WEB RÁDIO VERDADE GOSPEL

ISLAIDE TESTE

ISLAIDE TESTE
webradioverdadegospel@gmail.com

DISPONÍVEL NA PLAY STORY

DISPONÍVEL NA PLAY STORY
DISPONIVÉL NA PLAY STORY

JOÃO 3:16

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUPLICIDADE

IBADEP TEOLOGIA

IBADEP TEOLOGIA
IBADEP TEOLOGIA

quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

 

                 Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, durante visita a Pequim em 2018. (Foto: Lintao Zhang/Getty Images)

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, criticou no último sábado (26) o Partido Comunista da China — o único no governo do país — por não permitir a adoração livre a Jesus Cristo.

“Esta noite, estamos adorando Jesus Cristo livremente e bebendo vinho australiano — duas coisas que o PCC (Partido Comunista da China) não permite”, disse Pompeo no Twitter, acrescentando um apelo: “Lute pela liberdade”.

O post é acompanhado da imagem de um vinho e da Bíblia, que tem como destaque o trecho bíblico de 2 Coríntios 3:17, que diz: “O Senhor é o Espírito e, onde está o Espírito do Senhor, ali há liberdade”.

https://twitter.com/mikepompeo/status/1342962662846693376/photo/1?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1342962662846693376%7Ctwgr%5E%7Ctwcon%5Es1_&ref_url=https%3A%2F%2Fguiame.com.br%2Fgospel%2Fnoticias%2Fmike-pompeo-critica-governo-da-china-por-nao-permitir-adoracao-jesus-cristo.html


A prática do cristianismo é fortemente restrita na China, onde as igrejas devem pertencer a órgãos regulamentadores do governo para continuarem abertas. Caso contrário, a prática “clandestina” da fé pode resultar em prisões e demolição de prédios usados para os cultos.

Esta não é a primeira crítica aberta de Pompeo contra a restrição da liberdade religiosa na China. Em discurso no Values ​​Voter Summit, uma conferência política conservadora realizada em setembro em Washington, ele falou sobre o sofrimento de “protestantes e católicos” no país.

“O autoritarismo quase sempre segue a opressão da religião. Tirar a religião da praça pública impulsiona a opressão, impulsiona os regimes autoritários. E por isso tornamos isso uma prioridade”, destacou.

Embora a livre adoração a Jesus seja ilegal na China, o secretário de Estado dos EUA depositou um toque de exagero quando mencionou a proibição do vinho australiano no país.

A China não proíbe a importação de bebidas australianas, mas este tipo de compra é fortemente desencorajado pelas altas tarifas do Partido Comunista.

Desde novembro de 2020, os impostos da China sobre o vinho australiano passaram a ser de até 212%, intensificando as tensões comerciais entre os dois países. 

A decisão da China afeta diretamente o mercado de vinhos da Austrália, já que o país asiático respondeu por 39% das exportações de vinho australiano nos primeiros nove meses de 2020, de acordo com a Wine Australia.

As relações políticas entre a China e a Austrália se deterioraram este ano, especialmente depois que o governo australiano apoiou uma investigação global sobre as origens do coronavírus em abril.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO THE WESTERN JOURNAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

NOSSOS OUVINTES,ONLINE, PELO MUNDO

Flag Counter

“Para o STF, a igreja deve se portar como uma mera ONG”, diz pastor Franklin Ferreira O pastor questiona se a Igreja terá poder para definir sua prática de fé ou se o Estado vai decidir pelos cristãos como as igrejas devem proceder.

  Os ministros Gilmar Mendes e Carmem Lúcia, durante sessão do STF para decidir sobre cultos presenciais durante a pandemia. (Foto: Fabio Ro...