WEB RÁDIO VERDADE GOSPEL

ISLAIDE TESTE

ISLAIDE TESTE
webradioverdadegospel@gmail.com

DISPONÍVEL NA PLAY STORY

DISPONÍVEL NA PLAY STORY
DISPONIVÉL NA PLAY STORY

JOÃO 3:16

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUPLICIDADE

IBADEP TEOLOGIA

IBADEP TEOLOGIA
IBADEP TEOLOGIA

sábado, 30 de janeiro de 2021

Quais os impactos da COVID-19 na Lista Mundial da Perseguição 2021? Como a pandemia interferiu na perseguição aos cristãos em todo o mundo

A pandemia da COVID-19 aumentou a vulnerabilidade dos cristãos que já conviviam com a discriminação e a violência

A pandemia da COVID-19 impactou o mundo todo, e muitos governos exploraram esse contexto para intensificar a opressão às minorias religiosas, aumentando a vulnerabilidade dos cristãos perseguidos. O departamento de pesquisa da Portas Abertas realizou um estudo sobre os principais impactos que a pandemia trouxe para os seguidores de Jesus hostilizados por causa da fé. 

As descobertas iniciais foram confirmadas durante a elaboração da Lista Mundial da Perseguição 2021, onde todos os países do Top50 obtiveram a classificação de perseguição extrema e severa, os índices mais altos da pesquisa. Os países com perseguição extrema, obtiveram entre 81 e 100 pontos, e os países com perseguição severa tiveram pontuação entre 61 e 80. Isso mostra que a pandemia aumentou o grau de perseguição em muitos países. Entenda como é feita a Lista Mundial da Perseguição.

Uma outra tendência global fortemente percebida durante o período, foi que os cristãos passaram a ser vistos como culpados pela pandemia e pela transmissão do vírus. Levando à disseminação de discursos de ódio e ataques físicos contra os seguidores de Cristo, nos quais funcionários do governo, membros da comunidade e grupos extremistas participaram. Muitas igrejas também foram atacadas por socorrer as comunidades nas principais necessidades.

Os cristãos têm, constantemente, o acesso às necessidades básicas negadas, já que a comunidade os vê como diferentes e muitas vezes como traidores. Durante a pandemia, eles continuaram a ser privados de ajuda humanitária, alimentos e até água, aumentando a vulnerabilidade e prejudicando a saúde das famílias. Grupos extremistas, governos e comunidades passaram a pressionar ainda mais os seguidores de Jesus durante a pandemia, realizando ataques diretos aos cristãos e igrejas.

O isolamento social por causa da pandemia também afetou a vida dos cristãos perseguidos, pois houve aumento dos níveis de violência doméstica. As famílias foram forçadas a ficar em casa e muitos cristãos ficaram presos com os parentes perseguidores, que não aceitam a conversão e utilizam de pressão e violência para obrigar os convertidos a retornarem à fé tradicional familiar.

Como a COVID-19 afetou os continentes?

Ásia: as ações do governo para conter a pandemia têm sido usadas para aumentar a vigilância das igrejas e seus membros, como na China. Membros da comunidade no Butão e em Mianmar também foram encorajados a monitorar as atividades cristãs. Os regulamentos governamentais em relação à COVID-19 foram usados para prender os cristãos, sob o pretexto de contenção da pandemia, como na Índia e no Nepal.

África Subsaariana: os extremistas são poderosos impulsionadores da violência e da discriminação na região. Eles têm usado as restrições da pandemia para aumentar os ataques contra os cristãos, como em CamarõesEtiópiaMali e Moçambique.

Oriente Médio e Norte da África: há indícios de que a violência doméstica aumentou pela pandemia nesta região. As famílias estavam trancadas juntas, muitas vezes colocando as mulheres já vulneráveis por causa da fé ainda mais em risco. Além disso, o Estado Islâmico se aproveitou da ocasião para promover mais ataques na região. 

América Latina: os principais agressores dessa região são grupos criminosos que pressionam os cristãos para abandonarem a fé. Os seguidores de Cristo na América Latina foram alvo da negação ou da restrição de cuidados de saúde, como na Bolívia e em Cuba. Também foram forçados a participar de rituais locais de cura em vez de escolherem a própria prestação de cuidados de saúde. Além disso, tiveram o acesso a centros de saúde e medicamentos negados ou restringidos pelas próprias comunidades por causa da fé. 

FONTE PORTAS ABERTAS.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2021

Cinco cristãos são batizados na Malásia Mesmo com as inundações severas que o país enfrenta, os seguidores de Jesus decidiram pelo batismo

 

Os desastres naturais e a pandemia da COVID-19 intensificaram a vulnerabilidade dos cristãos na Malásia

Fortes chuvas levaram a inundações intensas e deslizamentos de terra nas últimas semanas na Malásia. Mesmo com o passar de duas semanas, as águas das inundações ainda não recuaram em algumas áreas do país. Ainda assim, cinco cristãos do país decidiram ser batizados.

Mikal*, parceira da Portas Abertas no local, conta como aconteceu a escolha dos cristãos: “Em meio a esse desastre natural, ainda temos motivos para agradecer. Cinco novos cristãos foram batizados e pudemos celebrar junto com as igrejas. Ouvimos de três pastores que muitos deles estão começando a crescer na fé e já compartilharam Cristo com os vizinhos, é fantástico”, conta a parceira.

Os desastres naturais, como as inundações, juntamente com a pandemia da COVID-19, atingiram os cristãos. “Alguns dos que trabalham em campos para cultivar alimentos tiveram uma grande perda durante o primeiro confinamento da pandemia, quando não conseguiram colher nenhuma das plantações. Mas eles não perderam a esperança e começaram a replantar, e na hora de colher novamente, as inundações destruíram as plantações”, compartilha Mikal.

Mesmo com os desafios enfrentados pelos cristãos durante esse período, a disseminação do evangelho continua transformando vidas, como é o caso desses cinco cristãos que foram batizados. “Tem sido muito difícil. Eu sei que esses homens – incluindo os agricultores – são cheios de fé, mas isso realmente desafiou a fé deles”, conclui Mikal.

*Nome alterado por segurança.

Pedidos de oração

  • Agradeça a vida desses cristãos que foram batizados, mesmo diante das dificuldades que enfrentam.
  • Peça para que Deus visite os cristãos na Malásia, dando esperança de dias melhores e os mantendo firmes na fé.
  • Interceda por aqueles que estão enfrentando as inundações, para que as águas diminuam e as pessoas possam reconstruir as vidas.
  • FONTE PORTAS ABERTAS.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2021

Francis Chan é forçado a deixar Hong Kong, após plantar três igrejas domésticas O evangelista Francis Chan estava trabalhando desde o início de 2020 com igrejas domésticas em Hong Kong, mas teve seu visto negado recentemente.

 Francis Chan deixou o comando da Cornerstone Church para trabalhar com igrejas domésticas em Hong Kong, mas agora terá de voltar                                                                                           aos EUA. (Foto: Medium.com)

O evangelista e plantador de igrejas Francis Chan revelou que depois de plantar três igrejas em Hong Kong, as autoridades do território autônomo localizado na China negaram seu visto, forçando-o a deixar o país e retornar aos EUA

De acordo com a China Aid, o autor best-seller e pregador compartilhou a notícia em um vídeo enviado a amigos e companheiros pastores no dia 5 de janeiro.

“Na semana passada, depois que as autoridades de Hong Kong rejeitaram nossos vistos, nós (genros Justin, Peter e eu) tivemos que deixar o país. Agora estamos de volta aos EUA e apelando da decisão, no entanto. Queremos estar em Hong Kong e, com sorte, poderemos voltar para lá ”, disse Chan.

“Antes de sairmos de Hong Kong, Justin, Peter e eu vimos o Senhor plantar três igrejas (domésticas) com aproximadamente 15-20 pessoas em cada uma. Cada um de nós liderava uma igreja em cada uma de nossas casas, mas então, de repente, soubemos que tínhamos que deixar o país”, acrescentou.

Chan disse que está preocupado que os novos líderes e membros da igreja não consigam continuar a se reunir em um local sustentável.

Pouco antes de deixar Hong Kong, o pastor Chan disse aos jovens que trabalhavam com Justin, Peter e ele que eles tinham de partir e perguntou ao grupo: “Vocês estão prontos?

“Não, não estamos prontos ...”, eles responderam.

O evangelista lembrou aos membros de sua igreja doméstica que quando o apóstolo Paulo fosse para uma cidade, ele ficaria lá por três semanas para servir aqueles que nunca ouviram falar do nome de Jesus e depois iria embora.

Ele também destacou que os membros da igreja doméstica no Novo Testamento não tinham Bíblias ou recursos, mas eram capazes de estabelecer uma igreja poderosa pelo poder do Espírito Santo.

Chan disse que fez várias perguntas aos membros da igreja doméstica: “Vocês realmente não estão bem preparados o suficiente? Alguns de vocês são cristãos há anos, foram discipulados e têm sua Bíblia, mas não sentem que estão prontos? É verdade que você não tem informações suficientes ou não tem fé suficiente?”

“Eu acredito em vocês”, enfatizou ele. “Tenho paz no coração, porque sei que o Espírito Santo estará trabalhando. Embora eu acredite que Deus está me pedindo para voltar para os EUA, acho que esta é uma ótima temporada para vocês serem pressionados. E então, eu irei com o poder do Espírito. Nós temos isso. Eu tenho mais fontes para equipar do que a igreja primitiva tinha. Tenho tantos recursos online, tanto conhecimento disponível. Tenho as Escrituras diante de mim, uma grande vantagem”.

Chan, que surpreendeu a muitos em 2010, quando deixou o comando de sua igreja que estava em pleno crescimento na Califórnia (EUA), disse que não tem certeza se o governo de Hong Kong, fortemente guiado pelo Partido Comunista Chinês, permitirá que ele retorne, mas disse aos membros da igreja doméstica: "Eu [e vocês] só precisamos da fé que os crentes tinham nos tempos de Paulo, demonstrada no poder do Espírito Santo”.

Histórico

Chan e sua família se mudaram dos Estados Unidos para o bairro de Sham Shui Po em Hong Kong em fevereiro de 2020. Ele já comentou sobre alguns dos desafios que enfrentou como plantador de igrejas, revelando que a ideia de “amar uns aos outros” é estranha para muitos cristãos em Hong Kong.

A região, disse ele, é tão “ocidentalizada” que até as dinâmicas familiares são “estranhas” e “distantes”.

“Ou é apenas uma paternidade que só é lida com notas, ou eles simplesmente não se envolvem e agem como ‘deixe meu empregado fazer isso, você sabe, cuidar dos meus filhos’”, disse ele. “Eles são bons em realizar ... mas os relacionamentos [são] um pensamento tão estranho.”

“Somente o fato de ter pastores vindo à minha casa é uma coisa estranha para eles”, disse Chan, enfatizando a importância do “amor” e “unidade” dentro da igreja.

Em dezembro, ele compartilhou que, como missionário em Hong Kong, ele foi atingido por um clima de medo.

“Tenho notado que estou em Hong Kong, obviamente rodeado de chineses, ao contrário do que estava nos EUA, há muito medo, mesmo com aqueles que se dizem cristãos. Eles realmente têm medo de morrer. E você precisa entender que há algo muito errado em sua vida se você não quiser morrer”, disse ele aos reunidos na Convenção da Missão Chinesa.

O apóstolo Paulo desejava partir e estar com Cristo em Filipenses 1: 21-24, disse Chan, mas ele “raramente” ouve esse tipo de discurso daqueles em Hong Kong.

“As pessoas estão segurando suas vidas, com tanto medo da morte. É como se não acreditássemos realmente em suas promessas de algo melhor. É por isso que Paulo diz: ‘Claro que prefiro partir e estar com Ele, mas há coisas que tenho que fazer na terra’. Essa é a única razão pela qual ele ainda gostaria de estar na terra”, destacou.

“Porque ele está tão apaixonado por Jesus. Eu só quero estar com Ele”, disse Chan. “Você pensa assim? Você fala assim?”.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DA CHINA AID / CHRISTIAN POST

quarta-feira, 27 de janeiro de 2021

“Nasci de novo, foi a mão de Deus”, diz sobrevivente de acidente de ônibus no Paraná O acidente com ônibus em Guaratuba deixou 19 mortos e 31 feridos na manhã de segunda-feira (25).

 

                             Ônibus saiu da pista e tombou, em Guaratuba, no Paraná. (Foto: Arquivo Pessoal/Juliano Neitzke)

Um acidente com um ônibus na BR-376, em Guaratuba, no litoral do Paraná, deixou 19 mortos e 31 feridos na manhã desta segunda-feira (25). Entre os sobreviventes, estão pessoas que reconhecem uma segunda chance dada por Deus.

Anderson de Oliveira saiu de Ananindeua (PA) para visitar parentes em Santa Catarina. Ele disse que a viagem estava tranquila até a chegada à serra. “Não sei se [o motorista] perdeu o controle ou se estava em alta velocidade. Todo mundo foi para o lado e foi arremessado. Deus me deu uma chance por ter sobrevivido”, disse o jovem à Litorânea FM.

“Quero agradecer a Deus por estar vivo, foi um verdadeiro milagre, agora só desejo ver minha família. Inesquecível esta data, nunca vou esquecê-la pelo resto da vida”, acrescentou Anderson.

Outro sobrevivente, Silas, saiu de Augusto Corrêa (PA) para um novo trabalho em Itapema (SC) e acabou sendo marcado pela imagem das pessoas mortas e corpos deformados pelo acidente.

“Nasci de novo, foi a mão de Deus que me amparou e fez com que eu estivesse aqui neste momento. São poucos os que vão contar essa história. Digo àqueles que perderam seus familiares que fiquem firmes, pois não sabemos quando as coisas vão acontecer”, disse o jovem, emocionado.

De acordo com o Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA), 13 adultos, cinco adolescentes e uma criança foram mortos no acidente. Entre as 31 pessoas feridas, sete estão em estado grave e seis com ferimentos moderados.

O acidente

O acidente aconteceu por volta das 8h30 na altura do km 668, no trecho conhecido como “Curva da Santa”, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O ônibus saiu de Ananindeua, no Pará, e tinha como destino São José, em Santa Catarina.

O veículo descia a Serra do Mar em direção ao litoral catarinense quando bateu na mureta de contenção do lado direito, saiu da pista e tombou às margens da rodovia.

O motorista, de 67 anos, não se feriu no acidente. Em depoimento à Polícia Civil, ele explicou que havia assumido a direção cerca de 30 minutos antes do acidente e alegou que o ônibus ficou sem freios antes de capotar.

O delegado da Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) de Curitiba, Edgar Santana, disse, nesta terça-feira (26), que uma perícia vai definir se houve falha mecânica ou humana no acidente. Se houve falha mecânica, os responsáveis pela viagem e pelo ônibus podem ser responsabilizados. No caso de falha humana, a conduta do motorista será investigada.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO G1 E LITORÂNEA FM

terça-feira, 26 de janeiro de 2021

Pastor incentiva a fazer orações intensas a Deus: “As lágrimas abrem os céus” O pastor Joel Engel explica por que a oração com lágrimas abre os portões dos céus.

 

                                           Imagem ilustrativa de mulher em lágrimas. (Foto: Jasmin Merdan/Getty Images)

A oração e a comunhão com outros cristãos são essenciais nos momentos de crise e dificuldades, segundo o pastor Joel Engel. Ele explica que “a oração abre a janela dos céus” e temos como nosso grande exemplo Jesus, “o maior intercessor”.

É o que diz Hebreus 5:7: “Durante os seus dias de vida na terra, Jesus ofereceu orações e súplicas, com forte clamor e lágrimas, àquele que o podia salvar da morte, sendo ouvido por causa da sua reverente submissão”.

“Jesus foi atendido porque suas lágrimas subiram a Deus e porque Ele era submisso à autoridade”, disse Engel durante culto online transmitido na terça-feira (19).

Outro aspecto importante na oração é quando ela é feita em comunhão e concordância com outros cristãos. O pastor cita o Salmos 133, que diz que “é bom e agradável viverem unidos os irmãos! É como o óleo precioso sobre a cabeça, o qual desce pela barba de Arão, e desce para a gola de suas vestes [...] Ali o Senhor ordena a sua bênção e a vida para sempre”.

Este texto bíblico, explica Engel, fala da união em oração. “O Salmo 133 fala da bênção que vem sobre Arão e desce para os filhos, que estão debaixo de sua cobertura; o óleo desce pela barba e chega até a alma”, afirma.

Engel faz uma comparação a uma prática que é feita até os dias de hoje em Israel. “No Muro das Lamentações, podemos observar os judeus orando em grupos de pelo menos 10 pessoas. Isso está relacionado à oração de Abraão por Sodoma, quando Deus responde que, por amor aos 10 justos, não destruiria aquela cidade”.

Voltando ao texto do Salmo 133, Engel explica que, no hebraico, o versículo é traduzido para: Como é bom e agradável quando os irmãos estão sentados à mesa! “O que isso quer dizer? Muitas pessoas comem com você, trabalham com você, estão na igreja com você, mas não estão unidas com você”, avalia.

“Estar unido a alguém é estar junto em todas as situações, boas e ruins”, esclarece.

Oração com lágrimas

A oração que Jesus fazia por alguém doente era com lágrimas, observa o pastor. “Ele sentia a dor da pessoa. Jesus tinha compaixão pelo doente. Compaixão é você se colocar no lugar da pessoa e estar disposto a morrer por ela. Era assim que Jesus se movia”.

Engel ensina que cada letra no hebraico é um número, e isso pode explicar muito sobre o significado da intercessão. “O mesmo número para a oração também é usado na palavra lágrimas. A oração de um justo e as lágrimas abrem os portões dos céus”, diz.

Outro aspecto do judaísmo destacado por Engel é o uso da Mezuzá, um mandamento da Bíblia que ordena que suas palavras sejam afixadas no umbral das portas com a Shemá Israel, que constitui a profissão de fé: “Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todas as suas forças”.

Deuteronômio 6:4-9 diz que essas palavras devem estar “em seu coração”, ensinada “com persistência a seus filhos”, amarradas “como um sinal nos braços e na testa” e escritas “nos batentes das portas de sua casa e em seus portões”.

“A mezuzá fala de um princípio e um ato profético da oração do justo, é um ato que apresenta a Deus as lágrimas”, explica Engel. “Na oração com gemidos e dores de um povo, de um grupo ou de uma família, as lágrimas são recolhidas. As lágrimas do justo abrem os portões celestiais”.

Por isso, Engel acredita que a mezuzá é um símbolo especial, porque lembra da oração “em família”, uma oração de pessoas ao redor da mesa. E todas essas coisas apontam para Jesus.

“Jesus é quem tem a chave de Davi, quem abre a porta que ninguém consegue fechar, e fecha a porta que ninguém consegue abrir. Jesus é o justo que derramou lágrimas por nós”, destacou.

Veja a pregação completa


FONTE: GUIAME,rvg, LUANA NOVAES

segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

Ataques a comunidades cristãs já mataram mais de 100 pessoas em menos de um mês, no Congo Apesar de ser um país de maioria cristã, a República Democrática do Congo tem sofrido cada vez mais com a ação de grupos terroristas islâmicos.

 

Cristãos enterram vítimas da violência provocada pelo terrorismo, próximo a Beni, na República Democrática do Congo. (Foto: AFP / KUDRA MALIRO via Getty Images)

Em menos de três semanas, mais de 100 pessoas de comunidades predominantemente cristãs foram assassinados na região oriental da República Democrática do Congo (RDC). Pelo menos três assassinatos em massa foram cometidos por extremistas islâmicos em um país no qual 95% da população é formada por cristãos.

“Estes são fatos — e uma história — que chamam a atenção no país centro-africano de 86,7 milhões de habitantes”, diz Illia Djadi, analista sênior da Portas Abertas para liberdade de religião ou crença na África Subsaariana.

“A morte de civis inocentes quase diariamente é uma tragédia pouco relatada”, acrescentou ela, considerando que desde o dia 31 de dezembro, mais de 100 pessoas já foram assassinadas nesses ataques em massa.

No dia 31 de dezembro, 25 pessoas foram mortas em um ataque do grupo rebelde terrorista, conhecido como ‘Forças Democráticas Aliadas’ (ADF) na aldeia de Tingwe, também na região de Beni.

Em 4 de janeiro, cerca de 22 civis foram mortos em um ataque noturno no vilarejo de Mwenda, na região de Beni, na província vizinha de Kivu do Norte. Os agressores usaram armas e facões, disse Jeremi Mbweki, identificado pela Reuters como um “líder da sociedade civil”. Ele disse que pelo menos 17 outros residentes foram mortos a facadas em um ataque a um vilarejo próximo na semana anterior.

Em 14 de janeiro, cerca de 46 pessoas pertencentes à etnia dos Pigmeus foram mortas em um ataque de supostos militantes da província de Ituri.

Como a República Democrática do Congo é 95% cristã, a maioria dessas mortes são de crentes, disse Djadi.

“Essas comunidades predominantemente cristãs são atacadas por um grupo extremista islâmico com uma clara agenda expansionista islâmica”, explicou ela.

Atualmente República Democrática do Congo é o país de número 40 na Lista Mundial de Perseguição 2021, da Portas Abertas, que aponta os 50 países onde é mais difícil viver como cristão. Na lista deste ano, foi a primeira vez que o país africano foi citado.

“Uma guerra foi declarada”

Observadores dizem que o número de ataques atribuídos à ADF tem aumentado em número e intensidade desde o início de uma ofensiva do exército contra o grupo em outubro de 2019. Um grupo de cidadãos locais chamado Lucha sugere que mais de 1.200 civis já foram mortos pelo militante islâmico grupo [RFI].

“Uma guerra foi declarada contra a República Democrática do Congo”, disse p governador provincial Carly Nzanzu Kasivita à RFI, após a morte de sete civis em outro ataque em 30 de dezembro. Uma “mobilização nacional e internacional” é necessária para acabar com a violência em curso, ele disse.

As Forças Democráticas Aliadas, também conhecidas como Defesa International Muçulmana, vêm atacando comunidades há décadas, incluindo crimes como homicídio e sequestro de cristãos, além de treinar e enviar jihadistas para outros países da África.

Uma rede jihadista em toda a África

No ano passado, um relatório da ONU sugeriu que os abusos de direitos "generalizados, sistemáticos e extremamente brutais" cometidos pela ADF "poderiam constituir, por sua natureza e alcance, crimes contra a humanidade e crimes de guerra".

A ONU avisa que o ADF está realmente conectado a uma rede de grupos jihadistas em toda a África. O Secretário-Geral da ONU, Antonio Guterres, disse à RFI: “Na minha opinião, a ADF hoje faz parte de uma rede que começa na Líbia e se estende ao Sahel, à região do Lago Chade, e que está presente em Moçambique”.

A ADF não se vinculou formalmente ao grupo do Estado Islâmico, mas o Estado Islâmico começou a assumir a responsabilidade por alguns dos ataques da ADF e, em abril de 2019, os propagandistas do Estado Islâmico descreveram o Congo como a "Província do Califado da África Central", de acordo com o grupo de inteligência ‘SITE’, que monitora os anúncios do Estado Islâmico e outras atividades terroristas.

“É um lembrete do que está acontecendo em outras partes da região central do Sahel”, disse Djadi, da Portas Abertas. “Pense em grupos como o Boko Haram no nordeste da Nigéria, por exemplo. A ideologia, a agenda de estabelecer um ‘califado’ na região e a maneira como eles operam são as mesmos, e podemos ver como eles afligem um sofrimento terrível sobre pessoas inocentes”.

“Como a Portas Abertas, queremos soar o alarme e apelamos urgentemente ao governo nacional e à comunidade internacional para que façam tudo o que puderem para proteger vidas inocentes e restaurar a paz nesta região conturbada”, acrescentou.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DA PORTAS ABERTAS (EUA)

sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

Cristãos são retirados de escombros na Indonésia A esposa de um parceiro da Portas Abertas faleceu após ficar três dias soterrada

       As filhas do parceiro saíram com vida dos escombros, mas a esposa não resistiu e faleceu na                                                                   Indonésia (foto: AntaraNews)

No dia 15 de janeiro, a Portas Abertas noticiou sobre um terremoto que deixou muitos mortos e feridos na Indonésia. O terremoto de magnitude 6,2 atingiu a ilha de Sulawesi e deixou mais de 80 cidadãos mortos, de acordo com atualizações dadas ontem, 18 de janeiro, por parceiros locais. Alguns cristãos estavam soterrados dentre os escombros e foram retirados, mas a esposa de Axel Fong, parceiro da Portas Abertas e membro da Igreja GBI Puncak, não resistiu e faleceu, após ficar soterrada por três dias.

As filhas de Axel, Angel e Katrin, chamada anteriormente de Katherine, foram retiradas com vida dos escombros e estão recebendo acompanhamento para os ferimentos. Além das meninas, outro familiar de Fong foi resgatado com vida. Milhares de famílias permanecem desabrigadas e socorristas continuam trabalhando para encontrar cidadãos vivos sob os destroços do terremoto.

A Agência Nacional de Gestão de Desastres realizará testes rápidos de COVID-19 para os refugiados, a fim de evitar a transmissão da doença nos locais de evacuação. A Indonésia ocupa a 47ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2021, onde os cristãos enfrentam perseguição por parte do governo, comunidade, amigos e até familiares.   

Pedidos de oração

  • Ore pela família de Axel Fong, para que se recuperem do trauma e para que Deus console os corações diante da perda que tiveram.
  • Clame pelas famílias de todas as vítimas nesse momento, para que o Senhor traga conforto e paz aos corações.
  • Peça para que as autoridades do país continuem realizando resgates bem sucedidos, salvando vidas e levando socorro a quem precisa.
  • FONTE PORTAS ABERTAS.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

Bíblia é reconhecida como patrimônio cultural e imaterial pelo governo do Rio O decreto foi assinado pelo governador em exercício Cláudio Castro nesta semana.

 

                                                Bíblia foi livro mais vendido em 2020. (Foto: Reprodução / Pixabay)

O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, reconheceu a Bíblia Sagrada como patrimônio cultural e imaterial do Estado. A proposta é do deputado estadual Marcio Pacheco (PSC), pensando na importância que a Bíblia tem para as pessoas.

Em sua justificativa, o deputado diz que “a Bíblia é muito importante porque muda vidas.”

“A mensagem da Bíblia é para todo o mundo e milhões de pessoas foram transformadas por ela”, diz o projeto, apresentado pelo deputado na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

Católico, Cláudio Castro assinou decreto, esta semana, reconhecendo o livro sagrados dos cristãos como patrimônio imaterial e cultural do Estado do Rio.

“Patrimônio cultural é o conjunto de todos os bens, manifestações populares, cultos, tradições tanto materiais quanto imateriais (intangíveis), que reconhecidos de acordo com sua necessidade, importância histórica e cultural de uma região, adquirem um valor único e de durabilidade representativa simbólica/material”, define o projeto.

O texto continua: “De acordo com sua particularidade e significativa forma de expressão cultural, é classificada com patrimônio cultural, determinando uma salva guarda, para dar continuidade e preservação. Com intenção de assegurar, para gerações futuras conhecer seu passado, suas tradições, sua história, os costumes e cultura.”

A Bíblia

O texto diz ainda que “a Bíblia é um conjunto de livros que foram escritos ao longo de mais de 1500 anos por várias pessoas inspiradas por Deus. Isso significa que os escritores foram guiados por Deus para escrever as palavras certas. É por isso que todos os livros da Bíblia concordam e têm a mesma mensagem, mesmo sendo escritos por pessoas muito diferentes.”

Para o autor da proposta, “quem ouve a mensagem da Bíblia tem uma escolha: rejeitá-la e viver como se não é verdade, ou aceitá-la e viver de acordo com seu ensino. A mensagem da Bíblia é para todo o mundo e milhões de pessoas foram transformadas por ela.”

Identidade da população

O projeto cita a Constituição Federal de 1988, em seu artigo 216: “Constituem patrimônio brasileiro os bens de natureza material e imaterial, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira”.

Bíblia é o livro mais vendido de todos os tempos. Esse argumento também foi citado pelo autor da proposta: “Neste sentindo é importante para a preservação da identidade cultural da população, passando de geração a geração, uma vez considerado o livro mais vendido de todos os tempos, com mais de seis bilhões de cópias em todo mundo”.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO GLOBO E ALERJ

quarta-feira, 20 de janeiro de 2021

Crescimento da igreja dispara na Índia, apesar da perseguição e da Covid-19 Os líderes cristãos indianos desejam estabelecer suas igrejas na sã doutrina, mas não têm acesso a traduções da Bíblia em seus idiomas.

 

Culto em igreja indiana. (Foto: Reprodução / Christian Aid Mission)

Pelo segundo ano consecutivo, a Portas Abertas classifica a Índia em 10º lugar na lista de países onde é mais desafiador ser cristão. “Mas mesmo [em meio a] essa perseguição, Deus cresce e fortalece sua Igreja”, disse David Reeves, presidente e CEO da unfoldingWord.

O ministério que provê recursos às igrejas está celebrando essa boa e inesperada notícia recebidas dos parceiros de plantação de igrejas na Índia. “Durante 2020 - o ano COVID - eles plantaram mais igrejas do que todos os 25 anos de seu trabalho ministerial lá”, diz Reeves.

“Há centenas de milhares de pessoas que vêm a Cristo, e igrejas nos lares estão surgindo em todos os lugares por causa disso.”

Conforme descrito aqui, o unfoldingWord apoia os crentes nacionais para que eles possam traduzir a Palavra de Deus em seu idioma. “Eles estão cansados ​​de esperar [por uma tradução]; eles estão tentando fazer isso sozinhos e nós fornecemos ferramentas [e] recursos para ajudá-los”, explica Reeves.

Na Índia, os líderes da Igreja desejam estabelecer suas igrejas na sã doutrina, mas não têm acesso a traduções da Bíblia em seus idiomas. Ao equipar esses líderes com recursos e treinamento bíblicos, o unfoldingWord os capacita a traduzir a Bíblia com excelência e eficiência em todos os idiomas que precisarem.

Bênçãos pandêmicas

As restrições da Covid-19 na Índia colocam muitos crentes em uma posição difícil. No entanto, foi um ano de oportunidades para o desdobramento da rede de parceiros de plantação de igrejas do unfoldingWord.

Um parceiro compartilhou o seguinte relatório com Reeves:

Por não poderem se encontrar com outras pessoas durante o bloqueio, eles decidiram simplesmente começar a orar especificamente por pessoas não salvas que conheciam. Então, eles decidiram acompanhar essas orações por telefone e WhatsApp. Eles estimam cerca de 100.000 conversões durante o bloqueio como resultado dessa abordagem. Da mesma forma, com a implantação de igrejas, eles encorajaram cada igreja a [orar por] dez vilas ou bairros específicos [sem] nenhuma igreja. Então, conforme as restrições diminuíram um pouco, eles conseguiram entrar nessas regiões. Eles estimam que as igrejas adotaram cerca de 50.000 aldeias durante o bloqueio, e 25% agora têm uma “abertura” para o Evangelho - alguns crentes, uma pequena igreja doméstica, etc.

“Isso é muito mais do que poderíamos ter feito antes do Covid”, resume.

Risco versus recompensa

Este trabalho é fundamental, mas não é fácil. Reeves diz que vários de seus amigos na Índia foram mortos por seus esforços de construção do Reino de Deus. Outros foram “jogados na prisão [ou] perseguidos de várias maneiras”, acrescenta ele.

Existem muitos riscos envolvidos, mas isso não impedirá a Igreja de seguir em frente.

“Este contexto se parece muito com a Igreja do primeiro século. Essas pessoas continuam avançando, assim como a Igreja primitiva [continuou] em meio à perseguição”, diz Reeves. “Temos várias oportunidades fenomenais acontecendo na Índia”.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO MNN ONLINE

sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

Mais de 340 milhões de cristãos enfrentam perseguição no mundo Número total de mortos por causa da fé em Jesus aumentou 60% na LMP 2021

 

          Número de cristãos perseguidos aumentou 30% na Lista Mundial da Perseguição 2021

A pesquisa feita pelas Portas Abertas em mais de 70 países indicou que mais de 340 milhões de cristãos enfrentam perseguição e discriminação por causa da fé. Na Lista Mundial da Perseguição (LMP) 2021, o aumento foi de 30% em relação à edição anterior. Isso quer dizer que, na média mundial, 1 em cada 8 cristãos enfrenta pressão ou violência por causa da fé. Na África, 1 em 6, na Ásia são 2 em 5 e na América Latina, 1 em 12. Baixe o mapa da LMP 2021 e veja onde há perseguição aos cristãos.

O número total de cristãos mortos por causa da fé também aumentou de 2.983 casos registrados na LMP 2020 para 4.761 na LMP 2021. O crescimento foi de 60%, e 91% dos assassinatos aconteceram em países africanos, contra 8% na Ásia. Entretanto, esses números não podem registrar os sofrimentos que cada seguidor de Jesus enfrentou individualmente.

Por isso, a missão de apoiar e encorajar os cristãos perseguidos continua a ser imprescindível e cada dia mais necessária. Já que se a fé em Cristo tem causado tantos problemas, é por meio dela que nossos irmãos e irmãs encontrarão solução para os desafios cotidianos e conseguirão transformar as realidades difíceis em que vivem

O impacto da pandemia

A COVID-19 dificultou a ação de contato e fortalecimento da Igreja Perseguida. Mas a pandemia foi apenas um catalisador da pressão e violência já existentes. Na Índia, por exemplo, 80% das pessoas assistidas pela Portas Abertas tiveram ajuda negada do governo nacionalista hindu. Nos países da África Ocidental, como Nigéria e Mali, os cristãos também foram discriminados na hora de receber apoio humanitário.

Além disso, a pandemia fez com que muitas mulheres convertidas ao cristianismo enfrentassem a violência doméstica por causa do confinamento com a família. Outros crimes contra as seguidoras de Jesus que aumentaram foram os sequestros, conversões e casamentos forçados.

Em países onde há forte atuação de grupos extremistas como Boko Haram e pastores de cabra fulanis, a COVID-19 não impediu que diversas comunidades cristãs fossem atacadas. Na realidade, os radicais aproveitaram o descaso governamental para ampliar as ações. Mais homens e garotos foram mortos nessas ações e mulheres e meninas sequestradas. Confira as principais informações dos 50 países da LMP 2021 no e-book disponibilizado no link abaixo.

http://missao.portasabertas.org.br/ebook-lista-mundial

FONTE PORTAS ABERTAS.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

Refugiado vietnamita se torna pastor nos EUA: ‘A fome de Deus nunca me deixou’ Foi em um acampamento de jovens da Assembleia de Deus que Bui sentiu-se chamado para o ministério.

 

                           Winston Bui visita o Vietnã onde ministra frequentemente. (Foto: Reprodução / AG News)

Winston N. Bui escapou do Vietnã ainda menino durante a queda de Saigon em 1975. Hoje, o ex-refugiado lidera a Irmandade Vietnamita das Assembleias de Deus nos Estados Unidos e passou os últimos 20 anos como orador popular e pioneiro de diferentes Chi Capítulos do Alpha Campus Ministries em faculdades e universidades em vários estados.

“Chi Alpha é minha família há muito tempo”, diz Bui. “Por meio dele eu fui discipulado, aprendi como pregar e trabalhar no ministério, e como seguir a Deus.”

Bui nasceu em Saigon, filho de um capitão do exército sul-vietnamita (aliado dos EUA). Em 30 de abril de 1975, enquanto Saigon mergulhava no caos, o pai de Winston reuniu a família e alguns pertences e os levou às pressas para o porto. No caminho, Winston se lembra de ter visto muitos cadáveres e ouvido tiros em meio a uma grande confusão.

A família embarcou em um barco, assim como milhares de outras, e escapou do caos. O vietcongue abriu um buraco no barco com um canhão, mas não o desativou. Muitos outros refugiados se afogaram e morreram naquele dia, quando as últimas forças dos EUA se retiraram.

A tripulação de um navio da Marinha dos EUA ajudou a embarcação e consertaram o buraco. O barco vietnamita acabou na Ilha Wake, um protetorado dos EUA no sul do Oceano Pacífico. De lá, a família Bui e outras pessoas foram para um campo de refugiados em Fort Chaffee, Arkansas. O pai de Winston se conectou com um patrocinador em Bartlesville, Oklahoma, que ajudou a família a encontrar moradia e emprego.

Anos depois, um dos colegas de escola de Winston o convidou para um culto de jovens de sua igreja. Naquela noite, Winston respondeu à mensagem do Evangelho.

“Nunca olhei para trás”, diz ele. "Naquela noite houve um fogo de avivamento em mim, uma fome sagrada por Deus que nunca me deixou."

Ministério

Em um acampamento de jovens da Assembleia de Deus no verão seguinte, Bui sentiu-se chamado para o ministério e, depois de se matricular na Northeastern State University em Tahlequah, Oklahoma, foi pioneiro de um grupo Chi Alpha lá e encontrou seu caminho.

Em seu último ano, o capítulo havia se tornado um dos maiores grupos Chi Alpha liderados por estudantes nos EUA. Bui permaneceu e liderou o grupo por vários anos mais, se casando com Kimberly D. Baldwin, uma nativa de Oklahoma que compartilhou seu chamado para o ministério. Ela é uma ministra AG ordenada, como seu marido.

O casal mudou-se para Columbia, Missouri, para liderar o grupo Chi Alpha na Universidade de Missouri, que na época tinha nove alunos. Em poucos anos, o capítulo Mizzou tinha várias centenas de alunos regularmente envolvidos. O mesmo tipo de florescimento numérico, relacional e espiritual aconteceu quando os Buis se mudaram para a Califórnia para iniciar um grupo na UCLA, que cresceu de alguns alunos para centenas.

“A chave é relacionamentos um a um, pequenos grupos, discipulado e uma comunidade dedicada a buscar Deus juntos”, diz ele. “Um debate não ganha um campus, mas o sobrenatural pode. Os dons do Espírito, discipulado um a um, louvor e adoração, palavras de conhecimento e palavras de sabedoria, todos cooperam [para o crescimento]”

Uma voz usada por Deus

Troy Singleterry, pastor líder da Igreja City View em San Diego, diz que Bui “é uma voz que Deus está usando de maneiras tremendas em igrejas, viagens missionárias, conferências e nos campi universitários”.

“Winston fala com amor e ousadia, por experiência própria”, diz Singleterry. “Winston é uma das vozes que Deus está levantando em uma época de incerteza, medo, ansiedade e estresse.”

Hoje, a família Bui está entrando em um novo capítulo de ministério no Estado de Sooner, dirigindo Chi Alpha na University of Central Oklahoma em Edmond.

Winston continua liderando o Vietnamese Fellowship nos EUA, que tem igrejas em cidades como Dallas, Houston, Boston, Los Angeles e San Jose. Ele está lançando uma visão e desenvolvendo líderes com o objetivo de plantar mais igrejas AG em toda a América. Bui, que é um missionário dos Estados Unidos e também membro da Comissão de Etnicidade da AG, viaja e prega globalmente.

Em novembro de 2019, ele voltou ao seu local de nascimento, a cidade de Ho Chi Minh, para falar no 30º Conselho Geral das Assembleias de Deus no Vietnã. Sua família mantém fortes laços com o país, onde Bui ministra com frequência.

“Sinto-me oprimido pela bondade, misericórdia e compaixão de Deus para com um jovem que já foi refugiado”, diz ele. “Sempre abençoarei o Leão da tribo de Judá e a nação Chi Alpha pelo que Deus fez em minha vida.”

FONTE: RVG, COM INFORMAÇÕES DA AG NEWS

quarta-feira, 13 de janeiro de 2021

Lista Mundial da Perseguição 2021: hostilidade a cristãos aumenta Confira o ranking dos 50 países e descubra onde há mais pressão e violência por causa da fé

Os dados da LMP 2021 indicam que mais de 340 milhões de cristãos enfrentam pressão e violência por causa da fé

Lista Mundial da Perseguição 2021 já está disponível com o ranking dos 50 países onde os cristãos são mais perseguidos por causa da fé em Jesus. As informações publicadas são resultado da pesquisa feita entre 1/10/2019 e 30/9/2020 em mais de 70 países do mundo. Desde 1993, a Portas Abertas publica a pesquisa que mede a perseguição aos seguidores de Jesus. Mas a situação da Igreja Perseguida está sendo investigada desde a década de 1970. 

Nesta nova edição, houve o crescimento da perseguição em 30%. Isso indica que mais de 340 milhões de cristãos enfrentam perseguição e discriminação por causa da fé. Em 29 nações, como AfeganistãoChina e Nigéria, as pontuações cresceram. Já em oito países como Coreia do NorteSomália e Índia, os pontos foram os mesmos da edição passada. No SudãoArábia Saudita e Egito e mais seis países a hostilidade contra os seguidores de Jesus teve uma queda. Faça o download do mapa no banner abaixo. 

O continente que mais teve países na LMP 2021 foi a Ásia, com 29 nações. Em seguida veio a África com 19 e a América Latina com dois. Muitos dos cristãos perseguidos nesses locais também foram atingidos pela COVID-19 e as consequências da pandemia, como desemprego e fome. Mas nem tamanha vulnerabilidade foi capaz de impedir que governos, comunidades e familiares praticassem a intolerância religiosa contra os cristãos.


Neste relatório sobre a Igreja Perseguida você também terá informação sobre os tipos de perseguição enfrentados pelos irmãos e irmãs nos países elencados, além de conhecer as fontes que exercem essa influência. 

Baixe também o e-book com as principais informações dos 50 países da Lista Mundial de Perseguição 2021 e comece já a orar pelos irmãos e irmãs da Igreja Perseguida!

FONTE PORTAS ABERTAS.


 


terça-feira, 12 de janeiro de 2021

Qual foi o país número 1 na primeira Lista Mundial da Perseguição? Nações da África, Ásia e América Latina compunham a lista de 1993

 

Desde o lançamento da LMP, em 1993, os cristãos da Arábia Saudita já sabiam as dificuldades de viver a fé na região

Desde 1993, a Portas Abertas divulga a Lista Mundial da Perseguição (LMP) com os 50 países onde os cristãos enfrentam mais pressão e violência por causa da fé em Jesus. Na primeira edição, o país número um em perseguição aos seguidores de Jesus foi a Arábia Saudita, que hoje ocupa a 13ª posição. Em seguida vinha o Afeganistão, que nunca saiu da LMP nestes 28 anos, o máximo que caiu na lista foi para 18º lugar em 1997.

Outro país que sempre foi presente no ranking é a Coreia do Norte, que ficou em 6º lugar em 1993, mas desde 2002 é a nação mais perigosa para os cristãos viverem. Porém, na LMP 2000, o território comunista chegou a ficar em 16º lugar. Os dados revelam que os cristãos norte-coreanos são vítimas da ação da paranoia ditatorial, já que são obrigados a adorar e obedecer cegamente às ordens da família Kim.

Dos países que integraram o Top10 na primeira edição da LMP, apenas Comores (5º) não está no ranking de 2020. As demais nações eram Sudão (3º), China (4º), Irã (7º), Egito (8º), Marrocos (9º) e Iêmen (10º). As nações da América Latina também marcaram presença: Peru (24º), Cuba (26º), Colômbia (32º) e México (36º) eram os mais hostis aos cristãos do continente.

As regiões onde havia mais perseguição aos cristãos em 1993 eram Ásia e África, com 17 países em cada um. Em seguida estava o Oriente Médio, com 11 nações, e por último a América Latina, com 4 países. A partir desses dados publicados anualmente, a Portas Abertas consegue descobrir quais as principais dificuldades enfrentadas pela Igreja Perseguida.

Após entender o contexto da perseguição e privações enfrentadas pelos cristãos é possível decidir a melhor forma de ajudá-los. Assim, os projetos são implantados e os irmãos e irmãs que vivem nos países da LMP podem ser beneficiados de diferentes maneiras, como distribuição de Bíblias e literatura, treinamento, ajuda socioeconômica e ações institucionais (consultoria jurídica, pesquisa e presença).

Receba a Lista Mundial da Perseguição 2021

No dia 13 de janeiro, será o lançamento da LMP 2021 com os principais dados da perseguição aos cristãos. Cadastre seu e-mail e receba em primeira mão o ranking com os 50 países onde os seguidores de Jesus são mais perseguidos.

FONTE PORTAS ABERTAS.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2021

“Deus dá a última palavra”, diz homem após 53 dias internado por caso grave de Covid-19 Foram 53 dias internado com traqueostomia, sonda nasal e enfrentando batalhas diárias.

                                         Fernando junto com sua esposa, Melissa, e a filha, Rebecca. (Foto: INCC)

Depois de ser diagnosticado com Covid-19, Fernando foi internado em 31 de outubro de 2020 no Hospital Samaritano, em São Paulo. Apenas dois dias depois, com o pulmão comprometido, ele teve que ser entubado — e enfrentar uma longa batalha pela vida.

“Foram 20 dias entubado, sendo 3 dias em que meu pulmão parou de funcionar. Nesse período, os médicos não tinham mais esperança da minha recuperação”, disse Fernando em testemunho publicado pela Igreja do Nazareno Central de Campinas.

“Mas, graças a Deus — Ele que dá a última palavra — após estes 3 dias, meus sinais começaram a melhorar. Segundo minha médica, a Dra. Ana Lucia, aconteceu um milagre. Eu creio que Deus ouviu as orações e teve misericórdia de mim”, acrescentou Fernando.

Fernando ficou internado por um total de 53 dias, com traqueostomia, sonda nasal e enfrentando batalhas diárias. “Havia dias que eu desejava tomar um copo de água, mas não podia, tomar um banho de chuveiro (só tomava banho na cama); fiquei sem voz, inerte no leito, eu me esforçava para que meus pensamentos focassem em Deus, com esperança que tudo passaria. E passou, graças a Deus”, conta.

Em 22 de dezembro de 2020 Fernando finalmente recebeu alta do hospital. Ele voltou para casa usando um cateter de oxigênio e cadeira de rodas, pois havia perdido a força nas pernas.

Até o dia 1 de janeiro de 2021, quando o testemunho foi publicado, Fernando relatou que continua fazendo fisioterapia pulmonar e motora, para recuperar completamente a força das pernas; além de “desmamar” o oxigênio a cada dia. 

Fernando e a esposa, Melissa, compartilham testemunho. (Foto: INCC)

“Creio que em breve estarei totalmente recuperado. Fica aqui minha gratidão mais uma vez e meu registro que Deus está vivo, é misericordioso e é a nossa razão de ser”, declarou.

Fernando também fez um agradecimento especial à sua esposa, Melissa, que lutou por sua vida em oração. Ela é “uma verdadeira guerreira de oração, mulher de fé e companheira”, segundo o marido. 

“Posso dizer, conforme Provérbios, que encontrei uma mulher virtuosa”, disse Fernando. “Também pela minha filha, que sempre acreditou que eu retornaria para casa. Minha família, meus irmãos em Cristo, amigos, pessoas que eu não conheço e intercederam em meu favor. A todos, desejo do meu coração que Deus os abençoe muito e que sejamos cada dia mais semelhantes ao nosso Senhor Jesus Cristo”.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DA IGREJA DO NAZARENO CENTRAL DE CAMPINAS

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

NOSSOS OUVINTES,ONLINE, PELO MUNDO

Flag Counter

Pastor realiza sonho de conquistar diploma do ensino médio aos 99 anos Apesar de ter sido alfabetizado e ter escrito 8 livros, o pastor Jack Hetzel ainda queria ter em suas mãos o diploma do ensino médio.

                                        Pastor Jack Hetzel em sua formatura no Texas, EUA. (Foto: KETK/Montagem Guiame) Um pastor de 99 anos...