WEB RÁDIO VERDADE GOSPEL

ISLAIDE TESTE

ISLAIDE TESTE
webradioverdadegospel@gmail.com

DISPONÍVEL NA PLAY STORY

DISPONÍVEL NA PLAY STORY
DISPONIVÉL NA PLAY STORY

JOÃO 3:16

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUPLICIDADE

IBADEP TEOLOGIA

IBADEP TEOLOGIA
IBADEP TEOLOGIA

sábado, 30 de janeiro de 2021

Quais os impactos da COVID-19 na Lista Mundial da Perseguição 2021? Como a pandemia interferiu na perseguição aos cristãos em todo o mundo

A pandemia da COVID-19 aumentou a vulnerabilidade dos cristãos que já conviviam com a discriminação e a violência

A pandemia da COVID-19 impactou o mundo todo, e muitos governos exploraram esse contexto para intensificar a opressão às minorias religiosas, aumentando a vulnerabilidade dos cristãos perseguidos. O departamento de pesquisa da Portas Abertas realizou um estudo sobre os principais impactos que a pandemia trouxe para os seguidores de Jesus hostilizados por causa da fé. 

As descobertas iniciais foram confirmadas durante a elaboração da Lista Mundial da Perseguição 2021, onde todos os países do Top50 obtiveram a classificação de perseguição extrema e severa, os índices mais altos da pesquisa. Os países com perseguição extrema, obtiveram entre 81 e 100 pontos, e os países com perseguição severa tiveram pontuação entre 61 e 80. Isso mostra que a pandemia aumentou o grau de perseguição em muitos países. Entenda como é feita a Lista Mundial da Perseguição.

Uma outra tendência global fortemente percebida durante o período, foi que os cristãos passaram a ser vistos como culpados pela pandemia e pela transmissão do vírus. Levando à disseminação de discursos de ódio e ataques físicos contra os seguidores de Cristo, nos quais funcionários do governo, membros da comunidade e grupos extremistas participaram. Muitas igrejas também foram atacadas por socorrer as comunidades nas principais necessidades.

Os cristãos têm, constantemente, o acesso às necessidades básicas negadas, já que a comunidade os vê como diferentes e muitas vezes como traidores. Durante a pandemia, eles continuaram a ser privados de ajuda humanitária, alimentos e até água, aumentando a vulnerabilidade e prejudicando a saúde das famílias. Grupos extremistas, governos e comunidades passaram a pressionar ainda mais os seguidores de Jesus durante a pandemia, realizando ataques diretos aos cristãos e igrejas.

O isolamento social por causa da pandemia também afetou a vida dos cristãos perseguidos, pois houve aumento dos níveis de violência doméstica. As famílias foram forçadas a ficar em casa e muitos cristãos ficaram presos com os parentes perseguidores, que não aceitam a conversão e utilizam de pressão e violência para obrigar os convertidos a retornarem à fé tradicional familiar.

Como a COVID-19 afetou os continentes?

Ásia: as ações do governo para conter a pandemia têm sido usadas para aumentar a vigilância das igrejas e seus membros, como na China. Membros da comunidade no Butão e em Mianmar também foram encorajados a monitorar as atividades cristãs. Os regulamentos governamentais em relação à COVID-19 foram usados para prender os cristãos, sob o pretexto de contenção da pandemia, como na Índia e no Nepal.

África Subsaariana: os extremistas são poderosos impulsionadores da violência e da discriminação na região. Eles têm usado as restrições da pandemia para aumentar os ataques contra os cristãos, como em CamarõesEtiópiaMali e Moçambique.

Oriente Médio e Norte da África: há indícios de que a violência doméstica aumentou pela pandemia nesta região. As famílias estavam trancadas juntas, muitas vezes colocando as mulheres já vulneráveis por causa da fé ainda mais em risco. Além disso, o Estado Islâmico se aproveitou da ocasião para promover mais ataques na região. 

América Latina: os principais agressores dessa região são grupos criminosos que pressionam os cristãos para abandonarem a fé. Os seguidores de Cristo na América Latina foram alvo da negação ou da restrição de cuidados de saúde, como na Bolívia e em Cuba. Também foram forçados a participar de rituais locais de cura em vez de escolherem a própria prestação de cuidados de saúde. Além disso, tiveram o acesso a centros de saúde e medicamentos negados ou restringidos pelas próprias comunidades por causa da fé. 

FONTE PORTAS ABERTAS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

NOSSOS OUVINTES,ONLINE, PELO MUNDO

Flag Counter

Pastor realiza sonho de conquistar diploma do ensino médio aos 99 anos Apesar de ter sido alfabetizado e ter escrito 8 livros, o pastor Jack Hetzel ainda queria ter em suas mãos o diploma do ensino médio.

                                        Pastor Jack Hetzel em sua formatura no Texas, EUA. (Foto: KETK/Montagem Guiame) Um pastor de 99 anos...