúncio de um evento com Franklin Graham havia sido proibido em 2018, após a pressão de grupos LGBT e islâmicos.

 Franklin Graham promoveu o Festival da Esperança de Lancashire na Inglaterra, em 2018. (Foto: Associação Evangelística Billy Graham)

Um tribunal do Reino Unido decidiu que um festival promovido pelo ministério de Franklin Graham teve os direitos humanos violados ao ter anúncios proibidos em Lancashire, na Inglaterra.

Em 2018, o Conselho Municipal de Blackpool e o Serviço de Transportes de Blackpool removeram anúncios de ônibus para o Festival da Esperança, promovido pela Associação Evangelística Billy Graham (BGEA, na sigla em inglês). 

O anúncio apresentava apenas a frase “tempo de esperança”.

Em decisão emitida pelo Tribunal do Condado de Manchester, a juíza Claire Evans disse que a medida desrespeita “o direito à liberdade de expressão”. 

Segundo o site da BGEA, o tribunal considerou que os cristãos e pessoas de outras religiões têm direito à proteção legal na defesa de sua visão religiosa tradicional sobre o casamento e a sexualidade humana.

“Agradecemos a Deus por essa decisão porque é uma vitória para todos os cristãos no Reino Unido”, disse Franklin Graham, filho do falecido evangelista Billy Graham.

                         Anúncio de ônibus apresentava a frase “tempo de esperança”. (Foto: Associação Evangelística Billy Graham)

Na época, Graham foi questionado pela BBC sobre sua opinião em relação ao casamento gay, e destacou que a união homossexual é pecado. “O casamento é entre homem e mulher e é isso que a Bíblia nos ensina”, disse.

Graham foi alvo de protestos e enfrentou uma forte resistência antes de realizar o evento na Inglaterra em 2018. Em meio à polêmica provocada pela pressão de grupos LGBT e islâmicos, o conselho permitiu a remoção de anúncios do Festival da Esperança, alegando estar comprometido em “promover a igualdade e a diversidade [e] eliminar a discriminação”. 

A juíza considerou que a decisão violou a proteção da Lei dos Direitos Humanos à liberdade de religião e de expressão.

“[O Conselho] deu preferência aos direitos e opiniões de uma parte da comunidade sem qualquer consideração pelos direitos do reclamante ou daqueles que compartilhavam suas crenças religiosas”, disse Evans.

Em uma declaração conjunta, o Conselho e o Serviço de Transportes de Blackpool  disseram que levaram em consideração as conclusões do tribunal e que iriam realizar uma revisão para determinar as mudanças que precisam ser feitas.

O Festival da Esperança de Lancashire com Franklin Graham atraiu 9.000 pessoas em Blackpool, com mais de 50.000 visualizações online em todo o mundo, de 21 a 23 de setembro de 2018.

FONTE:rvg, COM INFORMAÇÕES DA BBC NEWS

terça-feira, 6 de abril de 2021

Um dia após a morte do pai, Yudi louva a Deus e prega: "Já não é sofrimento, é testemunho” O apresentador acredita que seu pai aceitou a Cristo e disse que sua esperança é um dia reencontrá-lo no Céu.

 

                             Yudi disse que sua esperança é um dia reencontrar o pai no Céu. (Foto: Reprodução/Instagram).

Na última sexta-feira (3), um dia após a morte do pai, o artista cristão Yudi Tamashiro fez uma live em sua casa, para louvar a Deus e pregar uma mensagem de esperança a seus seguidores.

Yudi pregou sobre esperança e consolo em meio ao luto. “Já não é mais um sofrimento, é um forte testemunho pra ajudar aqueles que estão caídos”, afirmou ele sobre o falecimento do pai.

Durante a live, o cantor revelou que teve uma visão antes de receber a notícia do falecimento do pai. Enquanto orava com sua mãe em casa, Yudi viu seu pai sendo batizado nas águas e, quando ele emergia, uma luz forte resplandecia sobre ele.

“Quando o telefone tocou, a minha prima foi avisada que meu pai tinha partido. Então, eu entendi que esses dias de oração e jejum foram para o meu pai ser salvo. E, se agora, eu estou sorrindo e com o olhar mais tranquilo, é porque eu sei que meu pai foi para a Glória”, contou.

O apresentador também disse que acredita que tudo acontece por um propósito de Deus: “Há um plano para tudo. Meu pai se foi, deixando uma linda história. E agora eu construo a minha história, construo a minha família e passo os valores do meu pai, que foi dado a ele por Deus, aos meus futuros filhos”.

Ao som de “Todavia Me Alegrarei”, o apresentador agradeceu e louvou a Deus pelo seu pai.

“Eu prometo crescer espiritualmente como homem, como filho e como pai dessa casa. Senhor, obrigado! Só tenho a Te agradecer. Me lembro de todos os momentos felizes que vivi com meu pai. Obrigada por ter amado minha mãe e ter mostrado para mim como ser um belo marido, como ser um homem de verdade.”

O jovem contou que acredita que seu pai aceitou Jesus como Senhor e Salvador de sua vida e que sua esperança é reencontrá-lo no Céu um dia: “Eu creio que o senhor aceitou a Jesus, eu creio que a sua conversa com o Senhor foi sincera e verdadeira. Eu sei que quando eu subir não será mais meu pai, será meu irmão, e estaremos com Deus”.

Para Yudi, sua missão é continuar testemunhando e pregando o evangelho a sua geração e a todos que necessitam.

O pai de Yudi, Nelson Tamashiro, faleceu aos 56 anos, depois de ficar duas semanas internado por complicações da Covid-19. A mãe do apresentador, Tânia, também esteve internada devido ao coronavírus, mas foi curada e recebeu alta na semana passada.

FONTE: rvg,com irfomaçoes,GUIAME

segunda-feira, 5 de abril de 2021

Após morte cerebral, jovem surpreende médicos e volta a respirar: “Um milagre” Lewis Roberts foi declarado com ‘morte cerebral’ após ser atropelado por uma van e ter sofrido ferimentos graves na cabeça.

                                        Lewis Roberts e máquina de monitoramente. (Foto: Reprodução / Mirror)

Lewis Roberts, 18 anos, foi socorrido e levado para o hospital em uma ambulância aérea após ter sido atropelado por uma van na tarde de sábado, 13 de março, em Leek, Staffordshire, um condado da Inglaterra.

Internado no Hospital da Universidade Royal Stoke, a situação do ex-aluno da Leek High School se agravou e a corrida pela vida de Lewis foi intensificada. Para ajudar a família com as despesas médicas foi feito um pedido que levantou 1.800 libras.

"Em 13 de março, Lewis sofreu ferimentos catastróficos na cabeça quando foi atropelado por uma van em sua cidade natal, Leek, e foi levado ao hospital, onde foi submetido a uma cirurgia de emergência”, informou a organizadora do Gofundme, Chloe Roberts.

Apesar de todos os esforços, Lewis acabou tendo a morte cerebral declarada à família, contou a irmão do rapaz.

“Quatro dias depois, os médicos deram a notícia à nossa família de que nada mais poderia ser feito, pois ele infelizmente havia sofrido uma 'morte do tronco encefálico' e infelizmente falecido”.

Jade Roberts postou um vídeo ao lado da cama do irmão no hospital em 18 de março - onde o adolescente começa a respirar sozinho, como um sinal de esperança. Gravando a máquina monitorando sua respiração, ela disse: "Você está pronto Lew, um, dois, três respire."

O dispositivo então mostrou uma linha marrom e ela gritou: "Dê um tempo, garoto inteligente." Outra pessoa fora da câmera acrescentou em meio às lágrimas: "Ele apenas se contraiu".

Doação de órgãos

"Depois de nos despedirmos de Lewis, uma família próxima corajosamente concordou que seus órgãos fossem doados para ajudar a vida de outras sete pessoas”, explicou.

Após a família ter concordado com a doação e horas antes de ser submetido a uma operação para a retirada dos órgãos, Lewis começou a acordar e piscar. Isso aconteceu quatro dias após o trágico acidente e de o jovem ter recebido o diagnóstico de morte cerebral.

“Devido a isso, tivemos que esperar até as 7h da manhã seguinte. Se tivéssemos dito 'não', eles teriam desligado o suporte de vida de Lewis naquele momento.

"Tínhamos ido para casa descansar um pouco, mas voltamos ao hospital à meia-noite. "Eu estava falando com Lewis e foi quando notei as quatro linhas marrons que esperávamos dias no monitor”, descreveu Jade.

Milagre

O adolescente começou a respirar sozinho, apesar de ter "chance zero" de sobreviver, conta a irmã.

Lewis foi salvo e está ficando mais forte a cada dia após o "milagre" que deixou sua família mais esperançosa do que nunca.

Em um vídeo, sua irmã escreveu: "Ele foi oficialmente certificado como morto ontem, e sua morte foi até mesmo relatada ao legista. Ficamos muitos dias esperando uma linha marrom aparecer, para mostrar que ele respirava, mas não tínhamos nada”.

“Disseram-nos que não, deve ser um erro, impossível. Voltei para casa para um telefonema ... 'Lewis está respirando agora'. Seus olhos estão dilatando, o que antes não tínhamos nada", contou.

Segunda vida

Jade contou que aquela reação deu a Lewis mais tempo antes de sua máquina de suporte de vida ser desligada. Poucas horas antes da cirurgia de Lewis, ele começou a respirar novamente por conta própria.

"Um milagre que qualquer família poderia desejar depois de ouvir que ele não tinha chance de sobreviver”, declarou Jade.

“Depois disso, Lewis continuou a progredir. Ele começou a reagir aos testes de dor, movendo seus membros por conta própria, e também movendo sua cabeça de um lado para o outro, piscando e também movendo sua boca”.

"A cada dia, esse menino está ficando mais forte. Gostaríamos apenas de dizer, como família, muito obrigado e estamos muito gratos pelas orações de todos e pelos melhores votos para Lewis", disse a irmã, que pediu mais orações até que o jovem esteja completamente recuperado.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO MIRROR E SUN

domingo, 4 de abril de 2021

Cidade implanta “Tenda de Oração” em hospitais para apoio espiritual a familiares no MT Iniciativa da Associação dos Ministros do Evangelho, em parceria com a prefeitura, vai oferecer suporte às famílias de pacientes internados com Covid-19.

 

O projeto lançado hoje (1) vai oferecer suporte espiritual e emocional a familiares de pacientes internados com Covid-19 em quatro hospitais em Rondonópolis no Mato Grosso. A Iniciativa é da Associação dos Ministros do Evangelho da cidade e também vai ate

A cidade de Rondonópolis, no Mato Grosso, implantou Tendas de Orações em quatro hospitais, para oferecer apoio espiritual e emocional a familiares de pacientes internados com Covid-19. O projeto foi lançado hoje (1) no município.

Os atendimentos serão realizados na UPA, Santa Casa de Misericórdia, Hospital Regional e Hospital da Unimed, em todos os dias da semana.

A ação, que tem como tema “Deus é o Nosso Refúgio e Fortaleza, Socorro bem Presente na Angústia”, também dará apoio aos profissionais de saúde, que estão na linha de frente no enfrentamento do coronavírus.

A “Tenda de Oração” é uma iniciativa da Associação dos Ministros do Evangelho (AME), em parceria com a Prefeitura de Rondonópolis.

Movimento de Oração em hospitais

Com o agravamento da pandemia no Brasil, uma mobilização de fé tem levado oração como forma de apoio a equipes médicas, funcionários e às pessoas internadas com Covid-19. O movimento, que acontece em dezenas de cidades brasileiras, reúne cristãos na porta dos hospitais, onde são feitas orações pedindo a ajuda de Deus.

Com esse objetivo, igrejas e pessoas de fé cristã têm se reunido em frente a unidades de saúde em todo o país para mostrar solidariedade àqueles que lutam para salvar vidas e aos que sofrem internados com o agravamento da doença.

Diferentes denominações têm deixado as diferenças doutrinárias de lado e se unido em movimentos de oração pelas cidades. Por exemplo, no sul do Brasil, na cidade de Lajeado, uma iniciativa do Conselho de Pastores do município reuniu 20 igrejas para uma corrente de oração em volta do Hospital Bruno Born, numa intercessão por pacientes e profissionais da saúde.

Muitas prefeituras também estão se unindo às igrejas neste movimento de clamor a Deus na pandemia. Inclusive convidando, através de comunicados, moradores e fiéis a participarem de campanhas de oração em prol da crise pandêmica na cidade.

Foi o caso das cidades de Gurantã do Norte, Guiratinga e Chapada dos Guimarães no Mato Grosso, onde as próprias prefeituras organizaram correntes de oração em frente a hospital e pontos dos municípios, com o apoio de líderes cristãos.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DE A TRIBUNA

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

NOSSOS OUVINTES,ONLINE, PELO MUNDO

Flag Counter

“Para o STF, a igreja deve se portar como uma mera ONG”, diz pastor Franklin Ferreira O pastor questiona se a Igreja terá poder para definir sua prática de fé ou se o Estado vai decidir pelos cristãos como as igrejas devem proceder.

  Os ministros Gilmar Mendes e Carmem Lúcia, durante sessão do STF para decidir sobre cultos presenciais durante a pandemia. (Foto: Fabio Ro...