WEB RÁDIO VERDADE GOSPEL

ISLAIDE TESTE

ISLAIDE TESTE
webradioverdadegospel@gmail.com

DISPONÍVEL NA PLAY STORY

DISPONÍVEL NA PLAY STORY
DISPONIVÉL NA PLAY STORY

JOÃO 3:16

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. João 3:16

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUPLICIDADE

IBADEP TEOLOGIA

IBADEP TEOLOGIA
IBADEP TEOLOGIA

quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

 

                 Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, durante visita a Pequim em 2018. (Foto: Lintao Zhang/Getty Images)

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, criticou no último sábado (26) o Partido Comunista da China — o único no governo do país — por não permitir a adoração livre a Jesus Cristo.

“Esta noite, estamos adorando Jesus Cristo livremente e bebendo vinho australiano — duas coisas que o PCC (Partido Comunista da China) não permite”, disse Pompeo no Twitter, acrescentando um apelo: “Lute pela liberdade”.

O post é acompanhado da imagem de um vinho e da Bíblia, que tem como destaque o trecho bíblico de 2 Coríntios 3:17, que diz: “O Senhor é o Espírito e, onde está o Espírito do Senhor, ali há liberdade”.

https://twitter.com/mikepompeo/status/1342962662846693376/photo/1?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1342962662846693376%7Ctwgr%5E%7Ctwcon%5Es1_&ref_url=https%3A%2F%2Fguiame.com.br%2Fgospel%2Fnoticias%2Fmike-pompeo-critica-governo-da-china-por-nao-permitir-adoracao-jesus-cristo.html


A prática do cristianismo é fortemente restrita na China, onde as igrejas devem pertencer a órgãos regulamentadores do governo para continuarem abertas. Caso contrário, a prática “clandestina” da fé pode resultar em prisões e demolição de prédios usados para os cultos.

Esta não é a primeira crítica aberta de Pompeo contra a restrição da liberdade religiosa na China. Em discurso no Values ​​Voter Summit, uma conferência política conservadora realizada em setembro em Washington, ele falou sobre o sofrimento de “protestantes e católicos” no país.

“O autoritarismo quase sempre segue a opressão da religião. Tirar a religião da praça pública impulsiona a opressão, impulsiona os regimes autoritários. E por isso tornamos isso uma prioridade”, destacou.

Embora a livre adoração a Jesus seja ilegal na China, o secretário de Estado dos EUA depositou um toque de exagero quando mencionou a proibição do vinho australiano no país.

A China não proíbe a importação de bebidas australianas, mas este tipo de compra é fortemente desencorajado pelas altas tarifas do Partido Comunista.

Desde novembro de 2020, os impostos da China sobre o vinho australiano passaram a ser de até 212%, intensificando as tensões comerciais entre os dois países. 

A decisão da China afeta diretamente o mercado de vinhos da Austrália, já que o país asiático respondeu por 39% das exportações de vinho australiano nos primeiros nove meses de 2020, de acordo com a Wine Australia.

As relações políticas entre a China e a Austrália se deterioraram este ano, especialmente depois que o governo australiano apoiou uma investigação global sobre as origens do coronavírus em abril.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO THE WESTERN JOURNAL

quinta-feira, 24 de dezembro de 2020

Bijli descobre a alegria do verdadeiro Natal em Bangladesh Ao saber que o Deus Emanuel está sempre conosco, a pequena Bijli aprende a enfrentar a perseguição

 

Uma celebração de Natal deu a Bijli uma nova perspectiva para encarar a perseguição em Bangladesh

Bijli* tem apenas 10 anos e pertence a uma das poucas famílias cristãs no pequeno vilarejo de 50 casas em Bangladesh. No entanto, faz parte da terceira geração de cristãos na família. Seu pai, Badol*, é motorista e sorri ao dizer: "Na minha família, meu pai foi o primeiro convertido, depois meus irmãos se tornaram cristãos e depois disso aceitei Jesus Cristo".

Certo dia, Bijli estava na escola e viu duas meninas cochichando e olhando para ela. Elas se aproximaram e uma delas apagou o desenho que Bijli estava fazendo no chão, dizendo: “Minha mãe disse que sua família é infiel”. Bijli começou a chorar e disse: “Nós não somos infiéis”. “Você está dizendo que minha mãe está mentindo?”, respondeu a menina com um empurrão. Elas riram e saíram correndo, enquanto Bijli ficou no chão chorando.

Bijli não pode brincar com outras crianças do vilarejo, pois sua família é considerada "infiel" por ser cristã

Bijli e a família foram levadas para uma festa de Natal organizada por parceiros da Portas Abertas. Havia cerca de cem famílias cristãs na celebração, todas ex-muçulmanas vindas de comunidades rurais isoladas. Para alguns, essa foi a primeira vez que se reúnem com tantos outros cristãos - e a primeira vez que celebram o Natal.

Onde o Deus Emanuel está

Há festas como essa na aldeia - para o fim do Ramadã ou para celebrar o casamento de alguém - mas Bijli e a família não são convidadas. A certa altura da noite, a música para e todos se sentam no chão. Um dos líderes fala ao microfone e pergunta: “Quem está aqui para celebrar o Natal pela primeira vez?”. Dezenas de mãos se levantam.

“Estamos aqui para celebrar Emanuel, o fato de que quando Jesus nasceu, Deus veio para estar conosco aqui na terra. E ele está conosco o tempo todo e promete nunca nos deixar”, diz o dirigente. Sussurrando, Bijli pergunta à mãe:

"Ele está conosco até na aldeia?". "Sim, querida", ela responde.

“Mesmo quando estou na escola?”

“Sim, Bijli, Jesus está sempre com você”, responde a mãe.

Com a certeza de que Jesus está sempre com ela, Bijli é fortalecida para enfrentar a perseguição

Poucos dias depois da celebração, Bijli está de volta ao pátio da escola e desenha com um pedaço de pau na terra. Ela desenha a si mesma, mas, desta vez, também faz alguém ao seu lado: um homem alto com barba e um grande sorriso. Ela sorri com a lembrança da música e da dança na festa de Natal e se lembra do que aprendeu: “Jesus está sempre comigo”.

Um futuro para as crianças

As crianças formam uma grande parte da Igreja Perseguida. Como corpo, nosso papel é apoiá-las para que tenham a perspectiva de um futuro melhor. Com sua doação, crianças na Colômbia recebem assistência integral no Abrigo Lar Cristão, mantido pela Portas Abertas para filhos de cristãos perseguidos.

*Nomes alterados por segurança.

FONTE PORTAS ABERTAS.


quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

Governador do Mississippi decreta dia de jejum contra Covid-19: “Há poder na oração” Em meio à nova onda de Covid-19 nos EUA, o governador Tate Reeves decretou um dia de jejum e oração.

 

                     O governador Tate Reeves decretou um dia de jejum e oração. (Foto: Eric J. Shelton/Mississippi Today)

Enquanto os Estados Unidos continuam batendo recordes de novos casos desde o início da pandemia, o governador do estado do Mississippi decretou um dia de jejum e oração contra a Covid-19.

Na última sexta-feira (18), o país registrou 249.709 novos casos e 2.814 mortes relacionadas ao coronavírus, o maior número acumulado em um único dia desde o início da pandemia, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

Em uma coletiva de imprensa transmitida ao vivo pelo Facebook na quarta-feira passada (16), o governador Tate Reeves reconheceu que 2020 tem sido um ano marcado por desemprego, incertezas, dificuldades e sofrimento. Por isso, ele destacou a importância da fé.

“Caminhando para o fim deste ano, senti a necessidade de ir a Deus em oração por nosso estado. Desde o início da pandemia, tentamos criar oportunidades para nossos companheiros do Mississippi orarem juntos para que possamos estar juntos”, afirmou. “Sabemos que há poder na oração. Na verdade, é o que Deus nos manda fazer”.

“Hoje, vou assinar uma proclamação para decretar um dia de oração, humildade e jejum no próximo domingo, 20 de dezembro”, anunciou Reeves. “Como temos feito ao longo da história deste país, iremos ao Senhor e pediremos Sua mão protetora sobre nós ao concluirmos o ano de 2020 e ao entrarmos no ano de 2021”.

Ao lado do governador, o pastor David Tipton leu o texto da proclamação e enfatizou que a participação no dia de oração, humildade e jejum era “voluntária”.

O ato do governador Tate Reeves chamou a atenção do grupo ateu “Freedom From Religion Foundation”, que pediu a revogação da proclamação.

Em meio à pandemia, Reeves tem destacado a importância do papel da igreja na sociedade. Enquanto muitos governadores americanos restringiram os cultos a fim de conter a disseminação do coronavírus, Reeves escolheu não impor este tipo de restrição.

“Durante toda essa pandemia, o Mississippi nunca restringiu a adoração e os encontros religiosos”, disse Reeves no Facebook no mês passado. “Deus é maior do que o governo. O direito de praticar livremente sua fé nunca deve ser infringido”.

Mississippi foi classificado o estado mais religioso dos EUA pela pesquisa Gallup por 11 anos consecutivos, com a maior proporção de residentes que se identificaram como “muito religiosos”.

FONTE: RVG, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

terça-feira, 22 de dezembro de 2020

A perseguição aos cristãos no Mali Além da pressão ser muito grande, o pior fator a ser considerado no país é a violência contra cristãos, que aumentou consideravelmente

 

           O nível de violência contra cristãos é extremo, passando de 9,6, em 2018, para 13,7

Mali era um país relativamente tolerante para os cristãos, devido ao maior registro de liberdades democráticas e civis em comparação a outros países de maioria muçulmana da região. No entanto, a guerra civil e a oportunidade que ela proporcionou aos grupos militantes islâmicos mudaram a situação e apresentam um sério risco e desafio para os cristãos.

Identificamos que todas as esferas da vida mostram níveis de pressão alto ou muito alto, marcando acima dos 8 pontos. As esferas mais afetadas são comunidade (12,8) e igreja (11,7). O nível de violência contra cristãos é extremo, com 13,7 pontos. Com exceção da esfera família, todas as outras mostram pontuações em um nível alto ou muito alto.

Muitas meninas e mulheres cristãs estão sujeitas a abuso sexual, casamentos forçados e precoces, além de não terem acesso à educação. Isso é comum principalmente no Nordeste do país. Embora haja leis nacionais que protegem meninas e mulheres em geral, normas e práticas tradicionais e culturais tornam mulheres mais vulneráveis a tais tratamentos.

Entre elas estão casamento precoce e polígamo forçado, além de mutilação genital feminina. Como resultado, alguns cristãos ficam traumatizados, perdendo a confiança nas autoridades e tendo a fé abalada.

Para os homens, os jovens estão sujeitos a sequestros, conversões forçadas e recrutamento em milícias no Nordeste do país. Isso tem um efeito devastador nas famílias e cristãos que são traumatizados por tais perseguições.

Pedidos de oração

  • Ore para que o governo tenha sabedoria para governar com justiça e foque na resolução dos problemas do país.
  • Ore por força, coragem e esperança para os cristãos lidarem com radicais islâmicos.
  • Clame pelas equipes da Portas Abertas no país, para que sejam abençoadas e consigam ampliar a atuação no país. 
  • FONTE PORTAS ABERTAS



segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

Pastor é morto a tiros após batizar cinco pessoas na Índia O pastor Salim Stephen Surin foi baleado por três homens em 8 de dezembro, quando voltava do batismo junto com sua esposa.

 

                       A Índia está entre os dez países mais hostis ao Evangelho. (Foto: International Christian Concern)

Um pastor foi morto a tiros no estado de Jharkhand, na Índia, enquanto voltava com sua esposa de uma cerimônia de batismo. Segundo sua família, a causa do crime está relacionada à sua fé.

O pastor Salim Stephen Surin atuava como evangelista no distrito de Singhbhum e tinha uma pequena loja na vila de Rania, para sustentar sua esposa, Tarsis Surin, e dois filhos.

Em 8 de dezembro, o pastor e sua esposa foram à aldeia de Putikda para fazer o batismo de cinco pessoas. Quando voltavam de moto para casa, foram parados no caminho por três homens não identificados, que balearam o pastor.

“Eles mataram meu marido na frente dos meus próprios olhos”, disse Tarsis à organização International Christian Concern (ICC). “Fiquei apavorada quando vi meu marido desmaiar depois de levar um tiro no peito. Comecei a pensar em meus filhos e clamei em voz alta a Deus para me salvar e cuidar de meus filhos”.

Tarsis continuou: “Eu empurrei o homem que estava apontando a arma para mim e corri para a mata e para a floresta próxima. Devo ter caminhado mais de dez horas para chegar em minha casa. De propósito, não peguei a estrada para evitar os agressores”.

Depois que Tarsis escapou, os agressores fugiram do local do crime. O corpo do pastor Salim foi encontrado aproximadamente às 17h na estrada por viajantes locais.

Cristãos locais relatam que várias ameaças foram feitas contra cristãos na aldeia de Putikda. De acordo com uma fonte ouvida pela ICC, os cristãos de Putikda foram informados que deveriam renunciar à sua fé cristã.

Apesar das ameaças, o pastor Salim continuou visitando Putikda e apoiando a comunidade cristã, antes de ser morto. A polícia local abriu uma investigação sobre o caso.

FONTE: RVG, COM INFORMAÇÕES DO INTERNATIONAL CHRISTIAN CONCERN

sexta-feira, 18 de dezembro de 2020

Em quais países os cristãos são perseguidos? Conheça a situação dos mais de 260 milhões cristãos perseguidos por causa da fé em Jesus

 

                     Ter um Bíblia é um privilégio para cristãos perseguidos, como Iris da Etiópia

De acordo com a Lista Mundial da Perseguição(LMP) 2020, a maioria dos 260 milhões de cristãos vítimas de intolerância religiosa vive em um dos 50 países localizados, principalmente, na Ásia, Oriente Médio e África. Desde 1993, a Portas Abertas promove uma pesquisa com os seguidores de Jesus de diferentes territórios para elencar as nações mais difíceis para um cristão viver. Na pesquisa da LMP 2020, em 11 países a perseguição aos cristãos é considerada extrema: Coreia do Norte, Afeganistão, Somália, Líbia, Paquistão, Eritreia, Sudão, Iêmen, Irã, Índia e Síria.  Porém, há outros locais onde há hostilidade contra cristãos, entenda como é feita a classificação.

Como são os ataques contra os cristãos perseguidos?

Os ataques contra cristãos acontecem de diversas maneiras. Em países onde a perseguição é mais velada é comum que haja mais pressão da sociedade, família e autoridades para que os seguidores de Jesus deixem a fé. A marginalização é a grande arma nesses casos, isso faz com que os cristãos sejam excluídos de serviços públicos como saúde, educação, água e comida. Dessa maneira eles são forçados a abandonar a fé em Jesus para viverem com os mesmos direitos que os demais cidadãos.

Porém, há locais onde a violência contra os cristãos é comum e pode ocorrer por meio de agressões físicas e sexuais, ataques a casas e negócios de cristãos e também a igrejas. Esses tipos de ataques costumam acontecer em áreas dominadas por extremistas religiosos como muçulmanos e hindus. Já as prisões são táticas mais comuns utilizadas por governos islâmicos, comunistas e pós-comunistas. Muitos desses ataques causam as mortes de centenas de cristãos anualmente.

Qual país mais persegue cristãos?

Coreia do Norte é o país mais perigoso para os cristãos desde 2002, lá é obrigatório que a população reverencie apenas os líderes comunistas. Por isso, se um seguidor de Jesus é descoberto ele deve ser entregue para as autoridades, isso acontece por meio de denúncias feitas por parentes, amigos e vizinhos. O resultado da “traição” ao governo é prisão, detenção em campos de trabalho forçado, desaparecimento, tortura e até execução pública. As consequências da fé atingem também os familiares mais próximos dos acusados. 

             Desde 2002, o país onde os cristãos são mais perguidos é a Coreia do Norte

Como vivem os cristãos perseguidos na Coreia do Norte?

Os cristãos perseguidos na Coreia do Norte vivem a fé secretamente. Logo, as reuniões entre cristãos verdadeiros são escondidas, em locais subterrâneos e, por isso, não devem ser divulgadas. Então, tudo que se refere ao cristianismo é mantido em sigilo, até mesmo literatura cristã e Bíblias. Muitos norte-coreanos só descobrem a fé cristã dos pais quando se tornam adultos, já que uma criança pode acidentalmente denunciar os pais para colegas, professores ou demais familiares.

Outra maneira de viver a fé é fugindo para outros países como China e Coreia do Sul. Na realidade, muitos norte-coreanos encontram Jesus justamente nesses lugares. Eles são acolhidos por parceiros da Portas Abertas e têm uma nova oportunidade de continuar a vida.

Socorra os cristãos perseguidos

Fugir da Coreia do Norte é apenas o primeiro passo em busca de uma vida melhor, com os direitos humanos garantidos. Por isso, cristãos refugiados precisam de oração e assistência para ter um lugar seguro, abrigo e as necessidades básicas, como alimentação e vestimenta, supridas. Doe e seja canal da provisão de Deus.

FONTE PORTAS ABERTAS.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2020

Chefe de tribo recebe cura sobrenatural após oração de missionário A experiência aconteceu durante visita de missionários à Ilha de Pentecostes de Vanuatu, após ciclone destruir local.

 

   Sam Paris, missionário AGWM em Vanuatu com o chefe da tribo local, que foi curado após oração. (Foto: Reprodução / AG News)

Depois do ciclone Harold no início deste ano, as estradas na remota ilha de Pentecostes, uma das 83 que compõem a nação do Pacífico Sul de Vanuatu, que estavam intransitáveis.

“O lugar foi um dos mais atingidos por deslizamentos de terra e ventos fortes que varreram parte das estradas de terra, transformando a paisagem em algo ainda mais selvagem e desafiador”, relatou Sam Paris, missionário AGWM em Vanuatu.

Em um grande esforço para levar alívio às vítimas do ciclone, Sam e outros missionários oraram para que Deus os usasse, abrisse portas para compartilharem o Evangelho e que vidas fossem transformadas para sempre.

“Também oramos para que Deus nos guiasse a cada passo do caminho e que somente a Sua vontade fosse feita”, lembrou Sam.

“Amarramos nossas mochilas e subimos uma montanha até o centro de Pentecostes, no extremamente remoto vilarejo de Ratap. Toda a comunidade nos cumprimentou, ansiosa para ver quem eram aqueles que estavam dispostos a fazer a viagem para visitá-los”, disse o missionário.

Ele contou que enquanto faziam as apresentações e explicavam por que estavam ali, o chefe do lugar saiu de sua cabana. “Eu logo notei uma ferida aberta nas costas de sua mão. Quando me aproximei dele, pude ver que a ferida tinha cerca de 5 centímetros de diâmetro e era extremamente profunda, expondo os tendões. Sua mão estava muito inchada e infeccionada. Ele estava com tanta dor que não conseguia levantá-la”, relatou Sam.

Ele soube que o chefe tinha ido pescar tentando conseguir comida para sua família. Enquanto estava no oceano, um polvo o atacou. Ela agarrou seu braço e arrancou um pedaço de sua mão antes que ele pudesse se desvencilhar. Agora sua mão estava inchada e seu corpo muito infectado.

Sem médico

“As ilhas externas de Vanuatu não têm nenhum atendimento médico, uma ferida infectada é mortal aqui”, contou o missionário.

“Depois de conhecer a área e avaliar suas necessidades após o ciclone, senti o Espírito Santo me inspirar a orar pelo chefe”, relatou o missionário. “Perguntei-lhe se poderia orar para que Deus curasse sua mão”.

Ratap não tem acesso a nenhuma igreja e ainda segue as crenças animistas tradicionais, mas após algumas considerações, o chefe concordou. “Orei com entusiasmo, porque temos pedido a Deus oportunidades de torná-lo conhecido e vê-lo operar de maneiras maravilhosas”, contou Sam, explicando que pouco depois da oração foram embora.

Milagre

Sam conta que três semanas depois, voltaram ao Pentecostes em um navio que estava cheio de arroz e carne enlatada para distribuição. “Quando chegamos em Ratap, o chefe veio correndo. Ele ergueu a mão, mostrando-me que o inchaço havia sumido e a ferida aberta havia se tornado apenas uma pequena crosta!”, contou Sam.

“O chefe me disse que, assim que oramos por sua ferida purulenta, ele parou de chorar! Naquele dia e todos os dias depois disso, ficou melhor e melhor”, testemunhou o homem ao missionário.

O homem perguntou a Sam se ele estava disposto a fazer pelos outros o que fez por ele. “Expliquei com entusiasmo que foi Deus quem o curou e que ficaria feliz em orar pelos outros”, conta Sam.

O chefe o conduziu de cabana em cabana, onde Sam impôs as mãos sobre os enfermos e feridos, pedindo a Deus que os curasse e fizesse Sua presença conhecida.

FONTE: RVG, COM INFORMAÇÕES DA AG NEWS

quarta-feira, 16 de dezembro de 2020

A perseguição aos cristãos no Nepal O crescimento do cristianismo no país resulta em um aumento na violência contra convertidos

 

                 O cristianismo cresce rapidamente no país e a maioria dos convertidos é ex-hindu

Nepal se manteve na 32ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2020, com 64 pontos, mesma pontuação de 2019. O país é pobre, sem litoral e encurralado entre a Índia e a China. Porém, mesmo cercado por nações onde a intolerância religiosa é forte, o cristianismo cresce rapidamente no território, o que deixa os hindus radicais preocupados, porque a maioria dos convertidos ao cristianismo é ex-hindu.

Pressão aos cristãos
A média de pressão sobre os cristãos está em um nível muito alto (11,4), porém, ainda abaixo dos 11,8 de 2018. Todas as esferas da vida refletem essa pressão, exceto na comunidade, que está chegando ao limite do nível muito alto. A vida privada é a esfera em que a pressão é mais sentida, o que reflete a imposição de muitas restrições do ambiente hindu, principalmente sobre os convertidos.

A pontuação para violência está muito alta, crescendo de 4,6 no ano passado para 7,0 em 2019. O nível de violência subiu, como pode ser visto por meio de relatos de igrejas atacadas e cristãos agredidos, presos e sentenciados à prisão. Cristãos também tiveram que fugir de suas casas e vilas por conta de ameaças.

A sociedade do país é patriarcal em que meninas têm menos oportunidades e direitos que os meninos. A educação e exposição delas à sociedade é mínima, já que são mantidas em casa e devem cumprir com diversos deveres domésticos. As que se tornam cristãs geralmente o fazem ao testemunhar curas e milagres na própria família ou pessoas próximas. Mulheres cristãs e garotas são submetidas à violência física e costumam ser pressionadas emocionalmente por familiares próximos, como maridos, sogros, cunhados e pais. O abuso físico começa gradualmente até que sejam excluídas pela família e comunidade. Isso as torna vulneráveis e vítimas de opressão sexual.

Já a maioria dos homens cristãos e garotos são sujeitos a sofrimentos físicos, mentais e sociais. Eles são frequentemente banidos pela família e sociedade. Também têm negadas propriedades de antepassados e direitos humanos básicos, como cidadania. Por isso, é comum que os cristãos geralmente se mudem para outras cidades ou áreas, vivendo com uma nova identidade. Além disso, ficam economicamente desprovidos no primeiro momento de perseguição.

Geralmente, homens e garotos cristãos são os provedores da família. Ao serem perseguidos, a família enfrenta uma redução na renda, já que eles são severamente agredidos e socialmente banidos. Com frequência, a polícia local os leva para interrogatórios longos e intensos. Dessa forma, enquanto homens e meninos enfrentam desafios por sua fé, toda a família enfrenta dificuldades econômicas e insegurança social.

FONTE PORTAS ABERTAS



terça-feira, 15 de dezembro de 2020

Ladrões fogem e pedem desculpas ao descobrir que vítimas se preparavam para batismo Igreja do Amor realizava o batismo de fiéis de sua célula na capital do Maranhão.

 


Vídeo mostra o momento em que ladrões rendem pessoas durante batismo e depois abandonam local. (Foto: Reprodução / Instagram)

Um vídeo no perfil do Instagram do Pr. Arthur Pereira mostra o momento em que ladrões entram no local onde a Igreja do Amor estava se preparando para batizar os membros de sua célula, na noite de segunda-feira (14), em São Luiz do Maranhão.

Sem saber do que se tratava, os homens entraram na casa e pediram para as pessoas se deitarem no chão. Ao descobrirem que era o evento de uma igreja, os homens pediram desculpas e abandonaram o local

“Deus faz assim! Hoje, quando estávamos nos preparando para o batismo dos membros da nossa célula em São Luiz, no Maranhão, fomos surpreendidos”, diz a legenda do vídeo que mostra a correria de pessoas e outras rendidas e deitadas no chão.

“Os voluntários estavam na frente da casa fazendo a recepção quando quatro assaltantes os abordaram, pediram os celulares colocaram todos no chão, então alguém falou que aquele era um evento da igreja”, explica a legenda.

Ao receber aquela informação, os homens se desculparam antes de saírem do recinto. “Imediatamente os assaltantes PEDIRAM DESCULPAS e foram embora!! Esse é só um lembrete pra lhe dizer: Deus nunca perde o controle e está cuidando de nós em todo o tempo! Glória a Deus”.

Assista o vídeo completo aqui.


FONTE: GUIAME

sábado, 12 de dezembro de 2020

Estudante deixa drogas após ser evangelizado na escola e leva família para Jesus Abnober se envolveu com más companhias e passou a abusar do uso do álcool e das drogas ainda aos 12 anos de idade. Mas sua ida a um centro educacional cristão mudou sua vida.

 

Abnober se converteu ao cristianismo após ser evangelizado em um Centro Educacional apoiado pela missão Portas Abertas, na Colômbia. (Foto: Portas Abertas)

Com apenas 12 anos, Abnober — que cresceu em um lar disfuncional, em razão do alcoolismo de seu pai — se envolveu com más companhias, em uma região da Colômbia. As drogas e álcool tornaram-se seu “conforto”.

Embora sua mãe acreditasse em Deus, ela não praticava sua fé por temer a perseguição e intolerância de sua tribo. A família fazia parte de uma tribo na qual a recusa em participar de festas e atividades tradicionais soava como “traição”, o que também traria “azar” para os moradores da comunidade. Por isso, a pregação do Evangelho é proibida e as ameaças de fechar ou queimar igrejas são constantes na região.

Apesar de sua abordagem distante do cristianismo, os pais de Abnober decidiram mandá-lo para o Abrigo Lar Cristão da Colômbia, um centro educacional apoiado pela Missão Portas Abertas. Ele tinha 14 anos na época e ainda estava envolvido com as más companhias.

Transformação

Essa decisão da família do adolescente possibilitou uma transformação rápida e extraordinária na vida dele.

“Este lugar é uma grande bênção”, afirma Abnober. “Desde que cheguei, aprendi muitas coisas. A educação na minha comunidade não é tão boa quanto aqui. Aprendi sobre sistemas, sobre como trabalhar em equipe e conheci pessoas que amam a Deus. Isso me fez crescer mais no conhecimento do Evangelho e em minha vida espiritual. É como minha segunda casa”.

Quando ele voltou para casa nas férias, depois de passar um ano na escola, a família ficou impressionada com a transformação de Abnober. A comunidade também percebeu a mudança.

“Eles viram a mudança”, lembra ele. “Depois de um ano, eu era uma pessoa muito diferente. A comunidade reconheceu que eu tinha mudado muito”.

Surpreendentemente, tendo visto Deus trabalhar poderosamente na vida de Abnober, não apenas sua mãe começou a viver sua fé com mais coragem, mas seu pai se tornou um cristão e largou o álcool.

“Agradeço a Deus que minha família agora é cristã”, diz Abnober.

Perseguição por causa da fé cristã

Mas, como costuma acontecer com os cristãos na Colômbia, a ousada expressão de fé da família levou à perseguição.

“Minha mãe trabalhava como líder no cuidado de crianças, mas foi demitida porque acredita em Deus”, explica Abnober. “Ela começou a contar às crianças sobre Jesus, mas os líderes da tribo não queriam isso”.

A casa da família fica próxima a uma rota sul-americana de drogas. Os pais de Abnober começaram a convencer os jovens a deixar o tráfico, mas isso não soou bem para os traficantes.

“Meus pais começaram a trabalhar com um pastor na área”, diz Abnober. “Eles tentam manter as crianças longe do tráfico, mas meu pai está recebendo ameaças de morte. Ele não pode mais ir pescar sozinho, porque eles podem matá-lo, e se ele quiser viajar para fora de nossa vizinhança, alguém precisa ir com ele”.

Apesar dessas dificuldades, Abnober, hoje com 22 anos, sabe que Deus está cuidando dele e de sua família.

“Deus é bom para mim e sei que Ele está comigo”, afirmou o rapaz.

Mantendo o foco em Deus, Abnober tem fé em um futuro melhor para sua vida, sua família e também sua comunidade.

“Eu gostaria de ter uma carreira em ciência da computação”, diz ele. “Se Deus quiser, termino os estudos no ano que vem e depois posso começar a trabalhar como profissional, mas também gostaria de continuar estudando em outra área. Se eu me desenvolver mais, terei mais condições de ajudar minha família e servir à sociedade ”.

A tribo onde Abnober nasceu não celebra o Natal, mas sua família sim, e ao longo dos anos desenvolveu suas próprias tradições para celebrar a época festiva.

“Nos reunimos no dia 24 de dezembro para comer e contar histórias. É como uma reunião de família. Este é um período de gratidão, pois Deus me concedeu mais um ano e posso comemorar o nascimento de Jesus. Para mim, o Natal significa que o Rei veio, que Ele viveu aqui como um humano e morreu por nós. É Natal”, afirmou.

Intercessão

Em depoimento divulgado pela Portas Abertas (EUA), Abnober pediu orações por ele e por sua família.

“Por favor, ore por meus pais. As coisas estão difíceis para eles e não têm trabalho nem renda. Além disso, estão tendo dificuldades com minha avó e minha prima, que moram com eles e não querem saber nada sobre Deus. Elas estão até dizendo coisas ruins sobre meus pais. Por favor, orem para que minha avó e minha prima venham a conhecer Jesus”, pediu ele.

“Por favor, orem também por minha aldeia. Muitas pessoas, principalmente pessoas mais velhas, são viciadas em álcool e eu quero muito que elas também conheçam a Deus e experimentem uma mudança em seu modo de vida. Minha irmã mais velha tem um filho que está doente e eles também precisam de suas orações. E orem por mim, para que eu possa alcançar meus objetivos e ter um bom futuro”, acrescentou.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DA PORTAS ABERTAS (EUA)

sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

Tribunal da Suíça suspende proibição de cultos, após apelo por ‘liberdade religiosa’ Após ação judicial movida por cidadãos suíços, um tribunal suspendeu a proibição de culto público em Genebra.

 

                                  Suíços desafiaram a proibição do culto público em Genebra. (Foto: ADF International)

As igrejas em Genebra podem agora reabrir depois que um tribunal na Suíça suspendeu a proibição de cultos religiosos e eventos, introduzida em 1º de novembro para evitar a disseminação do novo coronavírus.

A decisão da Câmara Constitucional do Cantão de Genebra foi emitida em 3 de dezembro, após a ação judicial de um grupo de cidadãos que acusaram o governo de violação da liberdade religiosa.

As autoridades não conseguiram provar que os templos eram responsáveis ​​pelos surtos de Covid-19 em Genebra. Agora os cultos religiosos públicos podem ser retomados na cidade que é conhecida como a “capital mundial dos direitos humanos”.

Steve Alder, o advogado que abriu o caso, disse que o decreto de Genebra foi uma das mais amplas proibições de reuniões religiosas na Europa. Ele argumentou que a ordem era discriminatória porque a cidade permitia que outras reuniões públicas acontecessem. 

“Forçar isso é uma violação do direito à liberdade de religião, protegido pela Constituição Suíça e pelos padrões internacionais de direitos humanos. [A suspensão] visa desproporcionalmente as atividades de grupos religiosos sobre as atividades comerciais”, disse Alder à Catholic News Agency.

As medidas de 1º de novembro proibiam todas as reuniões religiosas públicas, exceto funerais e casamentos com um número estritamente limitado de pessoas. As igrejas foram autorizadas a permanecer abertas apenas para orações privadas. No entanto, reuniões seculares como manifestações e ensaios profissionais de corais foram autorizados.

Jennifer Lea, assessora jurídica da Alliance Defending Freedom, descreveu a suspensão como “um passo importante na direção certa”.

“A liberdade religiosa é um direito humano fundamental e os governos que procuram restringi-la carregam o fardo de provar que a restrição é realmente necessária e que uma abordagem menos restritiva não funcionaria”, disse ela . 

“Favorecer estabelecimentos comerciais em vez de cultos religiosos não é apenas discriminatório, mas ignora a forte proteção que existe na legislação nacional e internacional para a liberdade religiosa”, acrescenta.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

A perseguição aos cristãos no Cazaquistão Cristãos perseguidos no Cazaquistão enfrentam vigilância cerrada por parte do governo e pressão da família e comunidade

 

Nossos irmãos cazaques contam com as nossas orações para continuarem crescendo no Senhor apesar do ambiente hostil

Com 64 pontos, o Cazaquistão se classificou em 35º lugar na Lista Mundial da Perseguição 2020. Nenhuma atividade religiosa que não seja controlada pelo governo não é permitida e a pressão por parte das autoridades aumentou nos últimos cinco anos, com batidas policiais durante as reuniões cristãs e cristãos sendo interrogados e presos.

Os principais tipos de perseguição enfrentada pelos cristãos são opressão islâmica e paranoia ditatorial. Os seguidores de Jesus são vistos como parte de uma seita estrangeira que tem como objetivo espiar e destruir o atual sistema político. Nessa perspectiva, os oficiais do governo são as principais fontes de perseguição, na tentativa de controlar e erradicar os cristãos.

Se um muçulmano se converter ao cristianismo, será pressionado e pode enfrentar violência física por parte dos familiares, amigos e comunidade local, forçando-o a voltar à antiga fé. Alguns convertidos chegam a ser trancados dentro de casa pela família por longos períodos, agredidos e, então, expulsos de casa e da comunidade em que moram. Os mulás (pregadores islâmicos) pregam contra eles e os cidadãos muçulmanos denunciam os cristãos às autoridades. Nesse contexto, cristãos ex-muçulmanos farão o possível para esconder a nova fé, tornando-se seguidores de Jesus secretos.

A cultura islâmica considera a mulher inferior ao homem e a submissão total é o que se espera das mulheres em relação aos pais ou maridos. Isso as deixa mais vulneráveis à perseguição. Quanto aos homens, que geralmente são os provedores do lar, se são multados ou presos, toda a família sofrerá com a perda do emprego ou renda. Se o homem é o líder da igreja, a perseguição a ele afetará toda a congregação, causando medo nos fiéis.

Pedidos de oração

  • Ore para que o Senhor continue se manifestando e trazendo salvação mesmo nesse contexto tão hostil.
  • Clame para que os cristãos sejam cheios do Espírito Santo e de sabedoria para testemunhar o amor de Cristo de modo seguro.
  • Interceda por todos os cristãos que enfrentam alguma forma de perseguição, para que sejam fortalecidos e sustentados pelo Senhor. 
  • FONTE PORTAS ABERTAS.


quarta-feira, 9 de dezembro de 2020

Delegado deixa profissão para ser missionário: “Hoje eu tiro as pessoas das prisões” Tim Leathers deixou de ser delegado e hoje se dedica às missões urbanas ao lado de sua esposa.

                      Tim Leathers deixou de ser delegado e hoje é pastor e missionário. (Foto: Facebook/Tami Allen Leathers)

O ex-delegado Tim Leathers, de 56 anos, deixou sua profissão para se dedicar às missões urbanas. Junto com sua esposa, Tami, ele lidera um centro de abrigo para mulheres que foram vítimas das drogas ou estavam presas nos Estados Unidos.

“Passei 15 anos e meio colocando pessoas na prisão. Agora estou tirando as pessoas das suas prisões”, disse Tim ao site AG News.

Depois de se casarem, em 1989, Tim e Tami serviram como pastores de jovens em uma igreja ligada à Assembleia de Deus na cidade de Rock Island, em Illinois. Mais tarde, em 2002, Tim se tornou pastor de uma igreja em Wilton, Iowa, a 40 quilômetros da congregação anterior.

Na pequena cidade de Wilton, com pouco mais de 2.800 habitantes, Tim passou a ingressar na reserva policial. Aos 40 anos, um ano depois de se mudar para Wilton, Tim tornou-se policial em tempo integral — atuando como pastor nas horas livres, menos no turno de domingo.

Apenas um ano e meio depois de entrar na polícia, a cidade nomeou Tim como delegado. Ele continuou pastoreando e viu sua nova posição como uma forma de ministrar fora das paredes da igreja.

“Eu tenho que estar com pessoas feridas todos os dias, pessoas em situações desesperadoras”, diz ele. “Eu adorava ajudar alcoólatras e viciados em drogas”.

                              im e sua esposa, Tami, lideram a Casa de Mulheres LifeHouse. (Foto: Facebook/Tami Allen Leathers)

Por muito tempo, Tim e Tami convidaram as pessoas em fase de recuperação para ficarem em sua casa. Isso gerou no coração de Tami o desejo de abrir uma casa transitória para mulheres que tentavam se restabelecer após a dependência de drogas ou prisão.

No ano passado, o casal abriu a Casa de Mulheres LifeHouse após comprar uma casa de quase 560 metros quadrados, que anteriormente servia como um sítio para meninos problemáticos. Tim e Tami têm seu próprio apartamento conectado à casa. 

Tim continua sendo um pastor ordenado pela Assembleia de Deus, mas o casal escolheu atender ao chamado missionário através do ministério de capelania.

Atualmente, quatro mulheres moram na casa, e pelo menos 12 devem fazer parte do programa de um ano. Na LifeHouse, as mulheres participam de aulas ministradas por Tami e fazem cursos profissionalizantes. Pouco a pouco, elas vão retomando suas vidas normais, conseguindo encontrar um emprego e até pagar um aluguel.

“Queremos treinar essas mulheres para que sejam capazes de fazer qualquer coisa, incluindo empregos que são tradicionalmente masculinos”, diz Tim. “Se elas forem autossuficientes, elas não irão voltar ao estilo de vida de onde vieram”.

FONTE: RVG, COM INFORMAÇÕES DO AG NEWS

terça-feira, 8 de dezembro de 2020

Sobrevivente de queda de ônibus em MG agradeceu mãe por áudio: “Você orou por mim” Vitória Cardozo, de 19 anos, estava no ônibus que caiu da ponte na BR-381 e agradeceu a mãe pelas orações.

 

Vitória Cardozo é uma das sobreviventes do acidente com ônibus de Alagoas em Minas Gerais. (Foto: Reprodução/G1)

Uma passageira que sobreviveu ao acidente com ônibus na sexta-feira (4) na BR-381 em João Monlevade, Minas Gerais, agradeceu às orações de sua mãe em uma mensagem de áudio.

Vitória Cardozo Caldas Silva, de 19 anos, pegou o ônibus em Mata Grande, no interior de Alagoas, com destino a São Paulo, onde iria encontrar o pai. Depois de sobreviver à queda do veículo de um viaduto, ela tranquilizou a mãe, Mazy Cardozo.

“Mãe, eu estou bem, tá? Aconteceu um acidente e eu tive um corte na perna e a minha cabeça bateu e está doendo, mas já me deram remédio, cuidaram bem de mim e eu estou bem, tá? Fica bem mãe, não fica preocupada comigo que está tudo bem. Deus cuidou de mim, você orou por mim e está tudo certo”, disse a jovem ferida.

Mazy Cardozo disse à reportagem do G1 que só ficou tranquila quando conseguiu ver Vitória por uma chamada de vídeo, feita pelo celular de uma enfermeira. “Ela está com o rostinho muito inchado, colete no pescoço e muita dor de cabeça. Mas já foi medicada”, disse a mãe.

Vitória embarcou no ônibus por volta de 9h de quinta-feira (3) no povoado Santa Cruz do Deserto, em Mata Grande, no sertão de Alagoas. Mazy explica que a família tem duas casas de aluguel em São Paulo, onde estão o pai e os irmãos da sobrevivente. Sua filha estava indo morar com eles.

Segundo informações da Polícia Civil de Minas Gerais do domingo (6), 19 pessoas morreram no acidente e foram identificadas. Além dos mortos, 23 pessoas ficaram feridas e outras três não se feriram. 

A polícia suspeita que o ônibus perdeu o freio antes de cair do viaduto, de uma altura de 23 metros. O motorista saltou do veículo no momento do acidente e ainda está sendo procurado. 

Em nota, a empresa Localima Turismo lamentou pelas mortes e disse que vai prestar assistência às vítimas.

A Prefeitura de Mata Grande informou que o município está disponibilizando equipes de assistência social, com psicólogos, para acompanhar os familiares das vítimas. O ginásio de esportes da cidade e uma escola do povoado Santa Cruz do Deserto estão à disposição das famílias que queiram fazer o velório no local.

FONTE: RVG, COM INFORMAÇÕES DO G1

segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

Mais de 130 mil meninas são registradas como casadas no Irã em 4 anos, diz relatório As informações são do relatório do Centro de Estatísticas do regime iraniano de 30 de novembro de 2020.

 

Mais de 7.000 meninas no Irã estão registradas como casadas com menos de 14 anos. (Foto: Reprodução / Mojahedin Organization of Iran)

O relatório trimestral do Centro de Estatísticas do Irã mostra que mais de 7.000 meninas entre 10 e 14 anos foram registradas como casadas, acrescentando que uma era casada com menos de 10 anos.

O documento também indica que, entre 2016 e 2019, cerca de 130.000 meninas menores de 14 anos foram registradas como casadas. “Isso significa cerca de 43.300 casamentos de meninas menores de 14 anos acontecem a cada ano”, de acordo com um relatório, publicado pelo Centro de Estatísticas do regime iraniano em 30 de novembro de 2020.

O dano físico e psicológico causado pelo casamento infantil são irreparáveis ​​às vidas dessas meninas, especialmente aquelas que engravidam com menos de 18 anos. Isso inclui mortes de mães jovens, depressão, tentativas de suicídio, divórcio, evasão escolar e a continuação da pobreza cultural e econômica.

Mohammad Mehditandgouyan, vice-ministro dos Esportes e Juventude do regime, indicou um aumento no número de candidatos a empréstimos matrimoniais entre meninas menores de idade. “Nos últimos anos, dois terços dos solicitantes do empréstimo eram meninas menores de idade, e isso às vezes está associado a casamentos forçados”, disse ele.

Zahra Kasayipour, chefe do Departamento de Assuntos da Mulher e Família na província de Markazi (Central), disse que nos últimos seis meses 109 meninas com menos de 15 anos foram registradas como casadas.

Kasayipour relatou os seguintes números registrados:

-1.157 meninas menores de 18 anos ficaram grávidas de 2017 a 2019

-1.055 meninas menores de 15 anos ficaram grávidas de 2016 a 2019

-109 mães grávidas menores de idade registradas este ano

As estatísticas de casamento infantil têm aumentado nos últimos anos. Ativistas dos direitos da criança dizem que os casamentos infantis prejudicarão a saúde da sociedade iraniana no futuro.

O casamento de meninas antes de atingir a maturidade reflete o desastre generalizado no Irã. A idade oficial para o casamento no Irã é decidida com base na "maturidade sexual", enquanto, de acordo com especialistas, a maturidade sexual é apenas parte da maturidade humana plena. Crescimento, consciência, educação e liberdade de escolha são as condições mais básicas e humanas para constituir família.

Além disso, de acordo com o centro de estatísticas do regime, 95.000 divórcios entre mulheres menores de 19 anos foram registrados entre 2011 e 2015. Cerca de 5.760 divórcios estavam relacionados a casamentos em que o casal tinha menos de 15 anos no momento do casamento.

FONTE: RVG, COM INFORMAÇÕES DO MOJAHEDIN ORGANIZATION OF IRAN

sábado, 5 de dezembro de 2020

Vietnã proíbe igreja de realizar assembleia para eleição de liderança O governo alega que a igreja não cumpriu uma lei, que exige que as autoridades do país tenham acesso à lista de candidatos antes da eleição.

 

                                          Igreja Evangélica do Vietnã, Área Sul, é uma das maiores do país. (Foto: ECVN(S))

Uma igreja ligada a uma das maiores denominações evangélicas do Vietnã cancelou seu congresso para eleger candidatos para o próximo mandato de seu conselho, depois que o governo do país negou a permissão para realizar sua Assembleia semestral, que já estava agendada.

De acordo com a UCA News, em 25 de novembro, a Igreja Evangélica do Vietnã Área Sul (ECVN (S)) anunciou que, por decisão do governo, não poderia organizar o seu 10º Congresso do Conselho do Clero, que estava agendado para os dias 1 a 3 de dezembro no Instituto Teológico e Bíblico da cidade de Ho Chi Minh.

No mesmo dia, o Escritório de Assuntos Religiosos divulgou um comunicado, confirmando sua decisão e afirmando que a ECVN (S) deveria “observar a Lei do governo sobre Crença e Religião” para realizar a assembleia, que exige que as organizações religiosas enviem listas de candidatos para o conselho do clero e seus currículos para aprovação do governo antes de realizar reunião.

Os líderes da ECVN (S) disseram que a igreja não poderia ir contra suas boas disciplinas e regras que existiam no século passado. A igreja obedece a sua constituição, que permite "eleger os candidatos ao conselho antes de apresentar a lista deles ao governo".

A exigência do governo é vista como um processo de verificação para “filtrar” candidatos que não apoiam o governo comunista.

Contexto

Dadas as violações sistemáticas, contínuas e flagrantes da liberdade religiosa, no ano passado a Comissão Internacional de Liberdade Religiosa dos Estados Unidos (USCIRF) novamente descobriu que o Vietnã merece ser designado como um "país de preocupação particular", ou CPC, nos termos da Lei de Liberdade Religiosa Internacional (IRFA), conforme recomendado todos os anos, desde 2002.

FONTE: rvg, COM INFORMAÇÕES DA INTERNATIONAL CHRISTIAN CONCERN

sexta-feira, 4 de dezembro de 2020

Como é ser uma criança cristã perseguida? No mês do Natal, veja como essa ocasião pode representar um renovo para as crianças da Igreja Perseguida


  O pai de Daniela e Sebastián foi morto pelas guerrilhas na Colômbia por ousar pregar o evangelho

Revista Portas Abertas de dezembro tem como foco as crianças da Igreja Perseguida. Como a perseguição se manifesta para elas? Como elas lidam com a perseguição em diferentes contextos? O que a Portas Abertas tem feito para alcançar os pequenos cristãos perseguidos?

Essas são algumas das perguntas que são respondidas conforme você conhece crianças como Daniela e Sebastián, que perderam o pai, pastor Plínio, morto por guerrilheiros na Colômbia. Você também conhecerá a pequena Bijli, de Bangladesh, que enfrenta perseguição na escola pelo fato de a família ser uma das poucas cristãs do vilarejo.

Tanto a família de Bijli como a de Daniela participaram de celebrações de Natal, preparadas pela equipe local da Portas Abertas em seus respectivos países, que foi um bálsamo para elas, sobretudo para as crianças. Assim como elas foram assistidas de modo especial por meio do apoio de parceiros locais, Timóteo e Abnober, dois jovens colombianos, também foram acolhidos no Abrigo Lar Cristão, onde tiveram a vida transformada.

No Projeto do Mês, você verá como sua contribuição pode levar esperança e transformar a vida de muitos outros jovens e crianças na Colômbia, filhos de cristãos perseguidos. Além disso, você poderá ser desafiado com a reflexão no Devocional.

Na revista, você se informa do que acontece em vários países presentes na Lista Mundial da Perseguição 2021, como o Tajiquistão, onde crianças são proibidas de participar de qualquer atividade religiosa. Além de informação, o Vamos Orar traz também pedidos diários de oração pela Igreja Perseguida.

Receba a Revista Portas Abertas

Ao assinar a Revista Portas Abertas, você a recebe em casa por 12 meses e pode se envolver ainda mais com a causa dos cristãos perseguidos. Você pode fazer parte do que Deus está fazendo na igreja global e ser um com a parte do corpo que enfrenta perseguição por amor a ele. Conheça também nossa campanha do mês, de assistência integral a crianças perseguidas na Colômbia, e faça a diferença na vida dos pequeninos.

FONTE PORTAS ABERTAS.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

NOSSOS OUVINTES,ONLINE, PELO MUNDO

Flag Counter

“Para o STF, a igreja deve se portar como uma mera ONG”, diz pastor Franklin Ferreira O pastor questiona se a Igreja terá poder para definir sua prática de fé ou se o Estado vai decidir pelos cristãos como as igrejas devem proceder.

  Os ministros Gilmar Mendes e Carmem Lúcia, durante sessão do STF para decidir sobre cultos presenciais durante a pandemia. (Foto: Fabio Ro...